Sou de cada um

Cada um pode dizer: "Padre Pio é meu". Eu amo tanto os meus irmãos de exílio. Amo os meus filhos espirituais do mesmo modo que a minha alma, e mais ainda. Eu os regenerei em Jesus na dor e no amor.
Posso esquecer de mim mesmo, mas não dos meus filhos espirituais; de fato, asseguro-lhes que quando o Senhor me chamará, eu lhe direi: Senhor, eu permaneço junto à porta do paraíso; entrarei quando tiver visto entrar o último dos meus filhos.

Pe. Pio

terça-feira, 25 de julho de 2017

Os estragos causados pela pornografia na mente de quem a consome

A pornografia causa transtornos físicos e psíquicos, violência e afeta a fertilidade

 “O consumo contínuo da pornografia entre os rapazes pode gerar problemas sexuais graves, como, por exemplo, a disfunção erétil e a perda de atração pela própria mulher”. É o que afirma Thomas Lickona, psicólogo do desenvolvimento, que dedica especial atenção aos temas ligados à família, escola e aos jovens. Ele também é professor emérito da Universidade do Estado de Nova Iorque, em Cortaland, e fundador e diretor do Center for the 4th and 5th Rs- Respect and Responsability (http://www.cortland.edu/character).
Em uma entrevista concedida ao periódico Family and Media, o professor Lickona conta quais são os efeitos negativos do consumo da pornografia entre os jovens. Ele destaca que “o Journal of the American Medical Association PsychiatryI argumenta que o uso da pornografia gera uma redução de material cinzento do cérebro e uma sensível queda do interesse pelas mulheres reais”.
Mas em que são baseados estes estudos? O professor afirma que “os neurocientistas encontram na dopamina, um agente neuroquímico liberado pelo cérebro, a explicação para isso. A dopamina é um neurotransmissor do prazer e da motivação, que está por trás da resposta: sim, eu quero!” Também é a substância do desejo. Para entendermos melhor, sem ela, não nos motivaríamos nem sequer a tomar um sorvete no verão. Quando o nível de dopamina cai, o mesmo acontece com a motivação.
Os níveis de dopamina aumentam, sobretudo, diante de imprevistos e novidades, especialmente se são do tipo sexual. A pornografia consegue estimular continuamente o usuário, colocando-o diante de “mulheres” sempre novas, que, embora sejam virtuais, obrigam o cérebro a liberar dopamina em abundância.
O professor americano ainda afirma que “passaram-se dois anos desde que Terry Crews, famoso por seus anúncios de loções pós-barba, tornou pública sua dependência pela pornografia e sua difícil luta para sair dela. Se é verdade que o consumo de pornografia causa formas de dependência similares à dependência do consumo de cocaína, álcool e anfetaminas, como podemos ajudar de modo eficaz quem sofre deste problema?”
O próprio professor responde: “felizmente, as conexões neurológicas causadas pela pornografia não são irreversíveis. Eliminando o consumo de material pornográfico, os níveis de liberação de dopamina voltarão ao normal. Muitas pessoas são capazes de sair sozinhas deste túnel de dependência, mas outras precisam de ajuda e assistência concreta de um terapeuta, um psicólogo ou uma terapia de grupo.”
Há várias organizações parecidas com os Alcoólicos Anônimos, que desintoxicam o vício da pornografia. Além disso, recentemente, o doutor Kevin Majeres, psiquiatra da Escola de Medicina de Harvard, criou um site – http://www.overcomingcravings.com – que oferece módulos específicos de apoio online para quem precisa.
O psicoterapeuta católico Peter Kleponis também propõe um programa de abandono da pornografia e destaca que há fatores emocionais, como a solidão, a insegurança, o estresse, o desassossego e até feridas psicológicas causadas pela separação ou divórcio, que podem levar as pessoas à pornografia.
Segundo a Associação Americana de Pediatras, o consumo de pornografia pelos jovens tem, como efeitos, a aceitação da infidelidade na relação de casais e a percepção do casamento como algo obsoleto.
Em relação a isso, o professor Thomas Lickona afirma que a pornografia – que é um grande negócio para seus promotores – gera entre os usuários “uma grande tolerância a violações e a forte queda do desejo de formar uma família e ter filhos”.
De acordo com estudos da Associação Americana de Pediatras, “a pornografia provoca nos jovens uma tendência sexual impessoal e egocêntrica, que os empurra para relações livres e sem amarras, diferentemente de uma relação de amor, com compromissos, deveres e responsabilidades”.
Por outro lado, “os pesquisadores também afirmam que contrair matrimônio e ser pai são dois dos maiores compromissos que podemos adotar em nossa vida. Porém, a pornografia projeta nos jovens uma visão diferente e totalmente oposta, debilitando os valores baseados no amor, na responsabilidade e no sacrifício exigidos pelo casamento e na educação dos filhos.
O professor Lickona diz ainda que “além de separar o sexo do amor, a pornografia apresenta uma imagem muito deformada, quase não-humana, das relações sexuais; não mostra comportamentos saudáveis como a conversa amorosa, os beijos e os gestos de afeto. Na pornografia, tudo é desviado e distorcido. O abuso do sexo é a norma.”

Vídeos cada vez mais violentos

O professor também acrescenta: “Em um mercado competitivo, os produtores de conteúdos pornográficos produzem vídeos cada vez mais violentos. Em um estudo sobre os filmes pornográficos mais vistos, em primeiro lugar estão os que possuem cenas violentas, onde a mulher é humilhada física e verbalmente.”
A revista Sexual Addiction and Compulsivity publicou uma série de estudos sobre a pornografia em diversos países, muito focados nos efeitos da pornografia da internet sobre os adolescentes. Estas são as principais conclusões:
  1. Quanto mais material de sexo explícito os adolescentes veem na internet, mais insistentemente pensam em sexo. Definitivamente, entram em um círculo vicioso.
  2. Quanto mais os adolescentes consomem pornografia, mais existirá a possibilidade de eles estarem propensos ao sexo ocasional e a ter relações sexuais mais cedo.
  3. Quanto mais material pornográfico eles virem, será mais provável que pratiquem comportamentos sexuais desviados e de alto risco.
  4. Se os adolescentes estiverem expostos a material pornográfico com cenas de violência, muito provavelmente eles terão hábitos sexuais agressivos.
  5. Quanto mais material pornográfico os adolescentes consumirem, haverá mais possibilidade de eles caírem em depressão ou cometerem crimes.
  6.  As meninas tendem a se sentir fisicamente inferiores às mulheres que elas veem nos materiais pornográficos.
  7. Os meninos tendem a ter medo de não estar à altura dos homens que eles veem nos vídeos pornôs.
Perguntado se com as mulheres ocorre o mesmo que os homens que consomem material pornográfico, o professor Lickona disse que, antes, os homens consumiam mais pornografia, mas os estudos feitos recentemente nos Estados Unidos mostraram que o consumo também está aumentando entre as mulheres.

https://pt.aleteia.org/2017/07/23/os-estragos-da-pornografia-na-mente-de-quem-a-consome/?utm_campaign=NL_pt&utm_source=daily_newsletter&utm_medium=mail&utm_content=NL_pt

5 orações para quando você tiver medo da morte


Palavras poderosas para ter ao alcance das mãos “agora e na hora de nossa morte”

A morte pode causar medo – inclusive aos católicos – porque somos humanos. Conhecemos a perda e a dor, compreendemos o sofrimento. Nossa sociedade não suporta a contemplação de nossa morte, nem como abstração futura com base em nossa idade e nossas condições de saúde, nem como perspectiva mais ou menos iminente. E, no entanto, como nos lembra Jesus nos Evangelhos, não nos damos conta de que vivemos em um mundo onde nosso fim chegará provavelmente como um ladrão no cair da noite.
É uma benção o fato de as orações nos oferecerem palavras de consolo e preparação para aqueles momentos em que devemos enfrentar o temor da morte.
Veja 5 orações e outras sugestões para ajudar a enfrentar este medo.
1 – Dirija-se a São José
A tradição diz que José morreu pacificamente entre os braços da sua amada esposa e do filho adotivo. Há melhor pessoa para interceder por nós, para que tenhamos um fim tão abençoado?
Oração a São José para uma boa morte
São José, 
que morrestes nos braços de Jesus e Maria,
meu amável protetor,
socorrei-me em todas as necessidades
e perigos da vida,
mas principalmente na hora suprema,
vindo suavizar minhas dores,
enxugar minhas lágrimas,
fechar suavemente meus olhos,
enquanto pronunciar
os dulcíssimos nomes:
Jesus, Maria, José,
salvai a minha alma.
Amém

2 – Peça a graça de derrotar o inimigo
O medo da morte é uma das maiores fraudes do diabo. Reze para receber a graça de resistir às mentiras do inimigo durante sua vida e para se fortalecer na batalha final.
Oração a Cristo para obter a graça de vencer o inimigo
Senhor Jesus,
Infunde em mim o espírito do teu amor,
para que na hora de minha morte
eu possa ser digno de vencer o inimigo
e receber a coroa celestial.
Amém

3 – “Entre” em Cristo
Se morrermos com Cristo, seguramente ressuscitaremos com ele. Quando o medo da morde nos invadir, esta esplêndida ladainha nos lembrará do nosso refúgio.
Anima Christi (tradicional)
Alma de Cristo, santifica-me
Corpo de Cristo, salva-me
Sangue de Cristo, extasia-me
Água que vem de Cristo, lava-me
Paixão de Cristo, conforta-me
Ó bom Jesus, escuta-me
Entre tuas feridas, esconde-me
Não permitas que me separe de ti
E dos exércitos do maligno, defende-me
E na hora da Morte, chama-me
E deixa-me ir a ti
E com teus santos, louvar-te
Pelos séculos dos séculos
Amém

4 – Faça amizade com a “Irmã Morte”
São Francisco de Assis conclui seu esplêndido louvor à criação de Deus com a oração à Irmã Morte. Quando nós a reconhecermos como nossa irmã, podemos nos preparar e ficarmos prontos para quando ela chegar.
Do Cântico das Criaturas
Louvado sejas, meu Senhor, 
pela nossa irmã, a morte corporal,
da qual homem algum pode escapar.

Louvai todos e bendizei o meu Senhor!
Dai-Lhe graças e servi-O
com grande humildade! 

 5 – Descanse na certeza de que tudo dará certo
A religiosa inglesa medieval, Juliana de Norwich, morreu  com uma visão verdadeira da realidade do amor eterno de Deus. Repetir esta oração baseada em seus escritos pode ser um meio de consolo diante de qualquer tipo de medo e ansiedade.
Oração para o consolo (baseada nos escritos de santa Juliana de Norwich)
Deus, tu és minha ajuda e meu consolo;
Tu me reparas e me rodeias de um amor tão terno
Que posso sentir tua presença junto a mim agora e sempre.
Amém

Outras sugestões
Além das 5 orações, sirva-se das tradicionais, como a Ave-Maria e a oração ao Anjo da Guarda. Você também pode usar as palavras que Jesus proferiu no momento de sua morte: “Em tuas mãos, Senhor, encomendo o meu espírito” (Salmo 31). Você também pode encontrar consolo no Salmo 23 (“O senhor é meu pastor”), no 46 (“Deus é meu refúgio e minha força”) e no 91 (“Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará”). Leia os salmos em voz alta. Geralmente, isso ajuda a encontrar novos significados.

https://pt.aleteia.org/2017/07/23/5-oracoes-para-quando-voce-tiver-medo-da-morte/?utm_campaign=NL_pt&utm_source=daily_newsletter&utm_medium=mail&utm_content=NL_pt

Contos edificantes: “A Haste da Cruz”


"O dia chegará em que seremos vítimas das mutilações feitas na haste da nossa cruz"

Conta‑nos uma lenda de antanho que a um homem a quem cumpria fazer grande jornada deram a carregar pesada cruz, dizendo‑lhe que ela o levaria à salvação.
Tendo feito pequena parte do trajeto, vencido e desanimado pelo cansaço, deliberou ele cortar um pedaço da longa haste de sua carga.
Mais aligeirado, pôs‑se de novo a caminho e jornadeou até o ponto em que a estrada subia por uma encosta longa e pedregosa. Ali sentiu que se lhe agravava o peso da cruz. Doíam‑lhe os ombros, tinha as pernas trôpegas, arfava e transudava.
Na irreflexão da impaciência, põe por terra o seu fardo e outra vez o mutila em sua haste.
Parte. Alcança o sopé do outeiro e se vê às margens de um rio sem ponte.
Só então observou que outros viajantes ali chegados levavam, também, pesadas cruzes de longas hastes e, mais resistentes e tolerantes, conservaram‑nas intactas.
Estes as estenderam de margem a margem e, fazendo‑as de pontilhões, atingiram o lado oposto e lá se foram.
Aquele, porém, que encurtara a haste de sua cruz viu que ela não lhe poderia prestar o mesmo auxílio. Tentando meter‑se rio adentro, desapareceu levado pelos redemoinhos da correnteza.
É límpida a lição da fábula. Todos os que vivemos a cortar, com golpes arbitrários, em nossos deveres e obrigações para com Deus, podemos levar, por algum tempo, vida mundanamente fácil, mas sempre enganosa. O dia chegará em que seremos vítimas das mutilações feitas na haste da nossa cruz.
_______________
A partir de texto de Malba Tahan em “Lendas do Céu e da Terra” (Ed. Borgoi. São Paulo ‑ SP /1ª edição ‑ 1939, págs. 16 e 17)

sábado, 22 de julho de 2017

ACREDITE SEMPRE QUE DEUS ESTÁ NO CONTROLE.


O navio não afunda pela água que está ao seu redor. O que pode afundar um navio é a água que invade o seu interior. 
Portanto, não importam as coisas que estão acontecendo ao seu redor, em torno da sua vida. O que importa é você não permitir que, o que está acontecendo invada o seu interior e te coloque pra baixo e faça com que sua vida naufrague. 
Conduza o "Barco" da sua vida com Coragem, Determinação e Fé em Deus.

ACREDITE SEMPRE QUE DEUS ESTÁ NO CONTROLE.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Sua família briga muito? Leia isto


Talvez você não possa evitar as discussões dos seus parentes. Mas Cristo pode!

Já tinha tempo que dona Estela insistia que eu fosse comer na casa dela. Prometeu-me um delicioso mole (um prato mexicano espetacular), mas, devido a várias razões, ainda não tinha podido aceitar o convite. Enfim, surgiu uma oportunidade e combinamos que eu iria no domingo seguinte.
Quando entrei na casa, várias crianças foram me dar as boas-vindas. Aí me dei conta de que não estava somente a dona Estela e a família dela, mas também as famílias de seus genros. Então éramos um monte de gente: pais, sogros, filhos, netos e até bisnetos.
Já com as tortilhas quentes, provamos o mole, o arroz, o torresmo, o feijão, os molhos… e as sobremesas: arroz com leite, sorvete de chocolate e bolo de milho. Tudo estava muito bom!
Mas houve algo melhor do que aquele banquete. Fiquei assombrado com a convivência familiar. Eram quatro famílias reunidas e todos se esforçavam para ter um momento agradável. Os rostos estavam alegres, até as sogras e as noras estavam bem felizes…
Foi uma tarde fantástica. Nada de confusão, as brincadeiras iam e vinham e não faltava quem ajudasse a servir ou recolher os pratos. Todos – homens e mulheres, crianças e adultos – contribuíam para que a convivência fosse tranquila e alegre. Ficamos mais de seis horas no almoço e não vi nenhuma cara chateada ou triste, muito menos um grito ou uma conversa atravessada.
Mas, no meio desta festa tão bonita, vinham à mina mente as centenas de pessoa que chegam a mim chorando, porque suas festas familiares se transformam em grandes pesadelos. Irmãos que não toleram uma brincadeira, pais nervosos, que não sabem passar um minuto sem brigar, sogras ou noras que procuram qualquer momento para jogarem indiretas, aqueles que não sabem beber e acabam com a festa, aqueles que não conseguem esquecer o que passou e se enchem de coragem para desabafar no meio de todos…
Conheço famílias que simplesmente não conseguem estar juntas. Filhos que não visitam os pais para não discutir, noras e genros que não se arriscam a ficar com a família, irmãos que passam anos sem se falar…
Enquanto eu desejava que todos os membros dessas famílias com conflitos estivessem próximos uns dos outros para verem que é possível se relacionar e ser feliz com os parentes, orei em silêncio:
Meu Bom Pai, te peço por esta família, que nunca lhe falte a alegria e o desejo de estar bem, nunca lhes falte esta vontade de ser família.
Tu, que foste filho de Maria e José, peço-te por todas as famílias que sofrem violência, em especial pelas que chegaram com lágrimas diante de mim. Tu, que mudaste a vida de Zaqueu, mostra-lhes teu rosto e ensina-os a sorrir, a desejar a paz e a ser família.
Santa Trindade, modelo de irmandade, ensina-nos a ser família e, com teu poder detém o que querem ofender, discutir ou brigar; cura os corações feridos de tristeza, solidão, ódio ou vingança, e guia nossa vida para que descubramos que seremos mais felizes, mais fortes e mais abundantes se promovermos a paz em nossas famílias.
Terminei essa oração e me despedi. Nisso, escutei: “padre, poderia fazer uma oração conosco?” Maravilhoso! Acabo de descobrir por que eles são tão felizes! Novamente comprovo: uma família que reza unida, Deus mantém unida.
E, enquanto rezávamos, pude ouvir Jesus dizendo-me: “Anuncia meu Evangelho, não te canses. Com todas as famílias que entrarem em tua vida deverá fazer isso.”
Escrevo este testemunho para dizer: “Não perca a esperança! Deus tem o poder de unir e dar a paz para sua família. Não se canse de rezar. Talvez você não possa evitar as discussões dos seus parentes. Mas Cristo pode!
Oremos por nossas famílias!
Padre Sérgio

Facebook explica por que bloqueou dezenas de páginas católicas


Depois do bloqueio de mais de vinte páginas católicas em português, inglês e espanhol, o Facebook lamentou o “incidente” ocasionado por um “mecanismo de detecção de spam na plataforma”.
“As páginas foram restabelecidas. O incidente foi ocasionado acidentalmente por um mecanismo de detecção de spam na plataforma. Pedimos sinceras desculpas pelos inconvenientes que isso possa ter gerado”, manifestou um porta-voz do Facebook ao Grupo ACI.
Entre a noite de 17 de julho e a madrugada de 18 de julho, ao menos 21 páginas católicas em português, 4 em inglês e várias outras em espanhol foram bloqueadas pela rede social, que somou recentemente 2 bilhões de usuários.
Os administradores das páginas afetadas, que somavam entre centenas de milhares e 6 milhões de seguidores, não receberam uma explicação clara do motivo do bloqueio e suas apelações não foram respondidas pelo Facebook.
Na noite de 18 de julho, ainda sem explicação, as páginas afetadas foram restabelecidas.

http://www.acidigital.com/noticias/facebook-explica-por-que-bloqueou-dezenas-de-paginas-catolicas-66064/

Papa telefona para catador de lixo que perdeu as pernas em acidente


O Papa Francisco telefonou inesperadamente para Maximiliano Acuña, um catador de lixo em Buenos Aires, Argentina, que sofreu um grave acidente no qual perdeu ambas as pernas.
Durante o telefonema, o Santo Padre o encorajou a seguir “sempre em frente, você é um exemplo”.
Em 22 de março Acuña, de 33 anos e pai de 5 filhos, estava coletando o lixo em um bairro de Buenos Aires, quando foi atropelado por um carro estava a 130 quilômetros por hora.
Devido a este acidente, tiveram que amputar as suas duas pernas.
O legislador portenho, Gustavo Vera, decidiu contar o que havia acontecido ao Papa Francisco por e-mail, no qual explicou que “o prognóstico dos médicos era o pior”.
“No melhor dos casos, ficaria em estado vegetativo ou com sérios danos neurológicos e, no pior dos casos, era o seu fim”, contou Vera ao Santo Padre.
Entretanto, “no terceiro dia, Maximiliano saiu do estado de coma e no quinto dia já estava em um quarto normal. Depois de algumas semanas, já estava em casa junto com seus cinco filhos”, contou.
Na terça-feira, 18 de julho, Acuña estava se preparando para receber uma homenagem em uma cerimônia na Assembleia Legislativa de Buenos Aires, quando recebeu um telefonema especial.
“Sou o Papa Francisco, um amigo (Gustavo Vera) me enviou uma mensagem e me emocionou a força que você tem. Sempre em frente, você é um exemplo”, disse o Papa Francisco a Acuña, que foi homenageado na Assembleia Legislativa de Buenos Aires em uma cerimônia que contou com a presença de centenas de catadores.
Acuña perguntou ao Papa se ele estava na Argentina, para convidá-lo para o seu aniversário, “e então, o Papa me disse que não, que estava em Roma, na Itália, e que eu não tinha que ir lá. Ele ia vir para nos conhecermos e conversarmos pessoalmente”.
Na terça-feira, o legislador da Unidade Portenha Gustavo Vera e o Secretário-geral do Sindicato dos Caminhoneiros, Pablo Moyano, propuseram declarar o dia 22 de março como o “Dia do Catador de Lixo”, em homenagem a este jovem catador.
“Deus me devolveu a minha vida, porque tiraram as minhas duas pernas, mas tudo o que está acontecendo comigo é muito bonito”, disse Acuña ao programa de televisão argentino Morfi.
“Sempre acreditei em Deus, eu sempre fui à Igreja, rezando todos os dias e pedindo-lhe trabalho, que cuidasse de mim todos os dias”, acrescentou.
“Deus existe”, afirmou Acuña. “Quero deixar esta mensagem a todos, que Deus existe e que Ele me deu uma nova oportunidade”.

http://www.acidigital.com/noticias/papa-telefona-para-catador-de-lixo-que-perdeu-as-pernas-em-acidente-10394/

sexta-feira, 14 de julho de 2017

O que alcançou um menino de 8 anos que rezava de madrugada ao Santíssimo te surpreenderá

Padre Patrício Hileman, responsável por formar capelas de Adoração Perpétua na América Latina, compartilhou o comovente testemunho de Diego, um menino mexicano de 8 anos cuja fé em Jesus Sacramentado transformou a realidade de sua família marcada por problemas de maus tratos, alcoolismo e pobreza.
A história ocorreu em Mérida, capital do Estado de Yucatán, México, na primeira capela de Adoração Perpétua que os Missionários de Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento estabeleceram nessa cidade.
O Pe. Hileman contou ao Grupo ACI que o pequeno escutou em uma de suas pregações “que, aos que se dispõem a estar em vigília na madrugada, Jesus os abençoará cem vezes mais”.
“Eu dizia que Jesus convidava seus amigos à Hora Santa. Jesus lhes disse ‘não podem velar uma hora comigo?’, três vezes os disse e os disse na madrugada”, recordou o sacerdote argentino.
As palavras do sacerdote fizeram com que o menino decidisse fazer a sua vigília às 3h, algo que chamou a atenção de sua mãe, a quem lhe explicou que o faria porque “quero que meu pai pare de beber, pare de te bater e para que deixemos de ser pobres”.
Durante a primeira semana, a mãe o acompanhou e, na segunda semana, convidou o seu pai.
“Um mês após começarem a participar da Adoração Perpétua. O pai deu o testemunho de que experimentou o amor de Jesus e foi curado” e depois “se apaixonou novamente pela mãe nessas horas santas”, assinalou o Pe. Hileman.
“O pai parou de beber, parou de brigar com a mãe e deixaram de ser pobres. Pela fé de um pequeno de apenas 8 anos, a família toda foi curada”, afirmou.
Este é um dos diversos testemunhos de conversão que, segundo o Pe. Hileman, ocorrem nas capelas de Adoração Perpétua, uma iniciativa dos Missionários de Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, comunidade da qual é fundador.
“O primeiro mandamento da Adoração Perpétua é deixar-se ‘abraçar’ por Jesus”, afirmou o Pe. Hileman em sua visita ao Chile. “É o lugar onde aprendemos a descansar no coração de Jesus. Somente Jesus pode te dar esse abraço da alma”.
O sacerdote explicou que a história desta iniciativa começou no ano de 1993 em Sevilha (Espanha), São João Paulo II manifestou seu desejo de que “cada paróquia do mundo pudesse ter sua capela de adoração perpétua, onde Jesus estivesse exposto no Santíssimo Sacramento, em uma custódia, solenemente adorado dia e noite sem interrupção”.
Recordou também que “São João Paulo II fazia 6 horas de adoração por dia, escrevia seus documentos com o Santíssimo exposto e uma vez por semana passava a noite toda em adoração. Esse é o segredo dos santos, esse é o segredo da Igreja: estar centrados e unidos a Cristo”.
O Pe. Hileman está encarregado a mais de 13 anos da missão na América Latina, onde já existem 950 capelas de Adoração Perpétua.
O México lidera esta missão com mais de 650 capelas.
Também estão presentes no Paraguai, na Argentina, no Chile, no Peru, na Bolívia, no Equador e na Colômbia.
“O mesmo Jesus que continuamos adorando, amando, é quem nos dá a força para poder apreciar cada vez mais o sacramento da Eucaristia”, sustentou o sacerdote.
Segundo Maria Eugenia Verderau, que durante 7 anos reza em uma hora fixa na semana em uma capela de Adoração Perpétua no Chile, “isto me ajuda a crescer muito na fé. Ajudando-me a entender meu lugar frente a Deus, como filha de um Pai que apenas quer o melhor para mim, minha verdadeira felicidade”.
“Nós vivemos dias muito agitados, da manhã até a noite. Separar um tempo para fazer adoração é um presente, dá tranquilidade, é um espaço para pensar, para agradecer, para colocar as coisas em sua justa medida e entregá-las a Deus”, disse a adoradora e também porta-voz de Vozes Católicas Chile ao Grupo ACI.

fonte: http://www.acidigital.com 

7 fatos sobre a vida dos leigos nos primeiros séculos do cristianismo


Nos primeiros passos da Igreja, estava claríssimo que a sua missão era responsabilidade tanto dos ministros ordenados quanto dos leigos

Apesar de costumeiramente não receber uma descrição melhor do que “o leigo é aquele que não é padre nem religioso”, é da vida leiga que a Igreja é principalmente composta. O ministério ordenado, como sabemos, não é um fim em si mesmo. Bispos, padres e diáconos estão a serviço do crescimento na fé, na esperança e no amor daquela multidão de homens e mulheres que fecundam com o Espírito de Deus a vida do mundo.
O protagonismo do leigo na vida da Igreja é um tema que foi retomado com mais força em tempos recentes pelo Concílio Vaticano II, sobretudo nas constituições Lumen Gentium e Gaudium et Spes e no decreto Apostolicam Actuositatem. Por “vida da Igreja”, entenda-se tanto a sua participação na sociedade realizada a partir do Evangelho e, assim, como presença de Cristo no mundo, quanto a sua colaboração, ao lado de clérigos e religiosos, na missão evangelizadora da Igreja, assumindo serviços pastorais.
Desde o Concílio, leigos têm lentamente assumido postos na Cúria Romana e nas dioceses. São mais numerosas – mas ainda tímidas – as beatificações e canonizações de leigos. Os leigos passaram a poder estudar teologia e lecionar nessa área. Mas como vivia o laicato nos primórdios da Igreja? Confira aqui sete fatos sobre como era a vida dos leigos nos primeiros séculos do cristianismo.
  1. Laikós
A palavra “leigo” – do grego λαϊκός (“laikós”), que vem de λαός (“laós”), “povo” – não aparece no Novo Testamento. Seu primeiro registro em contexto cristão está na carta de Clemente aos coríntios, no final do século I.
  1. Eles anunciam, ensinam e participam
Mas é claro que leigos e leigas estão presentes na Igreja nascente: eles participam da eleição de Matias para a vaga que surgiu entre os doze apóstolos com a morte de Judas (cf. At 1, 23), bem como da escolha dos sete primeiros diáconos (cf. At 6, 1-6). Anunciam o Evangelho, até aproveitando as dispersões que as perseguições ocasionam (cf. At 8,4; 11,19), e assumem ministérios como o de didáscalos (mestre, doutor), como o casal Áquila e Priscila, que dá uma formação mais aprofundada da fé a Apolo (cf. At 18,26).
  1. “Já enchemos tudo”
Estava claríssimo que a missão evangelizadora da Igreja era responsabilidade tanto dos ministros ordenados quanto dos leigos. Era nas conversas do dia-a-dia, nas cidades e nos campos, que o nome de Jesus era anunciado. Tertuliano, no final do século II, louvava diante dos pagãos os frutos do testemunho cristão no meio do mundo: “Nós somos de ontem e já enchemos tudo que é vosso: cidades, ilhas, fortalezas, prefeituras, aldeias, os próprios campos, tribos, decúrias, palácio, senado, fórum; deixamo-vos apenas os templos…”
  1. Trindade
O teólogo africano Tertuliano (+220), aliás, era um dos grandes escritores da Igreja dos primeiros séculos – foi ele quem registrou pela primeira vez o termo “Trindade” e quem fez a mais antiga exposição formal sobre a teologia trinitária. E era um leigo.
  1. Apologetas
O filósofo e mártir Justino (+165) também era leigo, bem como Minúcio Félix, Lactâncio e outros escritores cristãos. Outro personagem fundamental da Igreja dos primeiros séculos, Orígenes (+ 254), já era um teólogo renomado e estava na ativa há mais de vinte anos quando foi ordenado presbítero.
  1. Pregação
Até o século III, não era raro ver leigos pregando em público nas assembleias, de forma oficial. “Onde se encontram homens em condição de ajudar os irmãos, eles são convidados pelos santos bispos a pregar para o povo”, escrevem Teoctisto de Cesareia e Alexandre de Jerusalém, bispos, em uma carta defendendo o ministério de Orígenes como pregador, na qual citam outros diversos casos. A epístola é reproduzida por Eusébio em sua História eclesiástica.
  1. A eleição dos bispos
É só no decorrer dos séculos III e IV que começam a aparecer escritos que criam um abismo entre ministros ordenados e leigos, como a Didascália e as Constituições Apostólicas. Há uma função da qual os leigos participam que, porém, é mantida religiosamente ainda por muito tempo: a eleição dos bispos. A praxe é considerar a participação de todo o povo cristão na escolha do seu bispo como uma regra indispensável. Tanto é assim que Santo Agostinho – uma exceção, pois foi apontado como bispo pelo seu antecessor, Valério –, bem como o primaz da Numídia, Megalio de Calama, que presidiu sua ordenação, se desculparam posteriormente pela eleição episcopal realizada sem a participação do povo.
___
Por Felipe Koller (teólogo, com mestrado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. É catequista há 12 anos e prega em retiros de jovens. Pela Editora Apostolado da Divina Misericórdia, lançou uma série de livros infantis),

“ESTAMOS COMUNGANDO JESUS OU COMENDO HÓSTIAS ?


Resultado de imagem para comendo hóstias

Parece uma brincadeira, mas o questionamento é sério. Eu fiquei pensando… meu Deus! Já comunguei tantas vezes, já participei de MILHARES de Missas, mas… o que mudou? Em que mudei?

Comungar é estar unido, intimamente ligado ao Cristo. É viver como Ele viveu, pensar como Ele pensa, agir como Ele age! Da sua primeira comunhão pra cá, em que você melhorou? Quais foram os passos significativos no processo de conversão? Em suma: quais os frutos de santidade que a Eucaristia realizou em nós?

Santa Teresa de Ávila dizia que bastava uma comunhão em estado de graça para se santificar. A Beata Imelda morreu no dia da sua Primeira Comunhão. Morreu de amor. Tantos santos que entravam em êxtase na hora da Missa, como Luís de Monfort, Inácio de Loyola e José de Cupertino…

Irmã Dulce e Madre Teresa que saíam da Missa para dar socorro aos necessitados, Santa Gema Galgani que tinha o seio queimado por causa de um fogo misterioso que lhe incendiava, Santo Antônio de Lisboa que fez um jumento se ajoelhar diante da Hóstia para converter um ateu, Maria Milza que nunca aceitou ser ministra da comunhão por se sentir indigna de tocar o Corpo de Deus, a Beata Alexandrina que viveu 13 anos apenas com uma Eucaristia diária, etc… etc… etc…

Santo Agostinho dizia que nós metabolizamos os alimentos que comemos, mas quanto a Eucaristia, é ela que nos metaboliza.

E eu? E você? E nós? Estamos comungando Jesus ou comendo hóstias? Aquela partícula branca transforma o nosso interior ou é como uma vela acesa mergulhada na água? Pense… repense… medite…


(Seminarista Gabriel Vila Verde)

quarta-feira, 12 de julho de 2017

“Nossa Senhora veio aqui porque queria curar o Padre Pio”


O Padre Pio esteve uma vez severamente doente, de cama, e Nossa Senhora de Fátima fez-lhe uma visita para curá-lo

Quase todo o mundo conhece Nossa Senhora de Fátima. Quase todo o mundo já ouviu falar de São Padre Pio. Mas quantos sabem que o Padre Pio esteve uma vez severamente doente, de cama, e Nossa Senhora de Fátima fez-lhe uma visita para curá-lo?
O evento miraculoso aconteceu em 1959. Naquela primavera, a imagem de Nossa Senhora de Fátima tinha vindo de Portugal para visitar as capitais das províncias da Itália, em várias paradas. Viajando de helicóptero, a imagem de Nossa Senhora deveria seguir para Foggia, onde o bispo Paolo Carta tinha preparado uma recepção calorosa para a Santíssima Virgem. Mas houve um desvio na rota.
Mais tarde, em 1997, como bispo emérito, ele contaria essa história à fundação Voce di Padre Pio, falando um pouco sobre o amor de longa dataque o Padre Pio sempre cultivou por Nossa Senhora de Fátima:
Acho que posso afirmar que na metade de século que se seguiu, ninguém dentro da Igreja deu a Fátima uma resposta mais completa do que o Padre Pio. A ansiedade maternal do Imaculado Coração de Maria pelas almas que se precipitavam no inferno, invadiu profunda e completamente o coração do Padre Pio, que fez da sua vida inteira um grande sacrifício para que Nosso Senhor livrasse as almas da condenação eterna.
O bispo sublinhou que, em Fátima, Nossa Senhora havia pedido especialmente pela oração do Rosário. “E quem poderia contar as horas que o Padre Pio passou a rezar pela conversão e salvação dos pecadores? E com que amorosa insistência ele não recomendava o Rosário a todos como meio de atingir a salvação?”
Além disso, o bispo também apontou para os incontáveis atos de mortificação, penitências e sofrimentos praticados pelo Padre Pio para salvar as almas do inferno, em resposta ao que Nossa Senhora havia pedido. “Esta resposta heroica do Padre Pio merecia um sinal de mimo materno de Nossa Senhora — e o sinal foi maravilhoso.”
Para a imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima, vinda de Portugal, estava programada uma passagem pela grande cidade de Foggia, no começo de agosto. O mosteiro de San Giovanni Rotondo pertencia à diocese de Foggia, mas o Padre Pio estava severamente doente, acamado por conta de uma pleurite, desde o dia 5 de maio. Se estava impossibilitado até de celebrar a Santa Missa, quanto mais de peregrinar até Foggia!
“Mas poderia uma Mãe com um Imaculado Coração tão sensível e delicado não visitar seu filho mais querido, o Padre Pio?”, conta o bispo Paolo Carta.
Por algum motivo, o itinerário mudou. A imagem não iria mais para Foggia, e sim para San Giovanni Rotondo. A alegria tomou conta dos ares enquanto as pessoas se reuniam em volta do mosteiro. Com a ajuda de um alto-falante, o Padre Pio foi capaz de prepará-los para a chegada de sua Mãe, no dia 6 de agosto.
Naquela manhã, o Padre Pio conseguiu descer até a igreja e alcançar a imagem de Nossa Senhora — “mas teve que se sentar pois estava exausto”, observou o bispo, e depois “ele deu a ela um Rosário dourado”. ” A imagem foi rebaixada diante do seu rosto e ele lhe deu um beijo. Foi um gesto de muito carinho.”
Naquele mesmo dia, entre as duas e três da tarde, Nossa Senhora de Fátima estava mais uma vez no helicóptero, pronta para partir rumo ao seu próximo destino. Decolando da Casa Sollievo della Sofferenza — construída por ideia e inspiração do Padre Pio e inaugurada a 5 de maio de 1956 —, o helicóptero deu três voltas em torno do mosteiro antes de voar em direção à sua próxima parada. (Nem o piloto da aeronave conseguiu explicar, depois, por que se deram aquelas voltas.)
O bispo Paolo Carta descreveu ainda como, “de uma janela, o Padre Pio viu o helicóptero voar para longe, com os olhos cheios de lágrimas. Para Nossa Senhora que estava no voo, o Padre Pio lamentou com uma confiança que era própria dele: ‘Minha Senhora, minha Mãe, vieste à Itália e eu fiquei doente, agora te vais embora e me deixas doente ainda.'”
Mas, enquanto o helicóptero dava voltas no ar, ele sentiu um arrepio, uma “sacudida” em todo o seu corpo. O bispo repetiu, então, aquilo que o Padre Pio diria pelo resto de sua vida: ” Naquele mesmo instante eu senti um tremor nos meus ossos que me curou imediatamente.” O bispo acrescentou ainda as palavras do seu diretor espiritual, para confirmar o evento: “Num momento, o padre sentiu uma força misteriosa em seu corpo e disse aos seus confrades: ‘Estou curado.’ Ele estava forte e saudável como nunca antes na sua vida.”
No livro Padre Pio, a Personal Portrait (“Padre Pio, um retrato pessoal”, sem tradução para o português), publicado originalmente em 1978 e relançado recentemente, o frei Francesco Napolitano, que trabalhou com o santo de Pietrelcina, dá o seu próprio testemunho: “Eu estava presente no momento e posso atestar que o Padre Pio nunca se sentiu tão saudável como depois da partida da imagem de Nossa Senhora de Fátima.”
Quando contaram ao santo frade que um artigo, no jornal de Foggia, perguntava o por que a imagem de Nossa Senhora de Fátima tinha ido a San Giovanni Rotondo, em vez de ir ao Santuário de São Miguel, no monte Sant’Angelo, também localizado em Foggia, o bispo Paolo Carta repete aquilo que o Padre Pio costumava responder, com muita simplicidade: ” Nossa Senhora veio aqui para curar o Padre Pio.”
Três dias após a visita da Virgem, ele estava de volta a celebrar a Santa Missa.
Sobre o porquê de Nossa Senhora de Fátima ter visitado o Padre Pio, o bispo Paolo Carta tinha a sua própria opinião:
Gosto de acrescentar que ela veio também por causa do exemplo de devoção ardente do Padre Pio. A sua recuperação prodigiosa iria despertar na Itália e no mundo um fervoroso aumento de amor e confiança no Imaculado Coração de Maria.
E a partir deste maravilhoso episódio nós devemos fazer uma santa resolução de sempre crescer nesta devoção, com uma resposta generosa à mensagem de Fátima, recitando fervorosamente o Rosário todos os dias, rezando e oferecendo os nossos sofrimentos pela conversão dos pecadores, e recebendo a Comunhão nos primeiros sábados de cada mês, na esperança de que estas palavras consoladoras se tornem verdade para nós: ‘A quem abraçar esta devoção, prometo a salvação, e serão queridas de Deus estas almas, como flores postas por Mim a adornar o Seu trono.’
A promessa da Virgem de Fátima é que as almas por ela queridas seriam como “flores”. Pela resposta que deu às suas mensagens e pedidos, no entanto, o Padre Pio está mais para um ramalhete inteiro.

Por que adultos e crianças estão mais ansiosos que nunca


5 razões que explicam por que estamos todos tão estressados


De todas as preocupações de saúde mental dos dias atuais, uma pesquisa sugere que, nos EUA, a ansiedade é a queixa psicológica número um em crianças e adultos.
E, sim, isso está superando muitos outros grandes problemas mentais. Por exemplo, The 2013 Global Disease Burden Study declarou que “os distúrbios mentais e abuso de substâncias são a principal causa de doenças não fatais em todo o mundo, com uma carga de doenças global que supera o HIV/Aids, tuberculose, diabetes”. Devemos nos preocupar com as estatísticas. Especialmente quando você considera que o Instituto Nacional de Saúde Mental realizou amplas pesquisas em 2001 e 2003 de adultos selecionados aleatoriamente e descobriu que 46% dessas pessoas preencheram critérios para pelo menos uma doença mental em suas vidas.
E o fardo só parece piorar, já que estudos mais recentes indicam que as dificuldades psicológicas aumentaram significativamente ao longo do último meio século ou mais.
Mas, apesar de todos esses números assustadores, existem muitas maneiras pelas quais nossos filhos estão mais seguros do que nunca. Desde 1970, a mortalidade infantil diminuiu significativamente. Desde 1907, a taxa de mortalidade de crianças pequenas caiu quase 50 vezes. Nos últimos 40 anos, as taxas de crimes violentos contra crianças diminuíram mais de 60%.
Então, por que nós (adultos e crianças) estamos mais ansiosos do que nunca? Por que estamos sofrendo de preocupação grave e sofrimento mental? Eu pensei muito sobre esse paradoxo e acredito que existem cinco tendências sociais importantes que fornecem respostas para nosso estado de vida enervado:
A ameaça da mídia e dos dispositivos móveis
Uma infinidade de informações indica que o consumo de mídia e dispositivo móvel está fortemente correlacionado com muitas questões psicológicas, incluindo a ansiedade, mas as taxas de uso em ambas as áreas aumentaram apenas nas últimas décadas. Isso se traduz em uma realidade simples: quanto mais nossa juventude estiver ligada a uma tela, mais devemos nos preocupar.
Isto é especialmente verdadeiro com a exposição precoce à tela, já que os cérebros das crianças não possuem desenvolvimento neurológico e experiências de vida para amortecer as mensagens assustadoras e confusas que recebem através dela. Meu conselho? Não dê aos seus filhos pequenos os seus próprios dispositivos móveis (por mais tentador que seja para viagens de avião e passeios de carro) e certifique-se de que, pelo menos, dois dias por semana (além dos requisitos de lição de casa), eles ficarão sem tela.
Dificuldades para dormir
Evidências sugerem que os americanos estão dormindo 20% menos do que um século atrás. No entanto, a pesquisa descobriu que o sono está conectado a quase tudo. A ansiedade não é exceção. Aproximadamente 90% das pessoas com transtornos de ansiedade relatam problemas relacionados ao sono, e, sem dúvida, o sono e a ansiedade estão intimamente conectados. Se quisermos melhorar o sono de nossos filhos, remover todas as telas do quarto e garantir que as crianças vão para a cama às 21h fará a maior diferença. Clique aqui para mais dicas de sono.
À medida que o corpo vai, a mente também vai
Nos Estados Unidos, a prevalência de obesidade pediátrica mais do que triplicou nas últimas quatro décadas. Nossos filhos estão comendo mais e se movendo menos. Enquanto isso, os estudos consistentemente relacionaram a saúde mental com a atividade física, e parece que os alimentos processados são um dos culpados da saúde precária. Existem várias recomendações, mas três das mais importantes incluem o seguinte: certifique-se de que seu filho bebe mais água do que qualquer outra bebida; 30 minutos de atividade física (apenas metade do valor recomendado) devem ser não negociáveis; e pelo menos uma refeição por dia deve ser natural (considere a aveia real, frutas, legumes, vegetais, nozes…).
Assuntos de família
A boa notícia é que as taxas de divórcio se estabilizaram em grande parte nas últimas décadas, em comparação com um aumento significativo em meados dos anos 80. Mas, ao mesmo tempo, famílias de casais não casados continuam a aumentar drasticamente. Crianças nascidas de pais conviventes versus pais casados têm mais de 5 vezes maior risco de experimentar a separação de seus pais. Em 2000, de acordo com o US Census Bureau, 41% de todos os casais não casados incluíram uma criança menor de 18 anos. Em 1987, era 21%. Os estudos mostram repetidamente que as crianças que vivem em famílias conviventes são mais propensas a sofrer de dificuldades psicológicas, incluindo ansiedade. Este tópico não se presta a sugestões fáceis, mas sim aponta para a necessidade de todos os pais em considerar a importância das situações de vida e relacionamentos com a saúde mental de seus filhos.
“Não há medo no amor”
Embora a religião seja repleta de muitos resultados negativos, a fé, a espiritualidade e a religião têm sido uma fonte de enfrentamento e resiliência para muitas pessoas. Estudos em larga escala geralmente indicaram que a fé e um relacionamento forte com um poder superior estão associados com menos ansiedade, maior suporte social, maior estabilidade relacional, menor uso de substâncias e menos comportamentos negativos.
Aqui está a parte complicada: grande parte da associação positiva entre a religião e o ajuste psicológico parece dependente da fé durante a juventude, mas a pesquisa sugere que vamos a igreja mais do que antes (e não somos honestos quanto ao comparecimento). A participação regular na igreja e o envolvimento com organizações de serviços e grupos de jovens são duas chaves para reduzir a ansiedade em crianças.
Nós, como pais, ainda temos muita influência para combater esses cinco desafios. São necessárias decisões mundanas e corajosas para colocar a saúde e a estabilidade familiar em primeiro plano. Dizem que a frase “não tenha medo” é a frase mais repetida na Bíblia. Mas com as tendências de hoje não é tão fácil abraçar esse argumento. Porque se eu adicionasse mais um desafio a esta lista, seria a ansiedade dos pais. Se nós, como pais, estamos excessivamente ansiosos, nossos filhos provavelmente também estarão. Então, talvez a recomendação mais importante que eu poderia fazer é abordar a ansiedade dos adultos primeiro, então os pais podem ajudar melhor seus filhos a lidar com isso também.
Não tenho dúvidas de que você e eu não fomos concedidos para se preocupar com tudo. Lembro-me de Filipenses 4,6:
Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus”.

https://pt.aleteia.org/2017/07/11/por-que-adultos-e-criancas-estao-mais-ansiosos-que-nunca/?utm_campaign=NL_pt&utm_source=daily_newsletter&utm_medium=mail&utm_content=NL_pt

ESTE BLOG É DEDICADO À:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...