quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Piedade

A piedade é dom do Espírito Santo que dá ao homem o amor e o respeito às coisas religiosas, levando-o à oração e aos exercícios de piedade e às obras de caridades corporais e espirituais. A verdadeira piedade não leva ao desleixo das obrigações urgentes do estado de vida abraçado, para ficar o dia inteiro na igreja, descuidado das coisas do lar ou dos deveres de Estado. Assim, São Paulo chega a dizer que a piedade é útil para tudo. Por meio da piedade mantemos um contato contínuo com Deus na oração, mas sem pieguice nem esquisitices que mais incomodam os outros do que edificam. A verdadeira piedade sempre edifica e move o próximo à imitação.

Frei Danillo Marques da Silva, OFM

terça-feira, 29 de outubro de 2013

O demônio odeia os padres

São João Crisóstomo, segundo me disseram, disse que o chão do inferno é acarpetado com os crânios dos padres. Eu nunca ter localizado a fonte. No entanto, quando ouvimos as palavras do Senhor sobre moenda e aqueles que os merecem, e nós ouvimos as suas palavras sobre "a quem muito é dado," parece que alguns sentem tremor perante está em ordem.


Sacerdotes, especialmente, devem ser aterrorizados por essas advertências. As oportunidades para a glória espetacular (não as do mundo) ou o perigo espetacular (também não o do mundo) confrontar, a cada dia, a cada homem ordenado único da Igreja Católica. Um bom sinal de que um sacerdote agarra a realidade de sua responsabilidade e o preço do fracasso é que ele faz uma hora santa diante do Santíssimo Sacramento todos os dias.

E os leigos católicos devem, devem, devem rezar pelos sacerdotes todos os dias. O diabo odeia os sacerdotes. Ele quer nada mais do que entregá-los simultaneamente ao desprezo do mundo e as dores eternas do inferno. Satanás não se cansa.

Relatos das falhas morais do clero, de párocos, continuam a envergonhar a Igreja e desencorajar os fiéis, e eles nos lembram de nossa obrigação de rezar pelos sacerdotes, para seu bem e para o bem daqueles cujas vidas eles tocam para uma melhor ou para o mal, o visível e o invisível.

Em todo o caos em ambos os lados do Atlântico, você pode ter perdido a infeliz notícia de que um membro muito respeitado e muito bem colocado do clero de uma importante Diocese da Costa Leste (EUA) foi acusado há um mês ou mais por venda ilegal de metanfetaminas .

Além disso, ele foi acusado de lavagem de dinheiro sobre as vendas em uma loja que vendia dispositivos destinados a facilitar a prática do desvio. Infelizmente, as taxas continuam: Este padre é acusado de ter cedido a esses desvios mesmíssimos na companhia de outros homens em sua casa paroquial.

(Eu não fornecerei o link da história pela simples razão de que, mesmo mencionando, corro o risco de provocar o apetite caído para a lascívia que Santo Agostinho chamou de "concupiscência dos olhos", que foi exponencialmente agravado pela Internet).

Se o conto sórdido provar ser um mal-entendido gigante, será outro terrível escândalo para a Igreja que terá que suportar, e que vai abalar a fé de quem se diz católico.

Quando ouço histórias como esta, lembro da observação de Belloc que, a prova de que a Igreja Católica é uma instituição divina é que, desde a crucificação, ela foi prosperando, apesar das deficiências daqueles a quem o Senhor a confiou os seus cuidado . No entanto, o suposto comportamento deste sacerdote particular é desanimador.

Isso é só a ponta do iceberg. No caso do padre das metanfetamina, a sua posição, influência e estatura em sua diocese não pode deixar de significar que o dano que ele causou é maior do que nós sabemos.

Ele foi secretário de dois bispos, e reitor da catedral. É uma incógnita quanto dano invisível este homem fez a partir dessas posições de autoridade diocesana. Quantos bons padres que ele impediu de se tornar pastores? Quantos hereges que ele viu nomeado para as escolas diocesanas? Quanta liturgia irreverente que ele causou ou permitiu, e quanta coisa na liturgia que ele atrapalhava? Quantas boas vocações que ele desencorajou?

Quantas almas não ouviram a doutrina católica ou não tiveram a sólida direção espiritual por causa deste sacerdote? Nós realmente não temos ideia do que mais fez este home. Ore para as vítimas de abuso sexual clerical. Ore para que os sacerdotes cujas transgressões tiverem causado tanto mal. Ore para que os ordinários que deliberadamente esconderam ou fecharam os olhos aos pecados de seu clero.

E rezem para os católicos, cujo número é conhecido apenas por Deus, que sofrem alguns por ignorância, alguns em dores agudas de consciência pelo engano, intrigas, irreverência e heresia do clero cujos intelectos e vontades, destinados ao serviço de Deus, foram desfigurados por seus pecados horríveis.

Traduzido por Tiago Rodrigo da Silva, para o Veritatis Splendor, do original em inglês “The Devil Hates Priests” do site catholic.com.





São Narcisio



O santo de hoje, São Narciso, foi Bispo de Jerusalém e, quando se deu tal fato, devia ter quase cem anos de idade. Narciso não era judeu e teria nascido no ano 96. Homem austero, penitente, humilde, simples e puro, sabe-se que presidiu com Teófilo de Cesareia a um concílio onde foi aprovada a determinação de se celebrar sempre a Páscoa num Domingo.

Eusébio narra que em certo dia de festa, em que faltou o óleo necessário para as unções litúrgicas, Narciso mandou vir água de um poço vizinho, e com sua bênção a transformou em óleo. Conta também as circunstâncias que levaram Narciso a demitir-se das suas funções.

Para se justificarem de um crime, três homens acusaram o Bispo Narciso de certo ato infame. "Que me queimem vivo - disse o primeiro - se eu minto". "E a mim, que me devore a lepra", disse o segundo. "E que eu fique cego", acrescentou o terceiro. O desgosto de ser assim caluniado despertou em Narciso o seu antigo desejo pelo recolhimento e, por isso, sem dizer para onde ia, perdoou os caluniadores e saiu de Jerusalém em direção ao deserto. Considerando-o definitivamente desaparecido, deram-lhe por sucessor a Dio, ao qual por sua vez sucederam Germânio e Górdio. Todavia, os três caluniadores não tardaram a sofrer os castigos que em má hora tinham invocado, pois o primeiro pereceu num incêndio com todos os seus, o segundo morreu de lepra e o terceiro cegou à força de tanto chorar o seu pecado.

Alguns anos depois, Narciso reapareceu na cidade episcopal. Nunca tinha sido posta em dúvida a santidade do seu procedimento.; por isso, foi com imensa alegria que Jerusalém recebeu seu antigo pastor. Segundo diz Eusébio, continuou Narciso a governar a diocese até a idade de 119 anos, auxiliado por um coadjutor chamado Alexandre.

Faleceu cerca do ano de 212.

São Narciso, rogai por nós!

http://www.cancaonova.com/portal/cana...

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Fariseus e Publicanos

É muito provável que todos tenhamos, em alguma medida, as características tanto do fariseu quanto do publicano do evangelho de hoje. Esses dosi personagens sobem ao templo para suas práticas religiosas. Eles representam duas atitudes contrapostas. Cada um tem seu jeito de rezar e carrega no coração a imagem particular que Deus e do modo de relacionar-se com ele.
O fariseu não se sente "como os outros"; julga-se muito melhor, pois é fiel cumpridor de seus deveres religiosos. obedece em tudo ao que a lei determina. Com isso, pensa ter crédito com Deus. Nada, porém, diz de suas obras de caridade e de compaixão.
O publicano (cobrador de impostos: por isso, odiado pelos judeus) "bate no peito" e reconhece a necessidade do amor e da misericórdia divina. Não é autosuficiente e sabe que não tem méritos diante de Deus. Tem consciência de ser pecador e malvisot por todos, em que pese o fato de garantir o próprio sustento com sua profissão.
E perigo está em nso considerarmos melhores que os outros. Quando isso acontece, acabamos desprezando as pessoas e as destruímos com nossas criticas; tornamo-nos insensíveis aos apelos e necessidades dos irmãos. Nossas belas práticas de piedade podem não ser o bastante: precisamos ir além do simples. cumprimento dos deveres religiosos.
Sermos cristãos e praticantes assíduos da religião nada nos garante. No mundo atual, frequentemente deparamos com novos publicanos - mendingos, dependentes químicos, prostitutas, sem teto, sem terra... -, e ai de nós se nos consideramos melhores do que eles! Diante de Deus, ninguém é mais nem melhor do que ninguém. Se em nós se misturam o fariseu e o publicano, qual o fundamento de nos julgarmos mais que os outros por este ou aqule motivo?
Infelizmente ainda estão vivos o farisaísmo e a arrogância que nos impedem de ver-nos como somos e falsificam nossa relação com Deus e com os irmãos e irmãs. Reconhecer isso é o primeiro passo para a mudança!

Pe. Nilo Luza, ssp sobre o evangelho do dia 27/10/2013

Sim, existe um inferno

Certa vez um amigo que se diz católico me disse: "eu não acredito em inferno." O senhor pode dar uma resposta a esta afirmação?
A Escritura sagrada claramente atesta a um lugar de condenação eterna chamado inferno ou às vezes referido a como Gehenna. Os exemplos são os seguintes: Jesus disse que o homem que desprezar seu irmão "incorrerá os fogos da Gehenna" (Mt 5,22). Nosso Senhor advertiu, "não temais os que matam o corpo mas não podem matar a alma. Antes, temei quem pode destruir tanto corpo como alma na Gehenna" (Mt 10,28). Jesus disse, "Se tua mão te faz cair, corta-a. Melhor você entrar na vida com uma só mãos que manter ambas as mãos e ir para a Gehenna com seu fogo inextinguível" (Mc 9,43). Usando a parábola do joio e do trigo para descrever o julgamento final, Jesus disse, "os anjos lançarão [os malfeitores] na fornalha inflamável onde prantearão e moerão os seus dentes (Mt 13,42). Semelhantemente, quando Jesus falou do julgamento final onde a ovelha será separada dos lobos, Ele dirá ao mau, "afastai-vos de mim, malditos, para o fogo perpétuo preparado para o demônio e seus anjos (Mt 25,41). Finalmente, no Livro da Revelação, cada pessoa é julgada individualmente e os malfeitores são lançados em uma "fosso de fogo, a segunda morte" (20,13-14).

Apenas para clarificação, Gehenna era um vale ao sul de Jerusalém que era utilizado para sacrifícios pagãos de crianças pelo fogo. O profeta Jeremias amaldiçoou o lugar e predisse que seriam um lugar de morte e corrupção. Na literatura rabínica tardia, o termo identificava o lugar de castigo eterno com torturas e fogo inextinguível para os maus.

Dessa forma, a Igreja consistentemente ensinou que de fato o inferno existe. Que as almas que morrem num estado de pecado mortal imediatamente vão para o castigo eterno no inferno. O castigo do inferno é principalmente a separação eterna de Deus. Lá se sofre o sentido de perda?a perda do amor de Deus, a perda da vida com Deus, e a perda da felicidade. Amor verdadeiro, vida, e felicidade são relacionadas a Deus, e cada pessoa as deseja. Entretanto, só Nele o homem achará sua realização (cf. CCE 1035).

A pessoa condenada também sofre dor. As descrições dadas sobre esse "fogo" pela Constituição Apostólica Benedictus Deus (1336) do Papa Benedito XII disseram que as almas "sofreriam a dor do inferno," e o Concílio de Florença (1439) decretou que as almas "seriam punidas com castigos diferentes".

Alguns santos tiveram visões de inferno. Irmã Faustina descreveu o inferno como segue: "Hoje fui dirigida por um Anjo aos abismos do inferno. É um lugar de grande tortura; como terrivelmente grande e extenso é! As espécies de torturas eu vi: A primeira tortura que constitui o inferno é a perda de Deus; a segunda é o remorso perpétuo da consciência; a terceira é que aquela condição nunca mudará; a quarta é o fogo que penetrará na alma sem destruí-la?um sofrimento terrível, como é um fogo puramente espiritual, aceso pela ira de Deus; a quinta tortura é a escuridão ininterrupta e um terrível e sufocante odor. Apesar da escuridão, os demônios e as almas dos condenados vêem todos os males, os próprios e dos outros; a sexta tortura é a companhia constante de Satanás; a tortura sétima é o desespero horrível, aversão de Deus, palavras vis, maldições e blasfêmias. Estas são as torturas sofridas por todos os condenados, mas isto não é o fim dos sofrimentos. Há torturas especiais dos sentidos. Cada alma sofre sofrimentos indescritíveis, terríveis, relacionados à maneira com que se pecou. Há cavernas e fossas de tortura onde uma forma de agonia difere da outra. Teria morrido na mesma visão destas torturas se a onipotência de Deus não tivesse me apoiado. Escrevo isto no comando de Deus, de modo que nenhuma alma pode achar uma desculpa por dizer não há inferno, nem que ninguém jamais esteve lá e por isso não se pode dizer como ele é".

Devemos lembrar que Deus não predestina ninguém ao inferno nem deseja que alguém seja condenado. Deus nos confere a graça atual que ilumina o intelecto e fortalece a vontade de modo que podemos fazer o bem e desviar do mal. Entretanto, uma pessoa, com o consentimento do seu intelecto, pode escolher praticar o mal e com essa escolha, cometer pecado mortal, e assim rejeitar Deus. Se uma pessoa não se arrepende do pecado mortal, não tem qualquer remorso e persiste neste estado, então esta rejeição de Deus continuará para a eternidade. Em resumo: as pessoas se condenam ao inferno.

O papa João Paulo II, em Cruzando o Limiar da Esperança (pp. 185-6) endereçou a pergunta, "Pode Deus, que amou tanto o homem, permitir que o homem que O rejeita seja condenado a tormento eterno?" Citando a Escritura Sagrada, o Santo Padre na sua resposta repete o ensino inequívoco de nosso Senhor. Ele também nos lembra que a Igreja nunca condenou uma pessoa particular ao inferno, nem mesmo Judas; antes, a Igreja deixa todo julgamento nas mãos de Deus. Entretanto, o Papa, por uma série de perguntas, afirma que o Deus de Amor é também o Deus de Justiça, que nos faz responsáveis por nossos pecados e assim nos pune.

Devemos orar pela graça de resistir à tentação e seguir o caminho do Senhor e ao mesmo tempo procurando o perdão para qualquer queda que venhamos a cometer. Falando sobre a jornada da Igreja Peregrina, o Vaticano II na Constituição Dogmática sobre a Igreja (n. 48) escreve, "desde que não se sabe nem o dia nem a hora, devemos seguir o conselho do Senhor e vigiar constantemente de modo que, quando o único curso de nossa vida terrena for completada, possamos merecer entrar com Ele na festa das bodas e sermos numerados entre os abençoados e não como os serventes maus e preguiçosos, sermos enviados ao fogo eterno, na escuridão exterior onde 'haverá prantos e ranger de dentes.'" Por esta mesma razão, nós oramos na primeira Oração Eucarística da Missa, "Pai aceita esta oferenda de toda sua família. Conceda-nos sua paz nesta vida, poupa-nos da condenação final, e conta-nos entre os escolhidos".

Traduzido para o Veritatis Splendor por Rondinelly Ribeiro Rosa.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

A hipótese de consórcio sexual de anjos maus com seres humanos

Em conseqüência, compreende-se que é totalmente insustentável a sentença dos que atribuem aos espíritos maus consórcio com mulheres.

É certo, porém, que desde a época pré-cristã há pensadores que falam de relações sexuais de demônios com seres humanos. Assim os judeus de Alexandria, entre 250 e 100 a.C, ao traduzirem a Bíblia do hebraico para o grego (tradução alexandrina ou dos LXX), verteram o hebraico bene-eiohim (filhos de Deus) de Gn 6, 2 por ángeloi tou Theou (anjos de Deus) e atribuíram a estes relações sexuais com as filhas dos homens; de tal consórcio teriam nascido homens gigantescos (cf. Gn 6, 1-4). Os escritores judeus Filon de Alexandria (t 44 d.C.) e Flávio José (| 100 d.C.) repetiram a mesma concepção (cf. Filon, De Gigantibus 6ss; De somniis 133ss: Flávio José, Antiquitates 131 § 73), que se tornou freqüente nos apócrifos judeus.

Vários escritores cristãos dos quatro primeiros séculos, por sua vez, professaram a mesma teoria; assim S. Justino (f 165), Taciano (t após 172), Atenágoras (f 177), S. Ireneu (f 202), Clemente de Alexan­dria (f antes de 215), S. Metódio de Olimpo (f 311), S. Cipriano de Cartago (t 258), S. Basílio de Cesaréia (f 379), S. Ambrósio (f 397). Esta tese era devida à falsa tradução apresentada pelos LXX e aceita pelos anti­gos. Favorecia-a o inadequado conceito de espírito que muitos escrito­res dos primeiros séculos professavam: influenciados pelos estóicos, admitiam, sim, que os espíritos tivessem uma corporeidade sutil, a qual explicaria o pretenso relacionamento com mulheres.

Com o tempo, porém, foi-se implantando entre os cristãos a tradu­ção da Vulgata de S. Jerônimo (f 421), que em Gn 6, 2 não falava de anjos, mas simplesmente de filhos de Deus, como o texto hebraico. Além disto, o conceito de espírito foi-se depurando, de modo a não se lhe atribuir corporeidade.

Muito típico da evolução de pensamento é, por exemplo, o livro dos Diálogos, atribuído a S. Gregório de Nazianzo. Este se pergunta como os anjos, sendo incorpóreos, puderam ter consórcio carnal com mulhe­res e gerar gigantes. Acaba julgando absurda e blasfema tal tese. O mes­mo se lê nas obras de S. Cirilo de Alexandria (f 444): afirma que os anjos não têm corpo nem procuram as volúpias da carne; além do quê, obser­va que as Escrituras em Gn 6, 2 falam de filhos de Deus e não de anjos de Deus. Muitos outros testemunhos da transição do pensamento dos doutores da Igreja nos séculos IV/V se encontram no artigo "Démon d'après les Pères", de E. Mangenot, em "Dictionnaire de Théologie Catholique" IV/1, col. 339-384.

Isto explica que na Idade Média os grandes teólogos como S. Boaventura (f 1274), S. Tomás de Aquino (t 1274), Duns Scoto (t 1308), S. Alberto Magno (f 1280) tenham abandonado por completo a teoria de relações carnais dos anjos com mulheres. Todavia ficou na crença popu­lar a concepção de que os demônios podiam unir-se sexualmente a se­res humanos; por isto algumas publicações da Idade Média (e ainda de épocas posteriores) falavam de demônios ácubos (os que se deitavam por cima) e de súcubos (os que se deitavam por baixo)... Alguns pronunci­amentos de Concílios e de Papas atribuíram largas partes ao demônio na vida dos homens, admitindo mesmo a possibilidade de relações carnais dos mesmos com mulheres. Ampla documentação a propósito acha-se coletada no artigo "Documentos Eclesiásticos sobre Práticas Supersticio­sas e Demoníacas" de Frei Constantino Coser O.F.M., publicado em REB, vol. XVII, março de 1957, pp. 54-88. É certo, porém, que nenhum desses documentos tem a força de definição dogmática; trata-se de orientações dadas para atender à problemática de séculos passados muito propensos a admitir o demônio em todo fenômeno física ou moralmente hediondo.

Em nossos dias, está totalmente fora de cogitação a hipótese de consórcio sexual de anjos maus com seres humanos; a teologia só pode classificar tal crença como falha em suas próprias premissas, visto que supõe corporeidade nos demônios; trata-se, pois, de um produto da fan­tasia, que a piedade popular pôde alimentar, mas que há de ser estrita­mente dissipado.

http://www.veritatis.com.br/doutrina/demonios/956-hipotese-de-relacao-com-seres-humanos

Santo Antonio Maria Claret

Vídeo Santo do Dia do dia 24 de Outubro, Santo Antônio Maria Claret

-----------



O santo lembrado hoje foi de muita importância para a Igreja que guarda o testemunho de sua santidade, que mereceu a frase do Papa Pio XI que disse: "Antônio Maria Claret é uma figura verdadeiramente grande, como apóstolo infatigável". Nasceu em 1807 em Sallent (Província de Barcelona -- Espanha), ao ser batizado recebeu o nome de Antônio João, ao qual ele veio depois acrescentar o de Maria como sinal de sua especial devoção à Santíssima Virgem: "Nossa Senhora é minha Mãe, minha Madrinha, minha Mestra, meu tudo, depois de Cristo".

Antônio Maria ajudou o pai numa fábrica de tecidos até os 22 anos, quando entrou para o seminário de vida, pois almejava um sacerdócio santo e como padre desejou consagrar-se nas difíceis missões da Espanha. Ao ver a pobreza dos missionários e as portas se abrindo, Antônio Maria, com amigos, tratou de fundar a "Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria", conhecidos como Claretianos.

O Carisma era evangelizar todos os setores, por meio da caridade de Cristo que constrangia, por isso dizia: "Não posso resistir aos impulsos interiores que me chamam para salvar almas. Tenho sede de derramar o meu sangue por Cristo!" Mal tinha fundado a Congregação, o Espírito o nomeou para Arcebispo de Santiago de Cuba, onde fez de tudo, até arriscar a própria vida, para defender os oprimidos da ilha e converter a todos, conta-se que ao chegar às terras cubanas foi logo visitar e consagrar o apostolado à Nossa Senhora do Cobre.

Com os amigos o Arcebispo Santo Antônio Maria Claret, evangelizou milhares de almas, isto através de missões populares e escritos, que chegaram a 144 obras. Fundador das Religiosas de Maria Imaculada, voltou a Espanha, também tornou-se confessor e conselheiro particular da rainha Isabel II; participou do Concílio Vaticano I, e ao desviar-se de calúnias retirou-se na França onde continuou o apostolado até passar pela morte e chegar na glória em 24 de outubro de 1870.

Foi beatificado em 1934 pelo Papa Pio XI e canonizado por Pio XII em 1950. Pelo seu amor ao Imaculado Coração de Maria e pelo seu apostolado do Rosário, tem uma estátua de mármore no interior da Basílica de Fátima.

Santo Antônio Maria Claret, rogai por nós!

-----------

COMUNIDADE EL SHADDAI:
http://elshaddaimarilia.com

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Oração de Cura e Perdão - Pe. Robert DeGrandis, ssp




Senhor Jesus Cristo, hoje quero perdoar a mim mesmo por todos os meus pecados, faltas e tudo que há de mau em mim por tudo que acho que é mau.

Senhor, perdoa-me por qualquer especulação no ocultismo, por ter recorrido à prancheta ouija, horóscopos, práticas espíritas, por ter procurado cartomantes, por ter acreditado em amuletos, por ter usado o Teu nome em vão, por não Te adorar, por ter ofendido meus pais, por ter-me embriagado, usado drogas, cometido pecados contra a castidade, adultério, abortos, roubos, mentiras. Eu me perdôo verdadeiramente.

Senhor, quero ser curado por qualquer rancor, mágoa e ressentimento para contigo nas ocasiões em que achei que Tu enviavas mortes, doenças, desgostos e dificuldades financeiras à minha família e eu imaginava que fossem castigos. Perdoa-me, Jesus. Cura-me!

Senhor, eu perdôo minha mãe pelas vezes que ela me magoou, me deixou ressentido, zangou-se comigo, castigou-me, deu-me preferência a meus irmãos e irmãs em meu prejuízo , chamou-me de pasmado, feio, estúpido ou acusou-me de dar muitas despesas à família, ou quando me disse que eu não havia sido desejado, que nasci por acaso, por engano ou não correspondera ao que ela esperava.

Perdôo meu pai por todas as vezes em que não me deu apoio, pela sua falta de amor, falta de afeto, falta de atenção, falta de tempo, falta de companheirismo; pelas suas bebedeiras, pelas suas brigas, especialmente com minha mãe ou com os outros filhos, pela severidade de seus castigos, pelo abandono em que nos deixou, saindo de casa, divorciando-se de minha mãe, por suas ausências.

Senhor, perdôo meus irmãos e minhas irmãs por me rejeitarem, por mentirem a meu respeito, por terem raiva de mim, por me magoarem, por disputarem comigo o amor meus pais, por me agredirem fisicamente ou fazerem minha vida desagradável de qualquer maneira. Eu os perdôo, querido Senhor.

Senhor, perdôo meu marido (ou minha mulher) por sua falta de amor, falta de afeto, falta de consideração, falta de apoio, falta de comunicacao, pelas tensões, pelas falhas, desgostos ou quaisquer outros atos ou palavras que me ofendem ou perturbam.

Senhor, perdôo meus filhos por sua falta de respeito, de obediência, de amor, de atenção, de apoio, de compreensão, pelos seus maus hábitos, por quaisquer más ações que possam perturbar-me.

Senhor, perdôo minha avó, meu avô, tios, tias, primos e primas que interferiram em nossa família e causaram confusão, voltando um pai contra o outro.

Senhor, perdôo meus parentes por parte de meu casamento, especialmente minha sogra. Perdôo também meu sogro, cunhados e cunhadas.

Senhor, oro, hoje, especialmente pela graça de perdoar meus genros e noras e outros parentes por afinidade que tratam meus filhos com falta de amor.

Jesus, ajuda-me perdoar meus companheiros de trabalho que são agradáveis ou infelicitam minha vida. Aqueles que me empurram serviço, que falam mal de mim, que não querem cooperar comigo ou tentam tirar o meu emprego. Eu os perdôo hoje.

Meus vizinhos precisam ser perdoados, Senhor. Por todo o barulho que fazem, por não cuidarem de sua propriedade, não prenderem seus cães e deixarem-nos passar para o meu quintal, por não recolherem suas latas de lixo, por nos prejudicarem e abusarem de nós, eu os perdôo.

E agora perdôo meu pároco, a minha congregação e a minha Igreja por toda a falta de apoio, mesquinharia, falta de amizade, seus sermões, por não me afirmarem como deveriam, por não me proporcionarem inspiração, por não me usarem numa posição chave, por não me convidarem para servir em setores que exigem maior capacidade e por quaisquer outras ofensas que me tenham feito. Eu os perdôo hoje.

Senhor, eu perdôo todos os profissionais que de alguma forma me tenham prejudicado - médicos, enfermeiras, advogados, policiais, funcionários de hospitais. Por qualquer coisa que me tenham feito, eu realmente os perdôo hoje.

Senhor, perdôo o meu patrão por não me pagar um salário suficiente, por não valorizar o meu trabalho, por ser indelicado e injusto comigo, por irritar-se e por não se mostrar meu amigo, por não me promover e não fazer nenhum elogio ao meu trabalho.

Senhor, perdôo meus professores e instrutores de meus tempos de estudante bem como os de agora. Perdôo aqueles que me castigaram, me humilharam, em insultaram, me trataram injustamente, caçoaram de mim, chamaram-me de bobo ou de estúpido ou me retiveram na escola depois das aulas.

Senhor, perdôo meus amigos que me abandonaram, que perderam contato comigo, que não me apóiam, que não se mostram disponíveis quando preciso de ajuda, que me pediram dinheiro emprestado e não me pagaram, que falaram mal de mim.

Senhor, Jesus, peço especialmente a graça do perdão para aquela determinada pessoa, em minha vida, que mais me ofendeu. Peço-Te que me ajudes a perdoar qualquer pessoa a quem eu considere como meu maior inimigo, aquela que me seja mais difícil perdoar ou aquela outra que eu jurei que jamais perdoaria.

Obrigado, Jesus, por me estares libertando do mal da falta de perdão e eu Te suplico que me perdoes por todas as pessoas que foram ofendidas por mim.Obrigado, Senhor, pelo amor que através de mim veio para elas.

Amém


http://facecatolico.net/group/exorcismo

Quem eram os "demônios caprinos" mencionados na bíblia?

Em Levítico 17,7 e 2Crônicas 11,15, o termo (seirim, no plural) é usado com referência a coisas a que se dá adoração e se oferecem sacrifícios em conexão com o paganismo. Na Versão dos Setenta grega, a palavra é vertida "coisas sem sentido" e na Vulgata latina, "os demônios" (a versão Ave Maria traduz como "sátiros"). Tradutores modernos e lexicógrafos muitas vezes adotam o mesmo conceito, traduzindo-a por "demônios", "sátiros" (Al, ALA, CBC, PIB) ou "demônios caprinos". — NM; Lexicon in Veteris Testamenti Libros, Hebrew, German and English Lexicon of the Old Testament.

Aparentemente, os israelitas haviam sido influenciados até certo ponto pela idolatria praticada no Egito. (Jos. 24,14; Eze. 23,8,?1) Por isso, alguns eruditos acham que Levítico 17,7 e 2Crônicas 11,15 indicam que existia alguma forma de adoração de bodes entre os israelitas, como havia de modo destacado no Egito. Heródoto afirma que os gregos derivaram deste culto egípcio a sua crença em Pan e nos sátiros, deuses lascivos da floresta, representados com chifres, rabo de bode e pernas de bode.

A Bíblia não diz o que, exatamente, eram tais "peludos ou hirsutos". O termo não necessariamente indica ídolos em forma de bode, pois o uso de "bodes" pode apenas ser uma expressão de desprezo, assim como a palavra para "ídolo" se deriva dum termo que originalmente significava "bolotas de esterco". É possível que "peludos" ou "bodes" simplesmente indicasse que, na mente dos que os adoravam, tais deuses falsos eram concebidos como de forma caprina ou peluda na aparência.

O sentido de se’irim em Isaías 13,21 e 34,14 não é tão claro, visto que não se condena ali diretamente o paganismo. Descrevendo a ruína desolada em que se tornaria Babilônia, Isaías escreveu: "Porém, nela, as feras do deserto repousarão, e as suas casas se encherão de corujas; ali habitarão os avestruzes, e os sátiros pularão ali." (Isa. 13,21) É interessante notar que a Versão dos Setenta diz neste caso "demônios" (a versão da Bíblia Judaica de Lesser diz "espíritos maus" e a Bíblia de Rotherham diz "criaturas peludas"); e em Ap. 18,2, a descrição de Babilônia, a Grande, menciona que ela é moradia de aves impuras e de "demônios".

Por conseguinte, se se’irim, em Isaías 13,21 e 34,14, há de ser entendido como se referindo a algo além do significado de "bode", é apropriada a tradução "demônios caprinos", coerente com a tradução em Levítico 17,7 e 2Crônicas 11,15.

Isaías pode ter intercalado na sua lista de animais e aves literais uma referência aos demônios, não querendo dizer que se materializariam em forma de bodes, mas que os pagãos em redor de Babilônia e de Edom imaginariam que tais lugares fossem habitados por demônios. A História mostra que o povo da Síria e da Arábia já por muito tempo associava criaturas monstruosas com tais ruínas. E se houve animais hirsutos nas ruínas desoladas de Edom e de Babilônia, os observadores talvez fossem induzidos a pensar em demônios.

Libertação do Alcoolismo

Pai querido, hoje me coloco nas tuas mãos… Como gostaria de poder nascer de novo, de voltar no ventre de minha mãe e ser uma nova criança livre deste mal que me atormenta por todo este tempo.

Quero hoje te pedir em súplicas e lágrimas por tudo que tenho passado por causa deste vício maldito do alcoolismo, que entrou na minha vida de uma forma tão simples e tão sorrateira e vindo arruinar a minha vida.

Como tenho me sentido inútil nesta situação, tem dias que gostaria de ter a força e o poder de Jesus para me livrar desta escravidão tão terrível que me atormenta dia e noite, mesmo quando estou dormindo, não me da sossego, é como que minha vida tivesse um único sentido beber e nada mais.

Pai querido, sei que muito dessas dependências pode ter vindo pelo sangue dos meus antepassados, seja dos meus a avos, meus pais e eu acabei alimentado-me desta desgraça, e ela entrou em minha vida e foi desencadeando esta força maligna e destruidora como uma erva daninha que se aloja dentro de nos.

Sei que sozinho não sou capaz, mesmo com ajuda de meus familiares, com os conselhos de meus amigos e de muitas pessoas que gostam de mim, me sinto incapaz de vencer este mal…

Quero hoje experimentar nascer de novo, como tu disse a Nicodemos, é preciso nascer de novo, pela água e pelo Espírito Santo, se é esta graça que eu preciso clama Ti agora, vem água redentora de Jesus que jorrou do seu peito na cruz inebriar-me, lavando-me por inteiro, todo meus neurônios afetados pelo álcool, toda causa da dependência seja ela genética, ou mesmo de comunicação genética, seja meu metabolismo, meu paladar, olfata, minha visão que só me faz ver a bebida, vem fogo do espirito santo queimando em mim e fazendo toda terapia e quimioterapia no meu sangue contaminado pelo álcool.

Vem sangue redentor de Jesus me libertando de todo vício que me contaminaram por bebidas vindas do ocultismo e consagradas as entidades espíritas, que eu possa ter bebido delas, sejam em festas de Iemanjá, sejam em rodas de consagrações e oferendas, estou em nome de Jesus renunciada todas as bebidas consagradas que bebi e que alguém me deu para beber, lava-me Jesus desta dependência e que ela não tenha mais poder sobre mim e que nenhum espirito maligno possa usar dos meus desejo e vontade para me estimular a beber de novo…

Quero hoje também em nome de Jesus perdoar a cada pessoa que me estimulou a beber, que me levou para o vício, os que pagaram bebidas para mim, os que me deram em festas ainda quando pequeno, quando não tinha ainda consciência deste mal, seja os meus familiares que levaram bebidas para minha casa e aquilo me estimulou a fazer oque eles faziam, quero perdoar a mim mesmo por ter aceitado compassivamente a beber, seja por causa da minha timidez, por causa das minhas rejeições, seja por causa de minhas inferioridades, seja por causa de meus medos, seja para buscar estímulos para minhas fraquezas , vem Jesus com seu sangue redentor me lavando a cada uma dessas áreas de minha vida, preciso mais do que nunca ser livre deste mal e desta doença tão angustiante.

Quero te pedir Jesus, assim como tu fostes livres e não te deixastes escravizar por nada deste mundo, da-me deste tua graça , da-me da tua força que foi capaz de resistir a estas tentações tão estimulante em nossa vida, lava-me Jesus todo meu inconsciente, consciente, que foi gravando esta necessidade, este estimulo em meu celebro para que ele processa esta necessidade, eu preciso Jesus ser livre em cada área de minha vida, não posso continuar depende mais deste vício tão maldito que esta me destruído toda minha capacidade seja intelectual, emocional, espiritual, tudo esta sendo afetado hoje em dia em minha vida, vem Jesus com teu poder me libertar, eu permito tua cura em minha vida…

Senhor , quero te pedir perdão, pelas vezes que dominado pelo álcool, fui motivo de escanda-lo para minha família, pelas vezes que cai por terra, fiquei estirado nas ruas, nos bares, nas festas como se fosse um resto humano desfigurado, as vezes cai no meu próprio vomito, sujo e desfigurado, pelas vezes que briguei, fui causa de violência e perturbei as outras pessoas com palavrões e ofensas, que perdi meus empregos e que as únicas pessoas que valorizei foi os que bebiam comigo, perdoa-me Senhor que eu fiz meu corpo templo de Deus um templo de álcool…liberta-me desta desfiguração humana…

Senhor clamo o teu perdão, por tudo que joguei fora, seja meu salario, meus bens, meu emprego, as amizades que perdi, meus familiares que não me suportam mais, nem mesmo olhar para mim, outros me vêem como um resto, um nada ou como alguém que só causa problemas e sofrimentos…liberta-me Senhor desta maldição e não quero que nada disso vá para para a minha progenitura, vem me curando desta mal e me lavando com seu sangue….

Senhor, olhe com misericórdia por mi e por este vício maldito, porque muitas vezes que me pediram para internar-se, para ir a um tratamento, eu rejeitei e briguei, ofendi a cada pessoa que me ofereceu socorro, que não tive coragem de lutar contra este v´cio, que me acomodei com ele, vem Senhor com teu poder me dar coragem agora e me reanimar para recupera este tempo perdido no alcool

Tenha compaixão de mim, porque me senti incapaz, para a minha vida afetiva, minha vida sexual, para meus relacionamentos de trabalho, para minha vida de oração, de ir a Igreja e até mesmo pensando em morrer bebendo e o vejo que isto não me leva a nada, liberta-me destes pensamento e deste sentimentos que me atormento meu interior…lava-me Jesus com teu sangue…

Sei Senhor, que através desta oração, Tu esta me acolhendo no seu amor restaurado e me fazendo renascer de novo pela força do Espirito Santo, e sei que isto vai exigir de mim muito, até mesmo as se for necessário me internar em numa clínica, ou ter quer freqüentar um grupo de ajuda, o AA, um grupo de oração, quero mês esforçar , por isso clamo teu poder, tua fortaleza para que eu não desanime mesmo que eu posso recair um dia, sei que esta não é a tua vontade, e já te agradeço por toda esta cura que o Senhor faz em mim…. me lavando, me purificando de todo mal que o alcoolismo fez em mim…louvado seja teu nome e o teu poder em minha vida, agora a minha vida te pertence e quero ser um homem novo…Amem!!!!!

Padre Vagner Baia

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

O Demônio existe?

"É claro que o pecado é um produto da liberdade do homem. Porém, no profundo dessa realidade humana, existem fatores em ação que a colocam para além do meramente humano, na área limite onde a consciência do homem, a sua vontade e a sua sensibilidade estão em contato com as forças das trevas. Elas, de acordo com São Paulo, estão ativas no mundo quase a ponto de dominá-lo (Rm 7,7-25; Ef 2,2; 6,12)" (Papa João Paulo II, Exortação Apostólica à Reconciliação e à Penitência, julho 1993)

Neste trabalho, procuramos apresentar os ensinamentos do Catecismo da Igreja Católica a respeito da existência dos demônios, em linguagem simples, para ser mais acessível. Aqui não há idéias particulares, mas somente o que a Igreja Católica atesta serem verdades de fé em que todo católico deve acreditar.

Em resumo, a Igreja nos ensina que existem seres chamados demônios, que eram anjos, autoconscientes e inteligentes, que se revoltaram contra Deus, e que espalham o mal no mundo. O chefe destes anjos é Lúcifer, chamado de Satanás ou Diabo.

É por isso que antes de receber os sacramentos do Batismo, Crisma e Eucaristia o católico deve renunciar a Satanás e todas as suas obras.


Os Anjos (§328-330)

A existência de seres espirituais, não-corporais, que a Sagrada Escritura chama de anjos, é uma verdade de fé. São criaturas puramente espirituais, dotadas de inteligência e vontade. São criaturas pessoais e imortais. Superam em perfeição todas as criaturas visíveis.


A Queda dos Anjos (§391-395)

A desobediência dos primeiros pais (Adão e Eva) foi incitada por Satanás, o Diabo. Ele é um ser, um anjo destronado. Antes ele era um anjo bom, criado por Deus. Mas agora ele se opõe a Deus e por inveja, leva os homens à morte. O Diabo e os outros demônios foram criados bons por Deus e se tornaram maus por sua própria iniciativa.

Esses anjos cometeram um pecado. Essa queda foi uma opção livre desses espíritos criados, que rejeitaram de forma total e definitiva a Deus e o seu Reino. Temos um reflexo desta rebelião nas palavras que o Tentador disse a nossos primeiros pais: "Vocês serão como deuses."

O Diabo é pecador desde o princípio, assassino desde o princípio e pai da mentira. Ele até chegou a tentar desviar Jesus de sua missão. Pois Jesus se manifestou para destruir as obras do Diabo.

Mas o poder de Satanás não é infinito. Ele é poderoso por ser um espírito, mas é apenas uma criatura. Não pode impedir a edificação do Reino de Deus. Ele age no mundo por ódio a Deus e ao seu reino em Jesus Cristo.

Deus permite que o Diabo aja, e isso é um grande mistério, mas nós sabemos que Deus coopera em tudo para o bem daqueles que o amam.


Um Duro Combate (§407-411)

Pelo pecado original o Diabo adquiriu uma certa dominação sobre o homem, embora este continue livre. O pecado original causa a servidão debaixo do poder daquele que tinha o império da morte, isto é, do Diabo.

O mundo está em uma situação dramática: o mundo inteiro está sob o poder do Maligno.

Mas Deus não nos abandonou. Deus anunciou o combate entre a serpente (o Diabo) e a Mulher (Maria Imaculada) e a vitória final de Jesus Cristo.


O Nome de Jesus (§434)

A Ressurreição de Jesus glorifica o nome do Deus Salvador, pois a partir de agora é o nome de Jesus que manifesta totalmente o poder supremo do nome acima de todo nome. Os espíritos maus temem seu nome.


A Tentação de Jesus (§538-539)

Após o retiro de Jesus ao deserto, Satanás o tentou por três vezes. Pela sua obediência a Deus, Jesus tornou-se o vencedor do Diabo. Ele venceu o Tentador por nós.


Jesus Desceu à Mansão dos Mortos (§635)

Cristo desceu às profundezas da morte. Jesus, o Príncipe da vida, destruiu pela morte o dominador da morte, isto é, o Diabo.

Por isso, ao nome de Jesus todo joelho se dobra no Céu, na Terra e nos Infernos.


A Obra de Cristo na Liturgia (§1086)

Jesus nos libertou do poder de Satanás e da morte e nos transferiu para o reino do Pai.


O Batismo (§1237)

Como o Batismo significa a libertação do pecado e do seu instigador, o Diabo, pronuncia-se um exorcismo sobre o candidato. Este é ungido com o óleo dos catecúmenos ou então o celebrante impõe-lhe a mão, e o candidato renuncia explicitamente a satanás.


Exorcismo (§1673)

Quando a Igreja exige publicamente e com autoridade, em nome de Jesus Cristo, que uma pessoa ou objeto sejam protegidos contra a influência do maligno e subtraídos a seu domínio, fala-se em exorcismo. Jesus o praticou e é dele que a Igreja recebeu o poder e o encargo de exorcizar.

O exorcismo visa expulsar os demônios ou livrar da influência demoníaca, e isto pela autoridade espiritual que Jesus confiou à sua Igreja. Bem diferente é o caso de doenças, sobretudo psíquicas, cujo tratamento depende da ciência médica. Antes de celebrar o exorcismo, é importante ter certeza de que se trata de uma presença do maligno e não de uma doença.


O Homem Imagem de Deus (§1708)

Pela sua paixão, Cristo livrou-nos de Satanás e do pecado.


A Idolatria (§2113)

Existe idolatria quando o homem presta honra e adoração a uma criatura em lugar de Deus. Por exemplo: deuses ou demônios - o satanismo.


A Mentira (§2482)

Mentira é dizer o que é falso com a intenção de enganar. O Senhor denuncia na mentira uma obra do Diabo: Vós sois do diabo, vosso pai, ... nele não há verdade: quando ele mente, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.


A Inveja (§2538)

É pela inveja do demônio que a morte entrou no mundo.


Livrai-nos do Mal (§2851-2855, 2864)

Neste pedido da oração do Pai-Nosso, o Mal não é uma abstração (uma idéia, uma força, uma atitude), mas designa uma pessoa: Satanás, o Maligno, o anjo que se opõe a Deus.

O Diabo é aquele que se atravessa no meio do plano de Deus e de sua obra de salvação realizada em Cristo.

Assassino desde o princípio, mentiroso e pai da mentira, Satanás, sedutor de toda a terra habitada. Foi por ele que o pecado e a morte entraram no mundo e é por sua derrota definitiva que a criação toda inteira será liberta da corrupção do pecado e da morte.

Nós sabemos que todo aquele que nasceu de Deus não peca; o Gerado por Deus se preserva e o Maligno não o pode atingir. Nós sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro está sob o poder do Maligno.

O Senhor que arrancou vosso pecado e perdoou vossas faltas está disposto a vos proteger e a vos guardar contra os ardis do Diabo que vos combate, a fim de que o inimigo, que costuma engendrar a falta, não vos surpreenda. Quem se entrega a Deus não teme o Demônio. Se Deus é por nós, quem será contra nós?

A vitória sobre o príncipe deste mundo foi alcançada, de uma vez por todas, na Hora em que Jesus se entregou livremente à morte para nos dar a sua vida. É o julgamento deste mundo e o príncipe deste mundo é lançado fora. Ele põe-se a perseguir a Mulher (Maria), mas não tem poder sobre ela: a nova Eva, cheia de graça por obra do Espírito Santo, é libertada do pecado e da corrupção da morte (Imaculada Conceição e Assunção da Santíssima Mãe de Deus, Maria, sempre virgem).

Enfurecido por causa da Mulher, o Dragão foi então guerrear contra o resto dos seus descendentes. Por isso o Espírito e a Igreja rezam: Vem, Senhor Jesus, porque sua Vinda nos livrará do Maligno.

Ao pedir que nos livre do Maligno, pedimos igualmente que liberte de todos os males, presentes, passados e futuros, dos quais ele é autor ou instigador.

O príncipe deste mundo atribuíra a si mentirosamente os três títulos de realeza, poder e de glória; Cristo, o Senhor, os restitui a seu Pai e nosso Pai, até entregar-lhe o Reino quando será definitivamente consumado o Mistério da salvação e Deus será tudo em todos.

Neste pedido, "livrai-nos do mal", o cristão pede a Deus, com a Igreja, que manifeste a vitória, já alcançada por Cristo, sobre o Príncipe deste mundo, sobre Satanás, o anjo que se opõe pessoalmente a Deus e a seu plano de salvação.
 

Santo Inácio de Antioquia



Neste dia deparamos com a fé ardente, doação completa e amor singular ao Cristo do mártir Inácio, sucessor de São Pedro em Antioquia da Síria, que desde a infância conviveu com a primeira geração dos cristãos.

Como Bispo foi muito amado em Antioquia e no Oriente todo, pois sua santidade brilhava, tanto que o prenderam devido a sua liderança na religião cristã, durante o Império de Trajano, por volta do ano 107.

Chamado Teóforo - portador de Deus - Inácio, ao ser transportado para Roma, sabia que cristãos de influência na corte imperial poderiam impedi-lo de alcançar Cristo pelo martírio, por isso, dentre tantas cartas que enviara para as comunidades cristãs, a fim de edificar, escreveu em especial à Igreja Católica em Roma: "Eu vos suplico, não mostreis comigo uma caridade inoportuna. Permiti-me ser pasto das feras, pelas quais me será possível alcançar Deus, sou trigo de Deus e quero ser moído pelos dentes dos leões, a fim de ser apresentado como pão puro a Cristo. Escutai, antes, as feras, para que se convertam em meu sepulcro e não deixem rasto do meu corpo. Então serei verdadeiro discípulo de Cristo".

Nesta mesma carta há uma preciosa afirmação sobre a presença de Cristo na Eucaristia: "Não encontro mais prazer no alimento corruptível nem nos gozos desta vida, o que desejo é o pão de Deus, este pão que é a carne de Cristo e, por bebida, quero seu sangue, que é o amor incorruptível".

Santo Inácio escreveu sete cartas: Epístola a Policarpo de Esmirna, Epístola aos Efésios, Epístola aos Esmirniotas, Epístola aos Filadélfos, Epístola aos Magnésios, Epístola aos Romanos, Epístola aos Tralianos.

Santo Inácio foi, de fato, atirado às feras no Coliseu em Roma no ano 107, e hoje intercede para que comecemos a ter a têmpera dos mártires a fim de nos doarmos por amor.

Santo Inácio de Antioquia, rogai por nós!

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Santa Edwiges

Santa Margarida Maria Alacoque



Santa Margarida Maria Alacoque - 16 de Outubro

Deus suscitou este luzeiro, ou seja, portadora da luz, que é Cristo, num período em que na Igreja penetrava as trevas do Jansenismo (doutrina que pregava um rigorismo que esfriava o amor de muitos e afastava o povo dos sacramentos). O nome de Santa Margarida Maria Alacoque está intimamente ligado à fervorosa devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Nasceu na França em 1647, teve infância e adolescência provadas, sofridas. Órfã de pai e educada por Irmãs Clarissas, muito nova pegou uma estranha doença que só a deixou depois de fazer o voto à Santíssima Virgem.

Com a intercessão da Virgem Maria, foi curada e pôde ser formada na cultura e religião. Até que provada e preparada no cadinho da humilhação, começou a cultuar o Santíssimo Sacramento do Altar e diante do Coração Eucarístico começou a ter revelações divinas.

"Eis aqui o coração que tanto amou os homens, até se esgotar e consumir para testemunhar-lhe seu amor e, em troca, não recebe da maior parte senão ingratidões, friezas e desprezos". As muitas mensagens insistiram num maior amor à Santíssima Eucaristia, à Comunhão reparadora nas primeiras sextas-feiras do mês e à Hora Santa em reparação da humanidade.

Incompreendida por vários, Margarida teve o apoio de um sacerdote, recebeu o reconhecimento do povo que podia agora deixar o medo e mergulhar no amor de Deus. Leão XIII consagrou o mundo ao Sagrado Coração de Jesus e o Papa Pio XIII recomendou esta devoção que nos leva ao encontro do Coração Eucarístico de Jesus. Santa Margarida Maria Alacoque morreu em 1690 e foi canonizada pelo Papa Bento XV em 1920.


Santa Margarida Maria Alacoque, rogai por nós!

http://www.cancaonova.com/portal/cana...

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Frases de Santa Tereza Dávila


 
"O Senhor quer mostrar à alma que Ele pretende unir-se a ela numa amizade tão íntima de modo que, entre eles, não exista coisa alguma dividida"

"Devemos guardar-nos em querer entender as coisas de Deus e procurar quais são as suas razões"

"A alma que Deus expõe aos olhos do público deve se preparar para ser mártir do mundo: embora não queira morrer para o mundo, ele a fará fenecer"

"Quando Deus assim o quer, nós só podemos estar sempre com Ele"

"A dor pelos pecados cresce em proporção aos favores que o Senhor nos concede: e julgo que só desaparece quando coisa alguma pode suscitar compaixão"

"O amor de Deus não está nos deleites espirituais, mas em estar firmemente resolvidos a contenta-lo em todas as coisas, tentando todo esforço para não ofendê-lo, e rezando pelo aumento da honra e da glória do seu Filho e pela exaltação da Igreja Católica"

"Só porque derramamos muitas lágrimas, não devemos pensar que já alcançamos a perfeição. Antes, pratiquemos muitas obras e exercitemos a virtude, pois estas são as coisas que mais convém para o nosso caso"
 
"A oração não é senão um fato de amor, e é insensato pensar que só se faz oração quando se dispõe de tempo e solidão"

"Ó Senhor, experimento tanta alegria ao pensar que as minhas infidelidades fazem com que melhor conheça a vossa misericórdia, que sinto suavizar-se a dor pelas graves ofensas que vos fiz"

"No nosso próximo, procuremos ver tão somente as virtuides e as boas obras e cubramos os seus defeitos considerando os nossos pecados"

"Tenho como certo que uma alma de oração, que se entretenha com homens doutos, jamais será enganada pelo demônio, a não ser que deseje enganar-se a si mesma. O demôniotem muito medo da força interior humilde e virtuosa, por que sabe que seria descoberto e levaria a pior"

"Deus tem cuidado dos nossos interesses muito mais do que nós mesmos, sabendo o que convém a cada um"

"A todos que tudo abandonam por amor de Deus, Ele se entrega totalmente"

"Em assunto de contemplação, muitas vezes Deus leva vinte anos para dar a alguém aquilo que a outros dá em apenas um ano. O motivo disso somente Ele o sabe"

"Tenho certeza de que Deus jamais deixa de favorecer as almas firmemente decididas a ser dele"

"O caminho da cruz é o que Deus reserva aos seus escolhidos: quanto mais os ama, mais os sobrecarrega de tribulações"

"Quando é o coração que reza, Ele sem dúvida nos atende"

"Existem almas tão simples que nada sabem sobre os costumes e os assuntos do mundo, mas que, no entanto, muito entendem das relações com Deus"

"A coragem em sofrer muito ou sofrer pouco está sempre na proporção do amor"

"Oração e maneiras sofisticadas não combinam"

"Quanto mais santas fordes, mais afáveis devereis mostrar-vos"

"As cruzes dos contemplativos são muito pesadas, e o Senhor só as manda para as almas já provadas desde muito tempo"

"Não há melhor meio para descobrir as insídias do demônio e obrigá-lo a dar-se a conhecer, do que o da oração"

"Muitas vezes, quando menos se pensa e sequer estamos preocupados com Deus, Sua Majestade agita a alma ugual a um relâmpago ou semelhante a um cometa que passa rapidamente"

"O Senhor dirige cada pessoa segundo o que julga ser melhor"

"Não há nada mais útil e mais agradável a Deus do que esquecermo-nos de nós mesmos, dos nossos interesses, das nossas satisfações pessoais, para ocuparmo-nos da sua honra e da sua glória"

"Deus distribui os seus bens como quer, quando quer e a quem quer, sem fazer discriminação com ninguem"

"É um fato que, embora saibamos que estamos sempre na presença de Deus, muitas vezes negligenciamos em pensar nisso"

"Ele exige que nada reserveis. Seja pouco ou muito o que tendes. Ele quer tudo para si: por maiores ou menores que sejam as graças que tiverdes, sempre serão, porém, em proporção com aquilo que houverdes dado. Para saber se a nossa oração chega ou não à unificação não há prova melhor"

"A vida é longa e é tão cheia de tribulações que para suportá-las com perfeição sempre é preciso considerar como as assimilaram Cristo, nosso modelo, os seus Apóstolos e os Santos"

"Rezar pelos que estão em pecado mortal é uma esmola muito grande"

"Ó Senhor! Em que angústias colocais quem vos ama! No entanto, tudo é pouco diante da maneira com que logo o favoreces"

"No dia de Ramos, acabando de comungar, entrei em grande suspensão, de modo que nem podia engolir a Espécie, e, tendo-a na boca, senti verdadeiramente, ao voltar um pouco a mim, que toda ela se enchera de sangue"

"A humildade é o alicerce do edifício, e o Senhor nunca o elevará demasiado, se dita virtude não for verdadeiramente sólida"

"Almejemos e pratiquemos a oração já não para desfrutar, mas para ter a força de servir ao Senhor"

"O proveito da alma não consiste em muito pensar mas em muito amar"

"É uma grande virtude saber ter concórdia com todos e suportar-lhes os defeitos"

"Em matéria de fé, eu morreria mil vezes do que me oporia a qualquer coisa da Igreja ou a qualquer verdade da Sagrada Escritura"

"O Senhor quer obras. Por exemplo, deseja que não te preocupes em perder aquela aquela devoção para consolar uma doente a quem vês que podes servir de alívio, fazendo teu o seu sofrimento, jejuando, se preciso for, para dar-lhe de comer; e isso não tanto por ela, mas porque sabes que esta é a vontade de Deus. Eis em que consiste a verdadeira união com a vontade de Deus"

"Se avançarmos com humildade, a misericórdia de Deus nos servirá sempre de ajuda"

"Jamais se peca sem sabê-lo"

"O espírito de Deus - se verdadeiro - sempre produz humildade"

"Somente o amor dá valor às obras"

"Depois disso, ao me aproximar para comungar, eu me lembrava da imensa Majestade que vira e me dava conta de que era Ele que estava no Santíssimo Sacramento, o que fazia os meus cabelos arrepiarem e me dava a impressão de estar toda desfeita"

"Podemos suportar qualquer luta ou inquietação, quando nos encontramos em paz intimamente"

"Quanto mais as almas se adiantam na oração e mergulham em maiores delícias com Deus, mais se dedicam às necessidades do próximo, especialmente às carências daquelas que parecem estarem preparadas a sacrificar mil vidas conquanto arranquem uma só do pecado mortal"

"O Senhor não se contenta em igualar os seus dons aos nossos modestos desejos"

"Amor e temor a Deus! É dizer pouco? São dois castelos fortes a partir dos quais se faz guerra ao mundo e aos demônios"

"Não posso deixar de crer que é por falta de humildade que algumas pessoas tanto se afligem por causa das insensibilidades que sofrem"

"O Senhor sabe o que cada pessoa pode fazer e, quando se encontra com uma alma forte, não cessa de impor nela a sua vontade"

"Quanto mais recebe, mais é obrigado a dar. E então, que podemos nós fazer por um Deus tão generoso que chegou a morrer por nós, que nos criou e nos conserva a vida, senão retribuir, ao menos em parte, o muito que lhe devemos em vista dos grandes serviços que nos prestou?"

"O Senhor nos ama mais do que nós mesmos nos amamos"

"Quem não ama o próximo não vos ama, pois Vós, meu Senhor, como sabemos, demonstraste vosso amor pelos pobres filhos de Adão com toda a efusão do vosso sangue"

"Jesus só quer a nossa amizade"

"Os sofrimentos são premiados com o amor de Deus. Em consequência, quem os anseia, se valem tamanho preço?"

"Ei-lo aqui, sem sofrimento, cheio de glória, confortando uns, animando outros, antes de subir aos céus, nosso companheiro no Santíssimo Sacramento, porque parece que Ele não poderia afastar-se um momento de nós"

"Oh, não entendemos que o pecado é uma guerra campal de todos os sentidos e faculdades da alma contra Deus!"

"Até então eu estava muito contente, porque é para mim um grandíssimo consolo ver uma igreja mais onde esteja o Santíssimo Sacramento. Mas a minha alegria durou pouco. Terminada a missa, fui a uma janela e olhei o pátio; não havia paredes sem partes desmoronadas"

Santa Tereza de Jesus (Dávila) - Filme




FIlme Raro - Vida de Santa Tereza de Jesus - Espanhol

domingo, 13 de outubro de 2013

Compaixão e Gratidão

Eucaristia é ação de graças em reconhecimento do agir de Deus que restaura nossa dignidade e nos faz conhecer a salvação em Jesus Cristo. A exemplo do doente samaritano, testemunhemos que a nossa vida é tecida pelo projeto amoroso e compassivo de Deus, que nos impele à solidariedade com os sofredores. Queremos ter presente, hoje, a vida e a dor dos hansenianos, que sofrem também com o preconceito.

Os dez enfermos do evangelho - atualmente poderiam ser identificados com os hansenianos - gritam a Jesus que tenha compaixão, algo que não encontram na sociedade. As doenças da pele que se reuniam sob o nome "lepra" não tinham cura no tempo de Jesus; hoje, graças a Deus, a hanseníase tem cura, mas ainda muita gente sofre dessa doença. Os doentes de pele, além da doença, sofrem a dor da discriminação e da exclusão. Não podiam conviver socialmente nem ser tocados, pois eram considerados impuros.
Obedecendo ao mandado de Jesus, enquanto vão aos sacerdotes, ficam curados. Somente um toma a iniciativa de voltar para agradecer; era um samaritano, desprezado como estrangeiro. Este nos deixa bela lição de gratidão. Neste relato do evangelho encontramos duas nobres atitudes: a compaixão, por parte de Jesus e a gratidão por parte do samaritano.
Aqueles doentes de pele representam as pessoas que sofrem e são discriminadas e marginalizadas na sociedade. Diante disso, cabe-nos a pergunta: quem hoje vive o mesmo drama de sua condição? Todos os que sofrem a exclusão: doentes, dependentes químicos, mendigos de rua das grandes cidades, certos grupos étnicos e religiosos.. Eles, quando encontram compaixão, que faz cessar a indiferença e resulta em socorro, recuperam a dignidade e se reintegram ao convívio social. Seu grito, além de denúncia de sua miséria, é apelo por uma vida mais digna.
O exemplo do samaritano motiva e desperta nossa atitude de gratidão. Esse gesto enobrece a vida de qualquer cidadão. Parece que a gratidão hoje saiu da moda ou é algo para os fracos. Certo é que, na atual sociedade mercantilista. ela está sumindo. Tudo se rege pelo comércio, pela troca. A gratidão a Deus produz na pessoa agradecida novo olhar, novo relacionamento com os outros e com a natureza, porque sabe que a sua existência e a dos outros são dons de Deus. O samaritano que voltou e agradeceu recebe de Jesus a alegre boa-nova: Tua fé te salvou.

Pe. Nilo Luza, ssp sobre o evangelho deste domingo 13/10/2013

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Nem tudo é fácil

 
É difícil fazer alguém feliz,assim como é fácil fazer triste.
É difícil dizer amo-te,assim como é fácil não dizer nada.
É difícil valorizar um amor,assim como é fácil perde-lo para sempre.
É difícil agradecer pelo dia de hoje,assim como é fácil viver mais um dia.
E difícil ver o que a vida trás de bom,assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.
É difícil convencer-se de que se é feliz,assim como é fácil achar que sempre falta algo.
É difícil fazer alguém sorrir,assim como é fácil fazer chorar.
É difícil colocar-se no lugar de alguém,assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.Se erraste, pede desculpa...
É difícil pedir perdão?Mas quem disse que é fácil ser perdoado?Se alguém errou contigo, perdoa-o...
É difícil perdoar?Mas quem disse que é fácil arrepender-se?
Se sentes algo, diz...É difícil abrires-te?
Mas quem disse que é fácil encontrar alguém que queira escutar?
Se alguém reclama de ti, ouve-o...É difícil ouvir certas coisas?Mas quem disse que é fácil ouvir-te?
Se alguém te ama, ama-o...É difícil entregares-te?
Mas quem disse que é fácil ser feliz? Nem tudo é fácil na vida...Mas, com certeza, nada é impossível...Precisamos acreditar, ter fé e lutar para que não apenas sonhemos,mas também tornemos todos esses desejos
REALIDADE!!!
 
FONTE: CVJ-MAIA

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Juventude em Missão - "A quem eu te enviar irás" (Jr 1,7b)

Em sintonia com a Campanha da Fraternidade (CF 2013) e a Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio 2013), o tema da Campanha Missionária deste ano é “Juventude em Missão”. O lema é tirado do profeta Jeremias: “A quem eu te enviar, irás” (Jr 1, 7b) e recorda que Deus continua a chamar e a enviar pessoas para anunciar a Boa Notícia de Jesus a todos os povos. “A ação evangelizadora é a principal razão de ser da nossa Igreja e seus missionários e missionárias representam uma grande riqueza. Contudo, não podemos nos acomodar pensando que já chegamos à maturidade. A Igreja no Brasil pode e deve ajudar muito mais, em especial, com a generosidade da sua juventude”, explica padre Camilo Pauletti, diretor nacional das Pontifícias Obras Missionárias (POM).

A Campanha Missionária acontece durante o mês de outubro e procura envolver todos os cristãos, com os grupos e as comunidades, nas dioceses e regionais. O objetivo é incentivar os cristãos viverem a solidariedade, a partilha e a ajuda mútua em todas as partes do mundo, seja na oração, no testemunho e na generosidade com a oferta. A coleta do Dia Mundial das Missões (este ano realizada nos dias 19 e 20 de outubro) é um dos objetivos da Campanha.

Os materiais de animação incluem o livrinho da Novena Missionária com a Mensagem do Papa para o Dia Mundial das Missões, PowerPoint, um DVD produzido pela Verbo Filmes, com testemunhos missionários, folhetos com as orações dos fiéis para cada domingo do mês, o cartaz oficial e envelopes para as ofertas.
 

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Nossa Senhora do Rosário - Um exército com o Rosário nas mãos

A história de Nossa Senhora do Rosário


Nossa Senhora do Rosário

Nossa Senhora do Rosário possui um devoção muito antiga. Teve origem com os Monges irlandeses no século VIII, que recitavam os 150 Salmos. Como os leigos não sabiam ler, os monges ensinaram a rezar 150 Pai Nossos, que mais tarde foram substituídos por 150 Ave Marias. Assim, a devoção, começou a se espalhar pelo mundo.
Em muitas aparições de Maria Santíssima, Ela pede, ensina e reza junto, a oração do Rosário, como em Lourdes, em Fátima e tantas outras.

Rosário de Nossa Senhora

A palavra Rosário quer dizer um tanto de rosas, um buquê de rosas que se oferece a Nossa Senhora. Cada Ave Maria é uma rosa que oferecemos à Mãe, com carinho e esperança. Assim, quando rezamos o Santo Rosáriocompleto, oferecemos um buquê de duzentas rosas a Nossa Senhora.

A devoção de Nossa Senhora do Rosário

São Domingos de Gusmão, fundador da Ordem dos Dominicanos, foi o grande propagador do Rosário no início do século Xlll. A Igreja lhe conferiu o título de Apóstolo do Santo Rosário. Naquela época havia muitos hereges que desviavam os fieis da Igreja Católica. São Domingos, com a prática da oração do Rosário, a pedido de Nossa Senhora, começou a combater as heresias dos albingenses, que crescia vertiginosamente na França.
O Papa mandou vários missionários para combater os hereges, mas nada conseguiram. Somente São Domingos, com a criação de sua ordem e com a insistente oração do Rosário, é que conseguiu acabar com esses hereges. São Domingos dizia que em todas as orações do Rosário pedia a intercessão de Maria Santíssima para converter os hereges e com o passar dos anos conseguiu.

Papa João Paulo II, o Papa de Nossa Senhora do Rosário

João Paulo II dedicou todo o seu Pontificado a Maria Santíssima. Ele declarou logo no primeiro dia de seu pontificado: Totus tuus Mariae (Tudo é de Maria). A devoção a Nossa Senhora do Rosário foi amplamente difundida e divulgada. Ele acrescentou mais um conjunto de Mistérios ao Rosário - os Mistérios Luminosos - em uma Encíclica que escreveu sobre o Santo Rosário.

A Oração que veio do Céu

O que dá verdade e embasamento ao Santo Rosário, é que nos foi ensinado pelo próprio Jesus, por Maria Santíssima e pelo anjo do Senhor. O Pai Nosso foi ensinado por Jesus quando disse aos apóstolos: quando forem rezar, dizei: Pai nosso que estais no Céu, santificado seja o vosso nome, venha a nós o vosso reino, seja feita a sua vontade, assim na terra como do Céu. O pão nosso de cada dia nos daí hoje,  perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, não nos deixeis cair em tentação, e livrai-nos de todo o mal. Amém.
A oração da Ave Maria, foi nos ensinada pelo Anjo Gabriel, que apareceu a Maria dizendo:  Ave Maria Cheia de graça, o Senhor é convosco. Santa Isabel, cheia do Espírito Santo, como nos diz Lucas, disse a Maria: bendita sóis vós entre as mulheres, e bendito é o fruto do teu ventre, Jesus.  E a Igreja completou escrevendo: Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte amém.

Contemplação dos Mistérios do Rosário

Atualmente o Santo Rosário é dividido em quatro conjuntos de mistérios, onde contemplamos os momentos da vida de Jesus e de Maria. Os quatro conjuntos de Mistérios são:
Mistérios Gozosos nos quais se contemplam a anunciação do Anjo a Maria; a visita de Maria a sua prima Isabel; o nascimento de Jesus em Belém; a apresentação de Jesus no templo; e Jesus perdido e achado no templo entre os doutores da lei.
Mistérios Dolorosos nos quais se contemplam a agonia de Jesus no Horto das Oliveiras; a flagelação de Jesus; a Coroação de Espinhos; Jesus carrega a Cruz até o Calvário; a Crucificação e morte de Jesus.
Mistérios Gloriosos nos quais se contemplam a Ressurreição de Jesus; a sua Ascensão ao Céu; a vinda do Espírito Santo Sobre os Apóstolos e Maria; a Assunção de Maria ao Céu; a coroação de Maria.
Mistérios Luminosos foram escritos pelo próprio Papa João Paulo II, em sua carta apostólica, Rosarium Virginis Mariae, no ano de 2002. Nestes mistérios contemplam-se toda a Vida pública de Jesus: o Batismo no Rio Jordão; o Milagre nas bodas de Caná; a proclamação do Reino do Céu e o convite a Conversão; a Transfiguração de Jesus no Tabor; a Instituição da Eucaristia.

Milagres de Nossa Senhora do Rosário

A devoção a Nossa Senhora do Rosário atravessa os séculos, trazendo a Igreja para o lado de Maria Santíssima, que a leva para a Salvação de Jesus. O Rosário de Maria une a terra aos Céus. Maria Santíssima, em suas aparições, sempre insiste para que as pessoas rezem o Rosário, que é um dos caminhos para se chegar a Jesus e a Salvação eterna. O Santo Rosário é também uma poderosa arma de intercessão, um meio certo de se obter graças através da Virgem Maria.

ESTE BLOG É DEDICADO À:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...