quarta-feira, 25 de abril de 2012

"A NECESSIDADE DO PERDÃO"



A palavra perdoar deriva do latim per + donare. «Per» significa intensidade, aumento, totalidade ou a fundo. «Donare» é o mesmo que doar. Portanto, perdoar poderia ser traduzido não só como absolver, desculpar, mas também como «doar intensa e totalmente» a dívida. Ora, doar significa dar sem querer ou esperar algo em troca, ou seja, dar gratuitamente. Assim, perdoar pode também ser compreendido como «dar totalmente» a dívida a alguém. Não em parte, não pela metade, mas «a fundo», totalmente. Isso significa dizer que não existe meio perdão nem perdão que guarda mágoas. Porque se perdoo, ou seja, se dou totalmente a dívida, não me resta nada, não me sobra nada para que possa exigir depois ou usar como justificativa para acusar a outra parte. Quando perdoamos alguém, rasgamos totalmente a dívida que aquela pessoa tinha connosco. Não sobra nada. Não há espaço para afirmações como «Eu já te perdoei, mas não quero mais falar contigo!», ou «Eu já te pedi perdão, mas ainda acho que tu estavas errado!».
O desafio do perdão
Mais do que um acto momentâneo e humano, o perdão é um modo de ser só ao alcance de Deus, tal como se deu a conhecer em Jesus Cristo: perdão total, definitivo e incondicional, para quem o queira acolher. Nós, cristãos, somos chamados a aprender de Deus este modo de ser e a praticá-lo, tanto quanto nos seja possível, dando testemunho da nossa condição de filhos de Deus, reconciliados pelo dom divino do perdão, concedido a toda a Humanidade em Jesus Cristo. É um serviço que prestamos ao mundo, em vistas da unidade e da reconciliação de todos os seres humanos entre si e com Deus.
O perdão não é, de modo algum, uma dádiva nossa aos outros. A dádiva é de Deus. Nós somos, apenas, testemunhas dela. E o nosso testemunho acontece pela acção e pela palavra: agir como gente perdoada, que perdoa e aprende cada dia a perdoar; e falar, anunciando Aquele que nos perdoa e nos ensina a perdoar.
Razões para o perdão
Quando perdoamos, deixamos de estar emocionalmente aprisionados à pessoa que nos fez mal. Ao princípio, experimentamos sentimentos negativos, como a raiva, a tristeza e a vergonha. Depois, tentamos compreender o que se passou ou ter em conta as circunstâncias atenuantes. Ao perdoar, recuperamos o nosso poder de escolha e a nossa liberdade. Não importa se o outro merece perdão; importa que nós merecemos ser livres. Outra razão por que poderemos recusar o perdão é o medo de manifestar fraqueza ou capitularmos. Mas perdoar não é libertar a outra pessoa é, isso sim, tirarmos o punhal que nos espetaram nas nossas próprias costas. Em muitos casos, a outra pessoa nem sequer está ciente do nosso descontentamento, enquanto nós nos dilaceramos com a amargura, a pessoa que nos magoou não sente nada. O passado fere-nos de cada vez que o revivemos e isso prejudica-nos.
História de perdão
O João regressou da escola enfurecido. O seu pai, que estava de saída para o quintal, chamou-o e perguntou-lhe o que se tinha passado. O João disse-lhe que estava cheio de raiva por causa de um comportamento menos correcto da parte de um colega que gozou com ele em frente de toda a turma e que por isso deseja-lhe todo o mal do mundo.
– O Luís humilhou-me na frente dos meus amigos. Não aceito. Gostaria que ele ficasse doente sem poder ir à escola.
O pai escuta tudo calado, enquanto caminha até um compartimento onde guardava um saco cheio de carvão. Levou o saco para o fundo do quintal e o João acompanhou-o.
– Filho, faz de conta que aquela camisa branca que a tua mãe pôs a secar é o teu amigo Luís e que cada pedaço de carvão é um mau pensamento teu, endereçado a ele. Quero que tu atires todo o carvão do saco na camisa, até o último pedaço. Depois voltarei para ver como ficou.
O João achou que seria uma brincadeira divertida e pôs mãos à obra.
O pai, que observava tudo, discretamente, aproximou-se e pergunta-lhe:
– Filho, como te sentes?
– Estou cansado mas alegre, porque, apesar de a camisa estar longe, consegui acertar-lhe com vários pedaços de carvão.
– Filho, vem comigo ao meu quarto, quero mostrar-te uma coisa.
E o pai colocou o filho em frente de um grande espelho. Que susto! Só conseguia ver os dentes e os olhos.
– Filho, viste que a camisa quase não se sujou; mas, olha para ti! Desejamos o mal aos outros, mas a porcaria, a sujidade e os resíduos ficam sempre em nós mesmos. Devemos perdoar sempre e não nos sujar.


Professor Abel Dias


sexta-feira, 20 de abril de 2012

Curiosidades da bíblia



• A Bíblia se divide em duas partes: Antigo Testamento e Novo Testamento. Tem 66 livros, sendo 39 no Antigo Testamento e 27 no Novo Testamento.

• O Salmo 119 tem, em hebraico, 22 seções de oito versículos. Cada uma das seções inicia com uma letra do alfabeto hebraico, de 22 letras. Dentro das seções, cada versículo inicia com a letra da seção.

• Que "o caminho de um sábado" era o caminho permitido no dia de sábado; a distância que ia da extremidade do arraial das tribos ao tabernáculo, quando no deserto, isto é, cerca de 1.200 metros.

• O capítulo 19 de II Reis é igual ao 37 de Isaías.

• No livro Lamentação de Jeremias, os capítulos 1, 2 e 4 têm versículos em número de 22 cada, compreendendo as letras do alfabeto hebraico. O capítulo 3 tem 66 versículos, levando cada três deles, em hebraico, a mesma letra do alfabeto.

domingo, 15 de abril de 2012

O zelo pelas coisas boas do mundo pôs de lado as coisas De Deus!




A Bíblia diz: "Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas" (Mt. 6:33). Estas são palavras do próprio Cristo, e não é uma sugestão, mas um mandamento. Jesus quer dizer o que Ele diz: "Se vocês buscarem primeiro ao Senhor, Ele vai tomar conta de todas as coisas pelas quais vocês têm trabalhado duro: carreira, negócios, lar, família. Mas vocês precisam fazer dEle a sua prioridade número um!” 
Estas pessoas ficam tão ocupadas com cada detalhe do dia a dia, que literalmente não têm tempo para as coisas mais profundas da vida espiritual. Elas estão dando o seu suor para construir os seus negócios, fazer progredir as suas carreiras, sustentar suas famílias -- mas o alvo de seu interesse ficou completamente desarranjado!

 O apóstolo Paulo acrescenta: "Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra. Pois morrestes, e a vossa vida está oculta com Cristo em Deus" (Cl 3:2-3) Mais uma vez, isto não é uma sugestão, mas um mandamento. Em grego, o significado é: "Concentre a sua atenção, ou interesses, nas coisas de cima". Em outras palavras: "Leve a sua concentração -- semelhante ao aço, ao concreto -- a ser direcionada às coisas de Deus. Torne-a inabalável, imbatível". Entenda por favor: Deus nunca pediu que todos nós vendêssemos as nossas casas, terras e propriedades; nunca disse que precisamos deixar os nossos empregos e nos tornarmos monges, passando a nos dedicar inteiramente à meditação e ao estudo bíblico. (Sim, Jesus disse isto, mas para um homem apenas -- porque as possessões deste homem haviam se tornado seus ídolos. Deus não diz isto para todos.)

Algumas pessoas me dizem: "Deus me mandou deixar esposa e filhos para entrar no ministério." Eu olho estas pessoas diretas nos olhos e digo: "Deus não lhe disse para fazer isto. Foi a sua própria mente ou então o diabo. O Senhor não se dedica a destruir casamentos!" Deus jamais lhe pedirá que faça algo deste tipo.

Mas Ele insiste em ser o centro da sua vida, em torno do Qual tudo mais gira. Ele exige que os Seus interesses, a Sua igreja, as Suas coisas tenham prioridade. É necessário que Ele seja o centro! A maior indignidade que qualquer cristão pode cometer contra o Senhor é deixá-Lo em uma posição secundária. Isto é uma tapa na face de Deus.

 Você pode achar que não é culpado de tamanha afronta contra Ele -- mas, como você prioriza o seu tempo? Por exemplo, quantas vezes você faltou à igreja em benefício dos seus negócios? Nestas ocasiões, não foram os seus clientes que ficaram aguardando -- foi Deus. Eles foram postos em primeiro lugar, acima dos Seus interesses! Compreendo que você não pode evitar faltar à igreja se você tem um trabalho que lhe impede de freqüentar -- se for, por exemplo, uma enfermeira ou um trabalhador noturno. Mas estou falando das pessoas que podem escolher -- aquelas que dirigem o seu próprio negócio, por exemplo, e que optam por trabalhar em vez de freqüentar a casa de Deus.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

"MIRRA E ALOÉS PERFUMAM TUAS VESTES"





Meu coração transborda num belo poema, eu dedico a minha obra a um rei, minha língua é a pena de escriba habilidoso. És o mais belo dos filhos dos homens, a graça escorre dos teus lábios, porque Deus te abençoa para sempre. Cinge a tua espada sobre a coxa, ó valente, com majestade e esplendor, vai cavalga pela causa da verdade, da mansidão e da justiça.
Tendes a corda do arco, tornando terrível a tua direita! Tuas flechas sã agudas, os povos submetem-se a ti, os inimigos do rei perdem a coragem. Teu trono é de Deus, para sempre e eternamente! O cetro do teu reino é cetro de retidão! Amas a justiça e odeias a impiedade.
Eis porque Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria, como a nenhum dos teus companheiros; mirra e alóes perfumam tuas vestes. Nos palácios de marfim, o som das cordas te alegra. Entre as tuas amadas estão as filhas dos reis; à tua direita uma dama, ornada com ouro de Ofir.
Ouve, ó filha, vê e inclina teu ouvido: esquece o teu povo e a casa do teu pai, que o rei se apaixone por tua beleza: prostra-te à sua frente, pois ele é o teu Senhor! A filha de Tiro alegrará teu rosto com seus presentes, e os povos mais ricos com muitas jóias cravejadas de ouro.
Vestida com brocados, a filha do rei é levada para dentro, até o rei,  com séquito de virgens.
Introduzem as companheiras a ela destinadas, e com júbilo e alegria elas entram no palácio do rei.
Em lugar de teus pais virão teus filhos, e os farás príncipes sobre a terra todas.
Comemorarei teu nome de geração, e os povos te louvarão para sempre e eternamente.


SALMO 45, 1-18 Bíblia de Jerusalém

terça-feira, 10 de abril de 2012

Como se devem evitar as conversas supérfluas


1. Evita, quanto puderes, o bulício dos homens, porque muito nos perturbam os negócios mundanos ainda quando tratados com reta intenção; pois bem depressa somos manchados e cativos da vaidade. Quisera eu ter calado muitas vezes e não ter conversado com os homens. Por que razão, porém, nos atraem falas e conversas, se raras vezes voltamos ao silêncio sem dano da consciência? Gostamos tanto de falar, porque pretendemos, com essas conversações, ser consolados uns pelos outros e desejamos aliviar o coração fatigado por preocupações diversas. E ordinariamente sentimos prazer em falar e pensar, ora nas coisas que muito amamos e desejamos, ora nas que nos contrariam.
2. Mas ai! Muitas vezes é em vão e sem proveito, pois essa consolação exterior é muito prejudicial à consolação interior e divina. Cumpre, portanto, vigiar e orar, para que não passe o tempo ociosamente. Se for lícito e oportuno falar, seja de coisas edificantes. O mau costume e o descuido do nosso progresso espiritual concorrem muito para o desenfreamento de nossa língua. Ajudam muito, porém, ao aproveitamento espiritual os devotos colóquios sobre coisas espirituais, mormente quando se associam em Deus pessoas que pensam e sentem do mesmo modo
.

A Imitação de Cristo - Tomás de Kempis
Capítulo 10

sábado, 7 de abril de 2012

"FILME: Sodoma e Gomorra"

"FILME: A Arca de Noé"

"FILME: A História de Ruth"

"FILME: Santa Terezinha do Menino Jesus"

"DOCUMENTÁRIO DE NOSSA SENHORA DE GUADALUPE"

"A VIDA E MEDALHA DE SÃO BENTO DE NURSIA"

"FILME DE PADRE PIO DE PIETRELCINA"

"SEGUIR NÚ, O CRISTO NÚ"

'DIANTE DO REI"

"NINGUÉM TE AMA COMO EU"

"PEREGRINO DO AMOR"

"ONDE ESTÁ TEU IRMÃO"

"TODOS QUE TENDES SEDE, VINDE A ÁGUA"


Ah! todos que tendes sede, vinde a água. Vós, os que tende dinheiro vinde, comprai e comei; comprai, sem dinheiro e sem pagar, vinho e leite.
Por que gastais dinheiro com aquilo que não é pão, e o produto do vosso trabalho com aquilo que não pode satisfazer?
Ouvi-me com toda atenção e comei o que é bom; deleitar-vos-ei com manjares revigorantes.
Escutai-me e vinde a mim, ouvi-me e vivereis.
Farei convosco uma aliança eterna, assegurando-vos as graças prometidas a Davi.
Com efeito, eu o pus como testemunha aos povos, como regente e comandante de povos.
Assim, tu chamarás por uma nação que não conheces, sim, uma nação que não te conhece acorrerá a ti,
por causa de Iahweh teu Deus, à busca do Santo de Israel, porque ele te cobriu de esplendor.
Procurai Iahweh enquanto ele se deixa encontrar, invocai-o enquanto está perto.
Abandone o ímpio o seu caminho, e o homem mau seus pensamentos, e volte a Iahweh, pois terá compaixão dele, ao nosso Deus, porque é rico em perdão.
Com efeito, meus pensamentos não são vossos pensamentos, e vossos caminhos não são meus caminhos, oráculo de Iahweh.
Quanto aos céus estão acima da terra, tanto meus caminhos estão acima dos vossos caminhos, e meus pensamentos acima dos vossos pensamentos. Como a chuva e a neve descem do céu e para lá não voltam, sem terem regado a terra, tornando-a fecunda e fazendo-a germinar, dando semente ao semeador e pão ao que come, tal ocorre com a palavra que sai da minha boca: 
Ela não volta a mim sem efeito; sem ter cumprido o que eu quis realizado objetivo de sua missão.


ISAÍAS 55, 1-11 Bíblia de Jerusalém

quinta-feira, 5 de abril de 2012

ELIZABETH DA TRINDADE (1880-1906) SELEÇÃO DE FRASES DAS CARTAS DA BEATA ELISABETH DA TRINDADE



Seleção I
Eu sou “Elisabeth da Trindade”, ou seja, a Elisabeth que desaparece, que se perde nos Três e
se deixa invadir por eles.
Só nos resta esvaziar-nos, desapegarmo-nos de tudo, para que nada mais exista senão Ele, e só
Ele… É aos pés da cruz que a gente sente em profundidade todo esse vazio das criaturas, essa
sede infinita d´Ele.
Sim, nós lhe pertencemos totalmente, entreguemo-nos todas ao nosso predileto Jesus num
generoso abandono! Fazer a sua vontade é o que há de mais belo. Ofereçamos-lhe nosso exílio. É
tão doce sofrer por quem se ama…
Amemos, portanto, o nosso Dileto, mas com amor calmo e profundo! Permaneçamos em
recolhimento ao lado Daquele que é (Esd 3,14), junto ao Imutável cuja luz sempre resplende sobre
nós. Nós somos aqueles que não são. Vamos até ele, que quer que sejamos todas suas e que nos
envolve por toda parte, de maneira que já não somos mais nós que vivemos, mas sim ele (cf. Gl
2,20). Como é grande a bondade do divino Prometido e como parece refulgir mais na obscuridade da
prova! Ele nos marca com o sinete da cruz para que mais nos assemelhemos a ele… Na realidade,
existem correspondências de amor que só se pode compreender na cruz.
Ele me aparece sempre mais ao meu pensamento como a Águia divina. Nós somos a presa do
seu amor. Agarra-nos, coloca-nos sobre suas asas e leva-nos para longe, às alturas sublimes
onde a alma e o coração gostam de perder-se!
… acaso podemos desejar alguma coisa que ele não queira? Porventura não estamos prontas a
permanecer neste mundo enquanto ele quiser? Como é bonito unir, identificar a nossa vontade
com a dele! Que alegria sofrer, dar algo a quem se ama.
“Deus em mim, e eu nele” deve ser o nosso lema. Que jubiloso mistério a presença de Deus
dentro de nós, neste íntimo santuário das nossas almas onde sempre podemos encontrá-lo,
também quando não percebemos mais sensivelmente a sua presença! Que importa o sentimento?
Talvez ele esteja também mais perto, quando menos o sentimos.
É aqui, no fundo da alma, que gosto de procurá-lo. Preocupemo-nos em não deixá-lo jamais
sozinho, e em que a nossa vida seja uma contínua oração. Quem poderá, acaso, raptar-nos o
nosso Bem-Amado ou distrair-nos daquele que nos tomou e nos fez totalmente suas? Como é
grande a sua bondade!
… Os seus sofrimentos agradam muito ao seu Bem-Amado, o qual se compraz em prolongá-los
desta maneira. Eles constituem o sinal da sua predileção, da sua vontade de uni-la intimamente a
si. Se ele nos prova, ocultando-se à nossa alma, é porque já sabe que o amamos demasiado para
que o deixemos. Por isso, deixemos que ele ofereça também a outras almas as suas doçuras e as
suas consolações para atraí-las a si. E nós amemos esta obscuridade que nos aproxima dele.
Se soubesse como às vezes sinto nostalgia do céu! Como gostaria de voar para lá, junto de meu
Deus! Percamo-nos nessa Trindade Santa, nesse Deus todo Amor, deixemo-nos transportar nessas
regiões onde não há mais do que ele, só ele!
Pertencemos-lhe… deixemos que o nosso Bem-Amado nos tome e leve aonde melhor lhe
aprouver… o meu coração não agüenta mais, pois está todo possuído por Ele! Mas o que estou
dizendo? Ele não se apodera de nós para levar-nos para longe, Ele que está sempre dentro de
nós: Ele, o “Imutável”, “Aquele que é” (Ex 3,14).
… Encontrei o meu céu na terra, nesta querida solidão do Carmelo onde estou a sós com meu
único Deus. Tudo faço com ele e realizo todas as coisas com alegria divina.
Oh! Sinto que todos os tesouros encerrados na alma de Cristo são meus e me sinto, assim, tão
rica. Com que alegria e felicidade vou abeberar-me neste manancial em favor de todos aqueles
que amo e que me fizeram tanto bem.
Aqui não há nada, nada mais que ele somente. Ele é tudo, ele basta, só se vive dele e
encontramo-lo por toda parte…
… quando se sente triste, diga-o àquele que tudo sabe, que tudo compreende e que é o Hóspede
de sua alma. Pense que ele se acha dentro de você como numa pequena hóstia.
Durante o dia, pense às vezes naquele que está dentro de você e que tem tanta sede de ser
amado. É perto dele que você sempre me há de encontrar!
Veja só como é maravilhosa a união das almas! Devemos amar-nos acima de tudo o que é
passageiro: então nada pode separar. Amemo-nos assim.
Aconselho-a a simplificar o número de livros… Pegue o seu crucifixo, olhe-o, ouça-o. Você sabe
que é ali que temos nosso encontro.
Mesmo no trabalho, podemos rezar ao bom Deus: basta pensar nele. Então tudo se torna suave e
fácil, porque não agimos sozinho, mas ali também Jesus está atuando.
Amo sempre mais estas queridas grades que me constituem prisioneira do amor.
Vivamos com Deus como com um amigo. Procuremos avivar a nossa fé para comunicar-nos com
ele através de todas as coisas, pois assim conseguimos a santidade.
Nós carregamos o céu dentro de nós, porque aquele que sacia os bem-aventurados, na luz da
visão beatífica, entrega-se a nós na fé e no mistério.
… o abandono leva-nos a Deus. Eu sou muito jovem, mas às vezes me parece que já sofri muito.
Então, nesses momentos de confusão, quando o presente me era tão doloroso e o futuro me
parecia ainda mais obscuro, eu fechava os olhos e me abandonava como uma criança nos braços
daquele Pai que está nos céus.
Não basta deter-nos diante da cruz e contemplá-la, mas precisamos recolher-nos na luz da fé,
elevar-nos mais alto e pensar que ela constitui o instrumento do amor divino.
A Carmelita é uma alma que contemplou o divino Crucificado, que o viu oferecer-se como vítima
ao seu Pai em prol das almas; ela reflete à luz desta grande visão da caridade de Cristo e
compreendeu, assim, a paixão de amor da sua alma e quis entregar-se como ele!…
… Vivamos na intimidade com o nosso Amado, sejamos totalmente dele como ele é
completamente nosso.
Bem que eu quisera ser uma alma totalmente silenciosa e adoradora para poder penetrar sempre
mais nele. Quisera encher-me de Sua plenitude, que pudesse dá-lo mediante a oração àquelas
pobres almas que ignoram o dom de Deus!
Quando contemplo a minha vida passada, descubro, como que uma divina perseguição de amor
sobre minha alma. Oh! Quanto amor! Sinto-me como que esmagada sob o seu peso e só me
resta calar e adorar!
Quer saber como é que me comporto quando me encontro um pouco cansada? Olho para o
crucifixo, e, vendo como ele se sacrificou por mim, sinto que só posso prodigalizar-me por ele e
consumir-me, a fim de restituir-lhe um pouco daquilo que me deu!
E pensar, minha boa Madre, que temos o céu dentro de nós, aquele céu de que às vezes sinto tão
pungente nostalgia!
Oh! Se você soubesse como ele é bom, como é todo amor! Eu lhe peço que se revele à sua alma,
que seja o amigo que você sempre saiba encontrar. Então tudo se esclarece e ilumina e a vida se
torna algo tão belo de viver!
Creio que não há nada que nos manifesta tanto o amor que está no coração de Deus como a
Eucaristia. É a união consumada, é ele em nós e nós nele; e não lhe parece que isto é o céu na
terra? Ele colocou no meu coração uma sede de infinito e uma necessidade tão grande de amar, que só
ele pode saciar. O sacrifício é um sacramento que nos leva a Deus. Ele o envia àqueles que ama e que deseja estejam perto dele!
… Se o bom Deus nos separou, é porque ele quer ser o Amigo que a gente sempre pode
encontrar. Ele está postado à porta do coração… e espera.
E eu amo tanto aquele Deus que me quer ciumentamente só para si. Sinto tanto amor me
envolvendo a alma! É como se fosse um oceano em que me lanço e me perco… Ele está em mim
e eu nele. Só tenho que amá-lo e deixar que me ame, a cada instante, em cada coisa.
A alma não pode resistir ao seu apelo. Ele subjuga, acorrenta; a gente não se pertence mais a si,
mas nos tornamos a presa do seu amor. O coração pode sofrer arranhões, mas na alma reina
uma paz inefável…
Eu sou “Elisabeth da Trindade”, ou seja, a Elisabeth que desaparece, que se perde nos Três e se
deixa invadir por eles. Vivamos de amor, sejamos simples como ela, sempre no mais completo abandono, imolando-nos momento após momento no cumprimento da vontade de Deus, sem procurar coisas
extraordinárias. Nós somos tão fracas ou, até mesmo, não somos senão miséria; mas ele sabe disso e gosta de perdoar-nos, de soerguer-nos e, depois de, de arrebatar-nos para junto de si, na sua pureza, na
sua santidade infinita. Quero ser santa. Santa para fazê-lo feliz. Peça-lhe que eu só viva de amor! Esta é a minha vocação!
Os santos são almas que se esquecem a todo instante de si, que desaparecem de tal maneira
naquele que amam, que não se preocupam com sua própria pessoa…
Como compreendo, agora, o recolhimento e o silêncio dos santos que não conseguiam mais
abandonar a sua contemplação.
Gosto de contemplar a minha vida de carmelita nesta dupla vocação: “Virgem-Mãe”. Virgem,
desposada com Cristo na fé. Mãe, salvando as almas e multiplicando os filhos adotivos do Pai…
Não existem mais distâncias, porque já é o Uno como no céu… o céu que um dia chegará quando
então veremos a Deus na sua luz.
Reze por mim: o horizonte é maravilhoso, o sol divino faz brilhar a sua grande luz. Peça que a
borboletazinha queime suas asas em seus raios.

http://reporterdecristo.com/elizabeth-da-trindade-1880-1906

domingo, 1 de abril de 2012

" A AÇÃO DA SABEDORIA NA HISTÓRIA"



Foi ela que protegeu o primeiro modelado, pai do mundo, que fora criado em solidão; levantou-o de sua queda e lhe deu poder de tudo dominar. Dela se afastou, em sua cólera, um injusto, arruinou-se em sua sanha fratricida.
Por sua culpa a terra foi submersa, e outra vez a Sabedoria a salvou, pilotando o justo numa frágil embarcação. Quando os povos, concordes na malícia, foram confundidos, ela reconheceu o justo e o guardou imaculado diante de Deus, conservando-o forte, sem abrandar-se diante de seu filho.
Na ruína dos ímpios, foi ela que salvou os justo, fugitivo do fogo que descia sobre a Pentápolis.
Testemunho daquela maldade, resta ainda um ermo fumegante, árvores frutíferas de fruto malogrados e, memorial à alma incrédula, ergue-se uma coluna de sal!
Pois, desprezando a sabedoria, não só se mutilaram ignorando o bem, mas também deixaram aos vivos um memorial de sua insensatez, para que suas faltas não ficassem ocultas.
Mas a Sabedoria livrou das provações os seus fiéis. Ela guiou, por caminhos planos, o justo que fugia da ira do irmão; ela lhe mostrou o reino de Deus e lhe deu a conhecer as coisas santas; deu êxito às suas tarefas e recompensa aos seus trabalhos; assistiu-o contra opressores cobiçosos e o enriqueceu; guardou-o de seus inimigos, defendeu-o de quantos o assediavam; deu-lhe um prêmio numa áspera batalha, para ensinar-lhe que a piedade é mais forte do que tudo. Não abandonou o justo vendido, mas o preservou do pecado; desceu com ele na cova e não o deixou em suas cadeias, até trazer-lhe o cetro real e o poder sobre seus tiranos; desmascarou os que difamavam e seu-lhe uma glória eterna.

SABEDORIA 10, 1-14 (Bíblia de Jerusalém)

"A FORÇA INÚTIL E LIMITADA DO HOMEM QUE LUTA SÓ E SE ESQUECE DE DEUS"



Quanto tempo já ouvimos o nome de Jesus e achamos que Ele é algo inacessível ou ainda que Ele só faz acontecer na vida dos outros e não na nossa. Muitas vezes achamos difícil a mudança de situação da nossa vida. Ficamos cativos, prisioneiros de um de um mau que nos limita, nos impede de crescer na vida.
Como será que o nosso vazio foi criado, como será que ele ainda está sendo alimentado, porque razão muitas vezes nossa vida não muda, não vivemos em plenitude, em estado de graça?
Queremos o melhor desta terra, queremos o melhor carro, a melhor casa, a melhor roupa,o melhor emprego. Buscamos riquezas e status. Buscamos o melhor, mas deixamos Jesus Cristo de lado!
Que "melhor" é esse que buscamos? Um melhor utópico, um melhor passageiro?
Como podemos buscar tudo e não estar junto com Jesus Cristo que é o melhor de tudo?
O tempo de aflições, tempestades, dificuldades não podem determinar o fim dos sonhos em nossas vidas.
Achamos difícil mudar porque tentamos com nossas próprias forças, a força inútil e limitada do homem que luta só e se esquece de Deus. Falta prevenção, quando estamos prevenidos temos melhores condições de escolher os melhores caminhos, e essa prevenção só podemos conquistar pedindo ajuda, auxílio ao Deus todo poderoso. Muitas vezes Deus quer nos falar algo e muitas vezes também não queremos  parar para ouvir a Deus, para meditar a sua palavra ou ainda silenciar o nosso interior para entrar em comunhão com Ele.
Muitas vezes a precipitação toma o lugar do discernimento, da espera e da paciência e quando realmente refletimos sobra a escolha feita pode ser tarde demais, e aí começa o sofrimento.
Em Isaías 48, 17 diz: Assim diz Iahweh, o teu redentor, o Santo de Israel:
Eu sou Iahweh teu Deus, aquele que te ensina para o teu bem , aquele que te conduz pelo caminho que deves trilhar. Através da palavra de Deus é a melhor maneira de buscarmos orientação de Deus para nossas vidas
Que nesses 40 dias possamos refletir bem em qual caminho estamos, Deus nos permite fazer as nossas escolhas, mas Ele sempre quer o melhor para cada um de nós.
A sensação de vazio só sairá quando deixarmos que Deus atue em nossas vidas, quando entendermos que nossas forças humanas não são nada, quando houver arrependimento, quando pararmos de lutar sozinho, quando entendermos que as escolhas de Deus para nossas vidas são as melhores.

ESTE BLOG É DEDICADO À:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...