domingo, 28 de julho de 2013

Na eucaristia descobrimos o rosto de Deus, nosso Pai, que sempre se mostra favorável quando o invocamos em nossas necessidades. Queremos celebrar em comunhão com todos os jovens, do Brasil e do mundo, que concluem hoje a Jornada Mundial da Juventude. O tema da jornada - "Ide e fazei discípulos entre todas as nações!" (Mt 28,19) - nos motiva a todos a ser discípulos missionários de Jesus Cristo, a serviço do evangelho e do reino de Deus. 


Neste dia tão especial para os jovens do mundo inteiro, sobre-tudo no Brasil, em que se celebra a missa de encerramento da Jornada Mundial da Juventude, o evangelho nos ensina a rezar. É o próprio Cristo que nos convida a falar com o Pai de forma simples e coloquial, dando-lhe graças e apresentando nossas necessidades cotidianas, tanto materiais quanto espirituais (cf. Lc 11,1-3).
O "pão de cada dia", essencial à sobrevivência como alimento do corpo e da alma, era multiplicado por Deus para saciar as multidões que seguiam a Cristo nas suas pregações itinerantes. No relato do Evangelho de João, destaca-se uma personagem: "Está aqui um jovem que tem cinco pães de cevada e dois peixes.. mas que é isto para tanta gente?" (Jo 6,9). A partir daquela oferta, Jesus realiza o milagre.
O tema da Jornada Mundial da Juventude - "Ide e fazei discípulos entre todas as nações" (Mt 28,19) - Resume justamente este profundo ensinamento do Evangelho: ser discípulos missionários que aprendem do Senhor a capacidade de doação de si mesmos para se tornarem mensageiros dele e mediadores da ação divina em favor das outras pessoas, muitas vezes carentes não apenas de pão material, mas do Pão da Vida e do Pão da Palavra.
Que estes dias de alegre vivência da fé, na partilha e no testemunho, se tornem um referencial inesquecível para todos aqueles que caminharam com Jesus ao longo desta jornada e transformem a vida deles para sempre. O entusiasmo que amadurece na perseverança produz generosos frutos e plasma os autênticos seguidores do Senhor ao longo da "jornada da vida", engajados na missão à qual foram chamados.
O Rio de Janeiro agradece ao Brasil o apoio e a presença de tantos participantes, que tornaram este evento uma festa brasileira, na qual os peregrinos do todo o mundo - a começar pelo primeiro deles, o papa Francisco - foram acolhidos com o carinho que distingue o nosso povo no elenco das nações.

D. Orani J. Tempesta, o.cist.
Arcebispo do Rio de Janeiro

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Vocês são felizes, porque veem e seus ouvidos ouvem!

É por isso que lhes falo em parábolas: porque veem sem ver e ouvem sem ouvir nem entender. É neles que se cumpre a profecia de Isaías:
Certamente haveis de ouvir, e jamais entenderei.
Certamente haveis de enxergar, e jamais vereis.
Porque o coração deste povo se tornou insensível.
E eles ouviram de má vontade, e fecharam os olhos, para não acontecer que vejam com os olhos,
e ouçam com os ouvidos, e entendam com o coração, e se convertam, e assim eu os cure.

Mas felizes os vossos olhos, porque veem, e os vossos ouvidos, orque ouvem. Em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes e não viram, e ouvir o que ouvis e não ouviram.

Mateus 13, 16-17 Bíblia de Jerusalém

Algumas leituras que complementam esta passagem:

Ele me disse:
"Vai e dize a este povo:
Podeis ouvir certamente, mas não entendereis; podeis ver certamente, mas não compreendereis.
Embota o coração deste povo, torna-lhe pesados os ouvidos, tapa-lhe os olhos, para que não veja com os olhos, não ouça com os ouvidos, seu coração não compreenda, não se converta e não seja curado". 
Isaías 6, 9-10

Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes o coração,
para que seus olhos não vejam, seu coração não compreenda e não se convertam e eu não os cure.
João 12, 40


Vai ter com este povo e dize-lhe:
em vão escutareis, pois não vereis.
É que o coração deste povo endureceu :
eles taparam os ouvidos e vendaram os olhos,
para não verem com os olhos, não ouvirem com os ouvidos, nem entenderem com o coração,
para que não se convertam, e eu não os cure!
Atos dos Apóstolos 28,26

As gerações e aos homens do passado este Mistério não foi dado a conhecer, como foi agora revelado aos seus santos apóstolos e profetas no Espírito. 
Efésio 3,5

Bíblia de Jerusalém





quarta-feira, 24 de julho de 2013

Qual é a melhor parte?

O evangelho deste domingo 21/07/2013 já forneceu matéria para muita discussão. Muitos procuram ver nele certa divisão: Marta representaria a parte espiritual. Em outras palavras, Marta seria a mulher da ação e Maria, a da contemplação. Na verdade, com esse relato, Jesus não quer contrapor "vida ativa" a "vida contemplativa".  As duas fazem parte de nossa caminhada.
Marta é censurada não pelo "fazer" em si, mas por causa de "fazer" que não parte de uma escuta atenta da palavra de Deus e que, portanto, pode cair no vazio ou num agir estéril, cujas motivações são apenas a auto promoção e o exibicionismo. Jesus não condena o serviço de Marta, pois ele mesmo já havia pregado e demonstrado a necessidade de pôr-se a serviço do próximo necessitado.
Marta limita-se a acolher Jesus em sua casa: Maria o acolhe em si mesma, torna-se "tabernáculo", oferece-lhe hospitalidade no seu interior. Marta oferece algo a Jesus, Maria se oferece a si mesma.
Na correria do dia a dia, é difícil deixar-nos iluminar pela palavra de Deus para ver qual o melhor a realizar. Não há tempo para parar, para escutar o Senhor e perceber qual é sua vontade. Somos peças de uma engrenagem que não nos permite quietude, e aí está o risco de não percebermos qual é a "melhor parte".
Agitadas por tanta tarefas e preocupações, a Igreja e as comunidades necessitam parar, sentar aos pés de Jesus e ouvir a voz do Espírito Santo, que as conclama a sair de si e voltar-se aos desafios do mundo, em vez de se preocuparem com a roupagem. É bem possível que a maioria de nós tenha maior necessidade de ouvir a voz do Mestre do que a voz dos pregadores que circulam por aí. Quem sabe, acostumando-se a essa prática, nossas comunidades venham a se tornar mais confiáveis!
Também hoje as mulheres, quer na Igreja, quer na família, não podem ser confinadas às "tarefas do lar", mas têm o direito de sentar aos pés do Mestre - que as acolhe em seu grupo como discípulas em pé de igualdade com os homens. 

Pe. Nilo Luza, ssp - Comentário sobre o Evangelho de Domingo dia 21/07/2013


terça-feira, 23 de julho de 2013

Desigualdade de condições

O princípio do orgulho humano é abandonar o Senhor e ter o coração longe do Criador. Ecl 10, 12

Por que um dia prevalece sobre o outro, enquanto a luz, todo o ano, vem do sol?
No pensamento do Senhor é que foram separados, ele diversificou as estações e as festas.
Elevou e santificou alguns dias, colocou outros números dos dias comuns.
Todos os homens também vem do solo, da terra é que Adão foi formado.
Em sua grande sabedoria o Senhor os distinguiu, diversificou os seus caminhos.
Abençoou alguns, consagrou-os, colocou-os junto de si.
Amaldiçoou outros, humilhou-os e os rejeitou de seu lugar.
Como a argila na mão do oleiro, que a amolda a seu bel-prazer, assim são os homens na mão do seu Criador, que lhes retribui segundo o seu julgamento.
Diante do mal está o bem; diante da morte a vida; diante do piedoso, o pecador.
Contempla, pois, todas as obras do Altíssimo, duas a duas estão todas uma diante das outras.
Também eu, o último a chegar, velei como o que colhe atrás dos vindimadores.
Com a benção do Senhor progredi e como o ceifador enchi o lagar.
Observai que eu não trabalhei só para mim, mas para todos os que procuram a instrução.
Escutai-me, ó grandes do povo; presidentes da assembléia, ouvi-me.
Deus disse: "Que haja luzeiros no firmamento de céu para separar o dia e a noite; que eles sirvam de sinais, tanto para as festas quanto para os dias e os anos. Gn 1,14

ECLESIÁSTICO 33 7-19 Bíblia de Jerusalém

Leituras complementares que ajudam o seu entendimento:

Então Yahweh Deus modelou o homem com a argila do solo, insuflou em suas narinas um hálito de vida e o homem se tornou um ser vivente. Gn 2,7

É Iahweh quem faz morrer e viver, faz descer ao Xeol e dele subir.
É Iahweh quem empobrece e enriquece, quem humilha e quem exalta.
Levanta do pó o fraco e do monturo o indigente, para os fazer assentar-se com os nobres
e colocá-los num lugar de honra, porque a Iahweh pertencem os fundamentos da terra, e 
sobre eles colocou o mundo. 1Sm 2 6-8

Agiu com a força de seu braço, dispersou os homens de coração orgulhoso.
Depôs poderosos de seus tronos, e a humildes exaltou.
Cumulou de bens a famintos e despediu ricos de mãos vazias. Lc 1 51-53

O Senhor derruba o trono dos poderosos e assenta os mansos em sus lugares.
O Senhor arranca a raiz dos orgulhosos e planta os humildes em seu lugar. Ecl 10 14-15

Que perversão é a vossa! 
Tratar o oleiro como a argila!
Com efeito, ousará a obra dizer aquele que a fez:
"Ele não me fez", e um vaso a respeito do oleiro que o moldou:
"Ele nada entende do ofício?" Is 29,16

O oleiro não pode formar da sua massa, seja um utensílio para uso nobre, seja outro para uso vil?
Rm 9,21

FONTE: FILHOS ESPIRITUAIS DE PE. PIO

domingo, 21 de julho de 2013

Precisamos ajudar Deus na resposta!

É comum levantarmos a mão para o alto e depois colocá-las no bolso esperando sentados a ação de Deus em nossas vidas, vivemos nesta eterna espera de algo espetacular e maravilhoso. Deus não gosta de pedinte preguiçoso; se alguém não quer trabalhar, não coma! (2Tes 3,10).
Precisamos de alguma forma surpreender Deus com nossa postura, precisamos juntar nosso suor as nossas lágrimas, precisamos almejar sonhos mais alto mas com os pés no chão e tendo a certeza de que sozinhos, sem o auxílio do Espírito Santo a lugar algum iremos.
Precisamos vigiar nossas fraquezas, nossos pecados mais secretos nos impedem que nossas orações sejam bem sucedidas durante o tempo de oração.
Paulo quando fala aos Tessalonicenses tinha a preocupação de que se eles permaneceriam firmes diante de tanta oposição. Quais as oposições que temos hoje na nossa vida, qual o obstáculo que nos impede de caminhar, de avançar?
As vezes até o nosso comportamento é um obstáculo para a nossa caminhada, o jeito como nos mostramos em meio a sociedade revela ou não Deus?
Se alguém não quiser orar com perseverança, que não receba a benção; precisamos ser teimosos em certas coisas onde não pensamos ter a necessidade de insistência.
Quando estamos em Deus sofremos pelo Evangelho, é preciso sofrer pelo Evangelho; só um terço, só uma missa é muito pouco para testemunharmos Deus aos outros.
A palavra de Deus precisa continuar seu caminho para que seja glorificada e ao mesmo tempo sejamos livres de homens ímpios e perversos, pois nem todos têm fé.

Meditação sobre 2Tes 3,1-15
Que o Senhor conduza os vossos corações para o amor a Deus e a presença de Cristo. 2Tes 3,5 

Fonte: Filhos Espirituais de Pe. Pio

sábado, 20 de julho de 2013

Efeitos da Sagrada Comunhão

O que o alimento produz no corpo para bem da vida física, assim produz na alma a Eucaristia, de modo infinitamente mais sublime, o bem da vida espiritual. Mas enquanto o alimento se converte na nossa substância corporal, ao recebermos a Sagrada Comunhão, somos nós os que nos convertemos em Cristo: «Não me converterás tu em ti, como a comida na tua carne, mas que tu te converterás em Mim». Mediante a Eucaristia a nova vida em Cristo, iniciada no crente com o Batismo (cf. Rm 6,3-4; Gal 3,27-28), pode consolidar-se e desenvolver-se até alcançar a sua plenitude (cf. Ef 4,13), permitindo ao cristão levar a bom termo o ideal enunciado por S. Paulo: «Já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim» (Gal 2,20) [16].
Por conseguinte, a Eucaristia configura-nos com Cristo, faz-nos participantes do ser e da missão do Filho, identifica-nos com as suas intenções e sentimentos, dá-nos a força para amar como Cristo nos pede (cf. Jo 13,34-35), para inflamar todos os homens e mulheres do nosso tempo com o fogo do amor divino que Ele veio trazer à Terra (cf. Lc 12,49). Tudo isto deve manifestar-se efetivamente na nossa vida: «Se fomos renovados com a recepção do Corpo do Senhor, temos de o manifestar com obras. Que os nossos pensamentos sejam sinceros: de paz, de entrega, de serviço. Que as nossas palavras sejam verdadeiras, claras, oportunas; que saibam consolar e ajudar, que saibam sobretudo levar aos outros a luz de Deus. Que as nossas ações sejam coerentes, eficazes, acertadas: que tenham esse bonus odor Christi , o bom odor de Cristo, por recordarem o seu modo de Se comportar e de viver».
Na Sagrada Comunhão, Deus aumenta a graça e as virtudes, perdoa os pecados veniais e a pena temporal, preserva dos pecados mortais e concede a perseverança no bem: numa palavra, estreita os laços de união com Ele (cf. Catecismo, 1394-1395). Mas a Eucaristia não foi instituída para o perdão dos pecados mortais; isto é próprio do Sacramento da Confissão (cf. Catecismo, 1395).
A Eucaristia fomenta a unidade de todos os cristãos no Senhor, isto é, a unidade da Igreja, Corpo Místico de Cristo (cf. Catecismo, 1396).
A Eucaristia é penhor ou garantia da glória futura, ou seja, da ressurreição e da eterna felicidade junto de Deus, Uno e Trino, dos Anjos e de todos os Santos: «Tendo passado deste mundo para o Pai, Cristo deixou-nos na Eucaristia o penhor da glória junto d'Ele: a participação no santo sacrifício identifica-nos com o seu coração, sustenta as nossas forças ao longo da peregrinação desta vida, faz-nos desejar a vida eterna e desde já nos une à Igreja do céu, à Santíssima Virgem e a todos os santos» (Catecismo, 1419).

Ángel García Ibáñez
Bibliografia básica
Catecismo da Igreja Católica, 1373-1405.
João Paulo II, Enc. Ecclesia de Eucharistia, 17-IV-2003, 15; 21-25; 34-46.
Bento XVI, Ex. Ap. Sacramentum caritatis, 22-II-2007, 14-15; 30-32; 66-69.
Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, Instrução Redemptionis Sacramentum, 25-III-2004, 80-107; 129-145; 146-160.


terça-feira, 16 de julho de 2013

Sobre Nossa Senhora do Carmo

Nossa Senhora do Carmo tem origem no século XII, quando se um grupo de eremitas começou a se formar no monte Carmelo, na Palestina, terra Santa, iniciando um estilo de vida simples e pobre, ao lado da fonte de Elias, que se estendeu ao mundo todo.
A palavra Carmo, corresponde ao monte do Carmo ou monte Carmelo, em Israel, onde o profeta Elias se refugiou. A palavra carmo ou carmelo significa jardim.

História de Nossa Senhora do Carmo e os carmelitas

A ordem dos carmelitas venera com carinho o profeta Elias, que é seu patriarca, e a Virgem Maria, venerada com o título de Bem Aventurada Virgem do Carmo. Devido ao lugar, esse grupo foi chamado de carmelitas. Lá, esse grupo de eremitas construiu uma pequena capela dedicada a Senhora do Carmo, ou Nossa Senhora do Carmelo.
Posteriormente os carmelitas foram obrigados a ir para a Europa fugindo da perseguição dos muçulmanos. Aí se espalhou ainda mais a Ordem do Carmelo.

Devoção a Nossa Senhora do Carmo

Com a expulsão dos carmelitas de Israel, a devoção a Nossa Senhora do Carmo começou a se espalhar por toda a Europa. Também foi levada para a América Latina, logo no começo de sua colonização, passando a ser conhecida em todos os lugares. E não somente no Carmelo. Foram construídas várias igrejas, capelas e até catedrais dedicadas a Senhora do Carmo.

Aparição de Nossa Senhora do Carmo a São Simão

São Simão era um dos mais piedosos carmelitas que vivia na Inglaterra. Vendo a Ordem dos Carmelitas ser perseguida até estar prestes a ser eliminada da face da terra, ele sofria muito e pedia socorro a Nossa Senhora do Carmo.
Sua oração, que os carmelitas usam até hoje, foi a seguinte: Flor do Carmelo, vide florida. Esplendor do Céu. Virgem Mãe incomparável. Doce Mãe, mas sempre virgem. Sede propícia aos carmelitas. Ó Estrela do mar.
Então Maria Santíssima, rodeada de anjos, apareceu para São Simão, entregou-lhe o Escapulário e lhe disse: Recebe, meu filho muito amado, este escapulário de tua ordem, sinal do meu amor, privilégio para ti e para todos os carmelitas. Quem com ele morrer não se perderá. Eis aqui um sinal  da minha aliança, salvação nos perigos, aliança de paz e amor eterno. A partir desse milagre, o escapulário passou a fazer parte do hábito dos carmelitas.

Milagre de Nossa Senhora do Carmo

A partir da aparição de Nossa Senhora do Carmo a São Simão, a Ordem do Carmelo começou a florescer na Europa e em vários lugares do mundo, permanecendo firme até os dias de hoje.

O Escapulário de Nossa Senhora do Carmo, tradição do Carmelo

A palavra escapulário, vem do latim, escápula, que significa  armadura, proteção. O escapulário é uma forma de devoção a Maria Santíssima. O uso do escapulário é um sinal de confiança em Nossa Senhora do Carmo. A pessoa que o usa, é coberta com a proteção e as graças da Virgem Do Carmo.
O escapulário, segundo o Concilio do Vaticano II é um Sacramental, um sinal sagrado, obtendo efeitos de proteção da Igreja Católica. É uma realidade visível que nos conduz a Deus. Santa Tereza dizia que: portar o escapulário, era estar vestida com o hábito de Nossa Senhora.

Oração a Nossa Senhora do Carmo

Senhora do Carmo, Rainha dos anjos, canal das mais ternas mercês de Deus para com os homens. Refúgio e advogada dos pecadores, com confiança eu me prostro diante de vós, suplicando-vos que obtenhais a graça que necessito, ( pede-se a graça). Em reconhecimento, solenemente prometo recorrer a vós em todas as minhas dificuldades, sofrimentos e tentações, e farei de tudo que ao meu alcance estiver, a fim de induzir outros a amar-vos, reverenciar-vos e invocar-vos em todas as suas necessidades.
Agradeço as inúmeras bênçãos que tenho recebido de vossa  mercê e poderosa intercessão.
Continuai a ser meu escudo nos perigos, minha guia na vida e minha consolação na hora da morte. Amém. Nossa Senhora do Carmo, advogado dos pecadores mais abandonados, rogai pela alma do pecador mais abandonado do mundo. Ó Senhora, rogai por nós que recorremos a vós.


http://www.cruzterrasanta.com.br/historia/nossa-senhora-do-carmo

Oração a Nossa Senhora do Carmo



Sempre que você encontrar-se diante de uma situação DIFÍCIL, onde suas forças e seus conhecimentos não são capazes de RESOLVER, não entre em pânico. Peça ajuda à Nossa Senhora do Carmo.

A ordem dos carmelitas venera com muito carinho o profeta Elias, considerado seu patriarca modelo, e a Virgem Maria, venerada com o título de Bem-Aventurada Virgem do Carmo.
Um livro muito antigo da ordem comenta a visão de Elias mostrando a Virgem dirigindo-se ao Monte Carmelo em forma de uma nuvem que saía da terra. Os monges, no ano 93 da era cristã, construíram no Carmelo uma capela à Virgem. Quando foram expulsos pelos sarracenos no século 13, espalharam-se pelo Ocidente e fundaram vários mosteiros. Divulgaram a devoção a Nossa Senhora do Carmo. Uma visão do frade carmelita Simão Stock mostrava a Virgem Maria cercada de anjos, segurando nas mãos o escapulário da ordem e afirmando: "Eis o privilégio que dou a ti e a todos os filhos do Carmelo: todo o que for revestido deste hábito será salvo". Vem daí a devoção do escapulário de Nossa Senhora do Carmo.
O Papa Pio 12 recomendou essa devoção que entende o escapulário como uma veste mariana, símbolo da proteção da Mãe de Deus.


ORAÇÃO - Senhora do Carmo, Rainha dos Anjos, canal das mais ternas mercês de Deus para com os homens. Refúgio e Advogada dos pecadores, com confiança eu me prostro diante de vós suplicando-vos que obtenhais ...... (pede-se a graça). Em reconhecimento, solenemente prometo recorrer a vós em todas as minhas dificuldades, sofrimentos e tentações, e farei tudo que ao meu alcance estiver, a fim de induzir outros a amar-vos, reverenciar-vos e invocar-vos em todas as suas necessidades. Agradeço-vos as inúmeras bênçãos que tenho recebido de vossa mercê e poderosa intercessão. Continuai a ser meu escudo nos perigos, minha guia na vida e minha consolação na hora da morte. Amém. Nossa Senhora do Carmo, advogada dos pecadores mais abandonados, rogai pela alma do pecador mais abandonado do mundo. Ó Senhora, rogai por nós, que recorremos a vós.

FONTE: Internet

O Escapulário de Nossa Senhora do Carmo

segunda-feira, 15 de julho de 2013

São Boaventura - Gente Santa

Como posso cooperar com Deus para desenvolver em mim as virtudes?

Posso comungar com minhas próprias mãos o corpo e sangue de Cristo?

Pudor e Respeito Humano

Leva em conta a ocasião e guarda-te do mal, não te envergonhes de ti mesmo.
Pois há uma vergonha que conduz ao pecado e há uma vergonha que é glória e graça.
Não seja muito severo contigo nem te envergonhes de tua queda.
Não retenhas a palavra quando ela pode salvar, e não ocultes a tua sabedoria.
Porque é pelo discursos que se conhece a sabedoria e pela palavra, a instrução.
Não contradigas a verdade, mas cora-te de tua ignorância.
Não te envergonhes de confessar os teus pecados, não resistas à correnteza do rio.
Não te submetas a um insensato, não sejas parcial em favor do poderoso.
Até a morte luta pela verdade e o Senhor Deus combaterá por ti.
Não seja atrevido com a tua língua, preguiçoso e indolente em teus atos.
Não sejas como leão em tua casa e covarde com deus domésticos.
Que a tua mão não seja aberta para receber e fechada para retribuir.


Eclesiástico 4, 20-31 - Bíblia de Jerusalém

domingo, 14 de julho de 2013

Misericórdia que aproxima

Imagem de Deus e revelador do  rosto misericordioso do Pai, Jesu hoje nos mostra o caminho da vida eterna: não só conhecer os mandamentos,mas também vivenciá-los, assumindo as atitudes do bom samaritano. Esta eucaristia abra o nosso coração à misericórdia e à compaixão para com as pessoas caídas à beira do caminho.


MISERICÓRDIA QUE APROXIMA
Com a pergunta que faz a Jesus, o mestra da lei mostra-se preocupado em garantir para si a vida eterna. Uma resposta que o entendido em leis conhecia de cor e salteado: o destino eterno de nossa vida tem que ver com o amor que demonstramos a Deus e ao próximo nesta terra.
Mas a segunda pergunta do mestre da lei era quanto ao limite desse amor: quem é meu próximo, ou seja, quem eu devo amar para cumprir a lei de Deus e receber dele a vida eterna? Uma resposta que ele também já conhecia, pois, no ambiente de então, o próximo de um judeu era alguém igual a ele, ou seja, outro judeu. Não, definitivamente, um samaritano, considerado impuro e inimigo.
É a ocasião para Jesus contar uma parábola, a fim de mostrar ao mestre da lei o que realmente importava: não se trata de saber quem é o próximo, mas de fazer-se concretamente ao próximo dos outros, superando inclusive preconceitos e barreiras culturais e religiosas.
A misericórdia daquele bom samaritano salva o homem assaltado e deixado quase morto no caminho. É o espelho da misericórdia de Deus, que Jesus vem mostrar e realizar no amor que não conhece limite, na solidariedade que supera a hipocrisia.
A resposta de Jesus, portanto, fez o entendido na lei de Deus refletir sobre as sua atitudes para com quem estava necessitado. No amor pelos necessitados se demonstra o amor a Deus, que leva à vida eterna. Pensamos hoje em tantos bons samaritanos que fizeram a diferença, que mudaram o mundo porque ajudaram a mudar vidas concretas. Pensamos, sobretudo, no Bom Samaritano, o Mestre que nos ensina a fazer o bem sem olhar a quem. Suas palavras ressoam hoje: "Vá e faça o mesmo". 
Declarar-se por uma religião e por uma vida piedosa não é garantia de nada, sobretudo se passamos adiante, alheios aos filhos de Deus caídos em nosso caminho.

Pe. Paulo Bazaglia, ssp sobre o Evangelho deste domingo 14/07/2013

sexta-feira, 12 de julho de 2013

750 anos da descoberta da língua incorrupta de Santo Antônio




[Umbria Journal] A descoberta da língua incorrupta, que ocorreu em 1263, coincidiu com a conclusão da segunda fase da construção da Basílica, no Capítulo Geral dos franciscanos, que haviam se reunido em Pádua, que tinha como Ministro Geral São Boaventura. O túmulo do santo foi transferido para o centro da Basílica, e naquela ocasião foi aberta pela primeira vez o caixão que continha os restos mortais de Antônio. Grande foi a surpresa de encontrar a língua incorrupta, tanto que São Boaventura proclamou uma ode de oração, transmitida ao longo dos séculos por todos os devotos: "Ó língua bendita de Santo Antônio, que sempre louvastes a Deus e fizestes com que outros O louvasse, agora se vê claramente quantos méritos alcançastes perante Deus." T

Francisacanos participam do Programa "Esquenta", de Regina Casé




[Franciscanos] No clima da Jornada Mundial da Juventude e da visita do Papa Francisco ao Brasil, no ritmo do samba e em sintonia com a “ginga carioca”, seis frades estudantes de Teologia, de Petrópolis e da Baixada Fluminense, acompanhados também por Frei Renato Pezenti, participaram, na última semana, das gravações do “Esquenta”, programa dominical apresentado pela atriz e comediante Regina Casé, da Rede Globo de Televisão. O programa vai ao ar no dia 28 de julho, encerramento da Jornada Mundial da Juventude, com Missa celebrada pelo Papa Francisco.

Segundo os frades que participaram, o clima foi de familiaridade e descontração. Na entrevista com a apresentadora, eles tiveram a oportunidade de contar sobre a escolha da vida franciscana e como é o dia a dia da fraternidade.

Também estiveram presentes no programa os cantores Gustavo Lima e Arlindo Cruz, além de diversos outros artistas. Mostrando um pouco de seu talento na percussão, Frei Rafael Nascimento acompanhou ao som do tamborim os percussionistas que também estavam presentes.

Em sua página na Rede Social Facebook, Frei Leandro Costa escreveu: “Com a visita do Papa ao Brasil na semana da JMJ, nós frades da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil, fomos convidados por Regina Casé e seu jornalista Diego, a paricipar do Programa “Esquenta”. Nesta entrevista, partilhamos um pouco de nossa caminhada religiosa. Um ambiente bem descontraído, bem nossa casa. Falamos e partilhamos um pouco de nossa caminhada… Esperamos que nossa participação revele àqueles que assistirem a alegria de servir a Deus ao modo de São Francisco. Paz e Bem!” T

Dos admiráveis efeitos do amor divino

 

1.A alma: Bendigo-vos, Pai celestial, Pai de meu Senhor Jesus Cristo, por vos terdes dignado lembrar-vos de mim, pobre criatura. Ó Pai de misericórdia e Deus de toda consolação! (2Cor 1,3), graças vos dou porque, apesar de minha indignidade, me recreais às vezes com vossa consolação. Sede para sempre bendito e glorificado, com vosso Filho unigênito e o Espírito Santo consolador, por todos os séculos. Ah! Senhor Deus, santo amigo de minha alma, tanto que entrais em meu coração, exulta de alegria o meu interior. Vós sois a minha glória e o júbilo de meu coração; vós sois a minha esperança e meu refúgio no dia da tribulação.

2. Mas, como ainda sou fraco no amor e imperfeito na virtude, necessito ser consolado e confortado por vós; por isso visitai-me mais vezes e instruí-me com santas doutrinas. Livrai-me das más paixões e curai meu coração de todos os afetos desordenados, para que eu, sanado e purificado interiormente, seja apto para amar, forte para sofrer e constante para perseverar.
3. Jesus: Grande coisa é o amor! E um bem verdadeiramente inestimável que por si só torna suave o que é difícil e suporta sereno toda a adversidade. Porque leva a carga sem lhe sentir o peso e torna o amargo doce e saboroso. O amor de Jesus é generoso, inspira grandes ações e nos excita sempre à mais alta perfeição. O amor tende sempre para as alturas e não se deixa prender pelas coisas inferiores. O amor deseja ser livre e isento de todo apego mundano, para não ser impedido no seu afeto íntimo nem se embaraçar com algum incômodo. Nada mais doce do que o amor, nada mais forte, nada mais delicioso, nada mais perfeito ou melhor no céu e na terra; porque o amor procede de Deus, e em Deus só pode descansar, acima de todas as criaturas.
4. Quem ama, voa, corre, vive alegre, é livre e sem embaraço. Dá tudo por tudo e possui tudo em todas as coisas, porque sobre todas as coisas descansa no Sumo Bem, do qual dimanam e procedem todos os bens. Não olha para as dádivas, mas eleva-se acima de todos os bens até Àquele que os concede. O amor muitas vezes não conhece limites, mas seu ardor excede a toda medida. O amor não sente peso, não faz caso das fadigas e quer empreender mais do que pode; não se escusa com a impossibilidade, pois tudo lhe parece lícito e possível. Por isso de tudo é capaz e realiza obras, enquanto o que não ama desfalece e cai.
5. O amor vigia sempre, e até no sono não dorme. Nenhuma fadiga o cansam nenhuma angústia o aflige, nenhum temor o assusta, mas qual viva chama a ardente labareda irrompe para o alto e passa avante. Só quem ama compreende o que é amar. Bem alto soa aos ouvidos de Deus o afeto da alma que diz: Meu Deus, meu amor! Vós sois todo meu, e eu todo vosso!

Imitação de Jesus Cristo - Tomás de Kempis

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Revelaçoes Inéditas - Medalha Exorcística de São Bento

Revelações Inédiatas - Medalha Exorcística de São Bento

A vida e a medalha de São Bento de Núrcia - Documentário

Oração do Papa Francisco a São José e São Miguel Arcanjo

ORAÇÃO DO PAPA FRANCISCO A SÃO JOSÉ E SÃO MIGUEL ARCANJO

São José guardai e concedei a paz a essa terra regada pelo sangue de São Pedro e dos primeiros mártires romanos; guardai e avivai a graça do Batismo naqueles que vivem e trabalha aqui; guardai e aumentai a fé dos peregrinos que aqui chegam de todos os lugares do mundo.
A vós consagramos as fadigas e as alegrias de cada dia; a vós consagramos as expectativas e esperanças da igreja; a vós consagramos os pensamentos, os desejos e as obras: tudo se realize em nome do Senhor Jesus. Ó gloriosos Arcanjo São Miguel...velai sobre esta Cidade e sobre a sé Apostólica, coração e centro da catolicidade para que viva na fidelidade do Evangelho e no exercício da caridade heroica. Tornai-nos vitoriosos contra as tentações do poder, da riqueza e da sensualidade. Sede o baluarte contra cada maquinação que ameaça a serenidade da igreja; sede vós a sentinela  dos vossos pensamentos que liberta do assédio da mentalidade mundana; sede vós o condutor espiritual que nos sustenta no bom combate da fé.

Fonte: Rádio Vaticana

Oração I


Oração I

Ah! Meu Jesus, meu Redentor e meu Deus, donde me vem este favor?
Porque razão, de preferência a tantas almas que deixastes no século, me escolheu a mim pecadora para vossa esposa, e me admitistes a viver aqui na terra, na vossa casa, a espera da coroa eterna que me haveis de dar no paraíso?
Senhor! Visto que me favorecestes com tão insigne graça, fazei que eu saiba estimá-la, a fim de que o meu reconhecimento e o meu amor correspondam ao amor que me testemunhastes. Vós me preferistes a tantas outras, é justo que vos prefira a todos.
Vós vos destes inteiramente a mim; é justo que eu me dê toda a vós e que sejais o meu único bem amado, meu único amor.
Sim, meu Jesus, eu vos amo sobre todas as coisas e não quero amar senão a vós. Vós vos destes a mim sem reserva; e me dou toda a vós sem reserva. Aceitai, eu vo-lo peço, e não desprezeis o amor de meu coração, ainda que antigamente ele tenha amado as criaturas a ponto de preferi-las a vós, que sois o sumo bem. Aceitai-me e conservai-me; sem o vosso socorro, não posso deixar de vos trair.
Visto que me escolhestes para vossa esposa, fazei que vos seja fiel e reconhecida. Ó belas chamas que jorrais do Coração de Jesus, abrasai-me e destruí no meu coração todos os afetos que não são para Jesus. Não me deixeis viver senão para amar este amabilíssimo Esposo, que quis dar sua vida para ser amado por mim.
Ó Maria, Mãe de Deus, se eu sou esposa de vosso Filho, vós sois não somente minha rainha, mas também minha Mãe. E se é por vossa intercessão que me desapeguei do mundo, fui trazida a esta santa casa, e fui elevada à dignidade de esposa de vosso divino Filho, socorrei-me agora, e nunca me abandoneis. Fazei que minha vida e minha morte sejam dignas de uma esposa de Jesus Cristo.

FONTE: A verdadeira esposa de Jesus Cristo - Santo Afonso Maria de Ligório

domingo, 7 de julho de 2013

JMJ: Um sonho do coração de Deus

Tudo começou com um encontro promovido pelo Papa João Paulo II em 1984. Foi um encontro de amor, sonhado por Deus e abraçado pelos jovens. Vozes que precisavam ser ouvidas e um coração pronto para acolhê-las.

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ), como foi denominada a partir de 1985, continua a mostrar ao mundo o testemunho de uma fé viva, transformadora e a mostrar o rosto de Cristo em cada jovem.

São eles, os jovens, os protagonistas desse grande encontro de fé, esperança e unidade. A JMJ tem como objetivo principal dar a conhecer a todos os jovens do mundo a mensagem de Cristo, mas é verdade também que, através deles, o ‘rosto’ jovem de Cristo se mostra ao mundo.

A Jornada Mundial da Juventude, que se realiza anualmente nas dioceses de todo o mundo, prevê a cada 2 ou 3 anos um encontro internacional dos jovens com o Papa, que dura aproximadamente uma semana. A última edição internacional da JMJ foi realizada em agosto de 2011, na cidade de Madri, na Espanha, e reuniu mais de 190 países.

A XXVIII Jornada Mundial da Juventude será realizada de 23 a 28 de julho de 2013 na cidade do Rio de Janeiro e tem como lema “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28, 19).

Um sonho do coração de Deus
As JMJs tem sua origem em grandes encontros com os jovens celebrados pelo Papa João Paulo II em Roma. O Encontro Internacional da Juventude, por ocasião do Ano Santo da Redenção aconteceu em 1984, na Praça São Pedro, no Vaticano. Foi lá que o Papa entregou aos jovens a Cruz que se tornaria um dos principais símbolos da JMJ, conhecida como a Cruz da Jornada.

O ano seguinte, 1985, foi declarado Ano Internacional da Juventude pelas Nações Unidas. Em março houve outro encontro internacional de jovens no Vaticano e no mesmo ano o Papa anunciou a instituição da Jornada Mundial da Juventude.

A primeira JMJ foi diocesana, em Roma, no ano de 1986. Seguiram-se os encontros mundiais: em Buenos Aires (Argentina – 1987) - com a participação de 1 milhão de jovens; em Santiago de Compostela (Espanha – 1989) - 600 mil; em Czestochowa (Polônia – 1991) - 1,5 milhão; em Denver (Estados Unidos – 1993) - 500 mil; em Manila (Filipinas – 1995) – 4 milhões; em Paris (França -1997) – 1 milhão; em Roma (Itália – 2000) – 2 milhões, em Toronto (Canadá – 2002) – 800 mil; em Colônia (Alemanha – 2005) – 1 milhão; em Sidney (Austrália – 2008) – 500 mil; e em Madri (Espanha – 2011) – 2 milhões.

Além do fato de estar em outro país, com seus encantos turísticos, a participação na Jornada requer um corpo preparado para a peregrinação e um coração aberto para as maravilhas que Deus tem reservado para cada um. São catequeses, testemunhos, partilhas, exemplos de amor ao próximo e à Igreja, festivais de música e atividades culturais. Enfim, um encontro de corações que creem, movidos pela mesma esperança de que a fraternidade na diversidade é possível.

Fonte: Comunicação da catequese

O lema da Jornada Mundial da Juventude

O lema da JMJ 2013, que vai acontecer de 23 a 28 de julho, é 
Ide e fazei discípulos entre todas as nações! (cf. Mt 28, 19)

“A Jornada Mundial da Juventude em Madrid renovou nos jovens o chamado a serem o fermento que faz a massa crescer, levando ao mundo a esperança que nasce da fé. Sede generosos ao dar um testemunho de vida cristã, especialmente em vista da próxima Jornada no Rio de Janeiro”.

Essa convocação foi feita pelo Papa Bento XVI no anúncio do lema da Jornada Mundial da Juventude Rio2013: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28, 19), durante a audiência geral no dia 24 de agosto.

Na ocasião a catequese foi dedicada a JMJ 2011, que havia terminado no dia 21 do mesmo mês. Bento XVI recordou com carinho a participação e a alegria dos cerca de dois milhões de jovens em Madrid, ao que ele chamou de “uma formidável experiência de fraternidade, de encontro com o Senhor, de partilha e de crescimento na fé: uma verdadeira cascata de luz.”

Por isso é tão importante que os jovens do Brasil e do mundo assumam desde agora esse chamado à missão e participem da Jornada como testemunhas vivas do Cristo.

Para o padre Geraldo Dondici Vieira, diretor do Departamento de Teologia da PUC-Rio, esse é um lema para ser guardado no coração, refletido e meditado. “Esse tema, de fazer discípulos, de chamar outros discípulos para a comunhão e o convívio com o Senhor, é o tema mais querido do Evangelho de Mateus. Esse mandato, essa missão já está anunciada em todo o Evangelho. E, na verdade, só faz discípulo quem já é discípulo, quem convive com o Senhor”, afirmou o sacerdote.

Padre Dondici ressalta que esse testemunho e o próprio anúncio do Cristo, são grandes desafios pra juventude, que vive em um mundo plural, com milhares de informações, seja através das escolas, lazer, internet, especialmente no contato com as redes sociais, como o facebook, twitter: “Com essas mil participações, ele, jovem discípulo, é chamado a plantar no coração de quem ele encontrar, com quem ele se comunicar, o desejo de ser discípulo de Jesus”.

“O que ganha o discípulo de Jesus? Ganha a pertença ao reino, ganha a certeza do amor de Deus, ganha a certeza de ser para os outros sinal de misericórdia e de amor. Ganha o levar e doar a paz do Senhor. São esses frutos e dons que o mundo muito precisa. O perdão, a misericórdia, a paz é que irão diminuir na sociedade, no mundo de hoje, a violência, a guerra, a corrupção, a maldade, tudo aquilo que tira a possibilidade do jovem crescer e colocar toda a sua riqueza e vitalidade a serviço da humanidade”, afirmou.”

No mandato final do texto de Mateus – “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” –, explicou o padre, está um grande sonho antropológico de todos, de que o contato com o Senhor, a amizade com Ele, desperte o que cada um tem de melhor em si mesmo.

“Vivemos em um mundo onde há muitos desperdícios, perdas humanas, por falta de chance. O convívio com o Senhor desperta o que temos de melhor. O anúncio ‘Ide e fazei discípulos entre todas as nações’ é um anúncio para a vida toda. Em nenhum momento podemos fazer um intervalo dele, porque ele supõe que aquele que é amigo do Senhor, pela sua vida, pelo seu estar no mundo, comunique aos outros a luz, a beleza e a alegria de ser discípulo do Senhor. Essa é a missão que a nossa Igreja precisa.

Fonte: Comunicação na catequese

Entronização a Cruz de São Bento

São Bento, estamos todos aqui reunidos para, em nome de Cristo Nosso Senhor, entronizar sua Cruz Sagrada.
Rezemos, então, a oração que Jesus nos ensinou:
Pai nosso que estais nos céus,...
Rezemos também com São Bernardo:
“lembrai-vos, ó puríssima Viagem Maria, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que a vós têm recorrido, implorando vossa assistência e invocando vosso socorro, fosse por vós desamparado. Animando eu, pois, com confiança, a vós recorro e, gemendo debaixo dos peso dos meus pecados, me prostro  a vossos pés, ó Virgem das virgens. Não desprezeis as minhas súplicas, ó do Verbo encarnado, mas ouvias favoravelmente e dignai-vos atender-me, ó doce Virgem Maria. Amém.
São Bento, pela Sagrada Família de Nazaré e sua fuga para o Egito, livra os habitantes desta casa da desunião, protegendo-os das drogas e vícios; livra-os do desemprego, do terrorismo, das perseguições e seqüestros, e protege-os da violência. Amém.
Pai-Nosso
Nos quartos
São Bento, pela anunciação do anjo à Virgem Maria, protege esta família, permitindo sempre que Jesus seja anunciado, e, pela ressurreição de Jesus, livra-os da morte sem o sacramento da Igreja. Amém.
Pai-Nosso
Na cozinha
São Bento, pela Ceia do Senhor Jesus, livra da fome os habitantes desta casa, e sacia-os com o alimento da Eucaristia. Amém.
Pai-Nosso
Colocando a cruz no local escolhido pela família:
Cruz do Santo Pai Bento,
Cruz Sagrada, seja a nossa luz!
Não seja o dragão o nosso guia!
Afasta-te desta casa, Satanás, e nunca nos aconselhes coisa vãs.
É mau o que oferece, bebe tu mesmo os teus venenos. Amém.
Em nome de São Bento, com a força de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Santíssima Virgem Maria,que esta cruz seja a barreira contra o mal que porventura possa se aproximar desta casa. Amém.
Que mesmo fora daqui,seus habitantes sejam privilegiados com a graça de Deus Pai, de Jesus Cristo e do Espírito Santo. Amém.
Que a hora da morte, de quaisquer dos seus habitantes, sejam livres das ciladas e embustes dos inimigos, pela presenças daquele cuja memória celebramos e entronizamos esta cruz. Amém.
Que, a São Bento recorrendo, obtenhamos auxílio em todas as nossas aflições, e que aqui reine a paz e a tranqüilidade. Amém.
Que, a São Bento recorrendo, afastem daqui as desgraças tanto corporais como espirituais, especialmente o mal do pecado. Amém.
Tudo isso, senhor Deus, vos pedimos. A vós que sois o dispensador de todos os bens, suplicamos que,por intercessão de São Bento se de Nossa Senhora, abençoai esta casa, e que seus habitantes possam praticar boas obras e mereçam obter a saúde da alma e do corpo e, com auxílios de vossa misericórdia, apresentem-se um dia santo e imaculado diante de vossa face. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

Pai-Nosso e Ave-Maria
               
Senhor Jesus, que fique entre nós a vossa luz!

sábado, 6 de julho de 2013

Que a graça de Deus não se comunica aos que gostam das coisas terrenas


1. Jesus: Filho, preciosa é a minha graça; não sofre mistura de coisas estranhas,
nem de consolações terrenas. Cumpre, pois, remover todos os
impedimentos da graça, se desejas que te seja infundida. Busca lugar retirado,
gosta de viver só contigo, e não procures conversa com os outros, mas
a Deus dirige tua oração fervorosa, para que te conserve na compunção de
espírito e pureza da consciência. Avalia em nada o mundo todo; antepõe o
serviço de Deus a todas as coisas exteriores. Pois não podes há um tempo
tratar comigo e deleitar-te nas coisas transitórias. Cumpre apartares-te
dos conhecidos e amigos, e desprenderes teu coração de toda consolação
temporal. Assim exorta também instantemente o apóstolo São Pedro que
os éis cristãos vivam neste mundo como estrangeiros e peregrinos (1 Pdr 2,11).
2. Oh! Quanta conança terá aquele moribundo que não tem afeição a coisa
alguma do mundo. Mas desprender assim o coração de tudo, não o compreende
o espírito ainda enfermo, bem como o homem carnal não conhece
a liberdade do homem interior. Entretanto, se quiser ser verdadeiramente
espiritual, cumpre-lhe renunciar aos estranhos como aos parentes e de ningu
ém mais se guardar do que de si mesmo. Se te venceres perfeitamente
a ti mesmo, tudo o mais sujeitarás com facilidade. Pois a perfeita vitória
é triunfar de si mesmo. Porque aquele que se domina a tal ponto, que os
sentidos obedeçam à razão e a razão lhe obedeça em todas as coisas, este
é realmente vencedor de si mesmo e senhor do mundo.
3. Se aspiras a galgar estas alturas, cumpre-te começar varonilmente e pôr
o machado à raiz, para que arranque e cortes o secreto e desordenado
apego que tens a ti mesmo, e a todo bem particular e sensível. Deste vício
do amor excessivo e desordenado que o homem tem a si mesmo provém
quase tudo que radicalmente se há de vencer; vencido este e subjugado,
logo haverá grande paz e tranqüilidade estável. Mas já que poucos tratam
de morrer a si mesmos e desapegar-se de si, por isso cam presos em si
mesmos e não se podem erguer em espírito acima de si. A quem, todavia,
deseja livremente seguir-me, cumpre-lhe morticar todos os seus maus e
desordenados afetos, e não se prender, com amor apaixonado, a criatura
alguma.

FONTE: Imitação de Cristo

A descida de Jesus Cristo aos Infernos

A Descida de Cristo aos Infernos
(atribuído a Nicodemos)
I
[1] Convite de José. Disse José: "E por que vos admirais de que Jesus tenha ressuscitado? Isso não é nenhuma maravilha; a maravilha está no fato de que não foi só ele que ressuscitou, porque muitos outros mortos ressuscitaram e apareceram, em Jerusalém, a muitas pessoas. E, se até agora não conheceis outros, conheceis ao menos Simeão, que recebeu Jesus, e seus dois filhos, que ele ressuscitou; ao menos esses conheceis. Nós os sepultamos recentemente, e agora seus sepulcros foram vistos abertos, e eles estão vivos e habitam em Arimatéia". Mandaram então alguns homens, os quais viram seus sepulcros abertos e vazios. José exclamou: "Vamos encontrá-los em Arimatéia".
[2] Dois ressuscitados.* Levantaram-se, então, os sumos sacerdotes Anás e Caifás, José, Nicodemos, Gamaliel e outros com eles e foram a Arimatéia e encontraram aqueles dos quais tinha falado José. Fizeram uma oração, saudaram-se mutuamente, voltaram com eles para Jerusalém, conduziram-nos para a sinagoga e trancaram as portas; depois puseram no meio o Antigo (Testamento) dos judeus, e os sumos sacerdotes lhes disseram: "Queremos que jureis pelo Deus de Israel e por Adonai e digais assim a verdade sobre o modo pelo qual fostes ressuscitados e sobre quem vos fez ressurgir dos mortos".
[3] Ouvindo isso, os homens que tinham ressuscitado fizeram o sinal da cruz no rosto e disseram aos sumos sacerdotes: "Dai-nos papel, tinta e pena!" Depois que lhes foram dados, sentaram-se e escreveram assim:
II
[1] 'Senhor Jesus Cristo, ressurreição e vida do mundo, dá-nos a graça de falar de tua ressurreição e das obras maravilhosas que fizeste no Hades. Abraão, Isaías, João Batista. *Habitávamos então no Hades com todos os mortos da eternidade. E na hora de meia-noite naqueles lugares escuros surgiu e resplandeceu uma luz como a do Sol, ficamos todos iluminados e nos vimos um ao outro. Subitamente nosso pai Abraão e com ele os patriarcas e os profetas ficaram cheios de alegria e disseram um ao outro: "Esta luz vem de grande luzeiro". O profeta Isaías, que estava presente, disse: "Esta luz vem do Pai, do Filho e do Espírito Santo, como profetizei quando estava entre os vivos, dizendo: A terra de Zabulon e a terra de Neftali, o povo sentado nas trevas, viu uma grande luz"'.

[2] Depois, do deserto para lá, para o meio deles, veio um asceta, e os patriarcas lhe perguntaram: "Quem és tu?" Ele respondeu: "Eu sou João, o último dos profetas, aquele que aplanou os caminhos do Filho de Deus e anunciou ao povo a penitência para a remissão dos pecados. Veio a mim o Filho de Deus e, vendo-o, de longe, eu disse ao povo: 'Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo'. Com minhas mãos eu o batizei no rio Jordão e vi, como pomba, o Espírito Santo descer sobre ele e ouvi a voz de Deus Pai dizer a ele: 'Este é meu Filho dileto, no qual me comprazi'. Por isso ele me mandou também a vós, para anunciar-vos que o unigênito Filho de Deus vem aqui embaixo, a fim de que quem crê nele seja salvo, e quem não crê seja condenado. Digo, pois, a todos vós que o venereis, logo que o virdes, já que a vós só agora é concedido um tempo de penitência por vós, pelos ídolos que venerastes no mundo vão e pelos pecados que cometestes; e é impossível que isso aconteça em outro tempo. 


Fonte: OBRAS INTEGRAIS

terça-feira, 2 de julho de 2013

Testemunho de uma ex-satanista sobre a presença de Jesus na Eucaristia

A Bíblia diz que a Igreja, não a Bíblia, é a “coluna e sustentáculo da verdade” (l Tim 3: l5)! A ex-satanista Betty Brennan, palestrando para um grupo de oração pentecostal, falou sobre a Bíblia e sobre a Igreja que nos dá a Eucaristia:
“Durante anos, durante anos, eu tenho perseguido a Igreja de Cristo. Quando eu saí e voltei para a igreja, eu escolhi a Igreja Católica Romana, pois todo ritual satânico é um take-off (uma cópia reversa) dos Sacramentos na Igreja Católica Romana. Eles [os satanistas] sabem o que é a Eucaristia! Se todo mundo aqui, e todos que entraram na renovação, compreendessem o Sacramento da Eucaristia, que é o Verbo encarnado, ninguém iria acabar numa igreja Pentecostal e ter uma relação apenas com um livro [a Bíblia] ao invés de uma relação com o  Cristo Sacramentado. Como alguém pode deixar uma Igreja Sacramental para frequentar outra denominação protestante baseando-se somente  [na interpretação pessoal] da palavra na Bíblia? A palavra de Jesus Cristo conduz ao Verbo Encarnado, a Eucaristia!
“Sabe se tivesse uma bruxa ‘bona-fide’ aqui, e você colocasse para fora trinta hóstias, ou mil hóstias, e apenas uma delas fosse consagrada, ela saberia imediatamente qual é a consagrada, porque a hóstia consagrada é a Presença Real de Cristo! Ainda assim, nós Cristãos vamos à inúmeras reuniões e grupos de oração, passamos um tempo incontável com nossos parceiros de oração, mas não temos esse desejo de estar na presença e receber o Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo!”
Betty Brennan retornou à Igreja Católica após anos de prática de satanismo. Após ter  aprendido não somente rituais satânicos, mas magia negra envolvendo a invocação de todo tipo e espírito impuro e pestilento para executar obras e magia em nome de Satanás.
Enquanto bruxa satanista Brennan relata que sequer podia suportar estar fisicamente na Igreja no momento da consagração da Hóstia. Segundo seu depoimento, ela teria que se retirar imediatamente de qualquer ambiente onde fosse executado o milagre da Transubstanciação, a Consagração. Brennan vivia uma vida dupla e fingia ser Cristã, e por isso, ás vezes tinha que frequentar a Igreja, pois até mesmo seu marido desconhecia seu envolvimento com o oculto.
Após sua conversão, que ocorreu com a ajuda de um sacerdote Católico, que desconfiado dos eventos estranhos que sucediam na Santa Missa ( Betty, algumas vezes usando suas habilidades satânicas e ajudada pelo inimigo de Cristo, tentava impedir que a Missa fosse celebrada ) quando ela estava presente, ajudou-a a se libertar do mal que a dominara.
Depois de um longo período de conversão, arrependimento e expiação, Betty Brennan hoje atua como auxiliar do Sacerdote exorcista oficial da Santa Igreja nos EUA. Ela ajuda nos rituais de exorcismo executados pela Igreja Católica Americana, devido ao seu profundo conhecimento dos mais diversos espíritos malignos que possuem almas humanas. Além disso, ela viaja pelo mundo contanto sobre sua terrível experiência como serva do Diabo e seu retorno à Cristo!
A Sagrada Eucaristia, Jesus conosco há 2.000 anos
Século l: São Paulo deu testemunho a estas palavras de Cristo: “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes deste cálice, anunciais a morte do Senhor até que Ele venha” (l Cor 11,26).
Ao longo dos séculos, sempre que a presença real de Jesus foi questionada, a Igreja continuou a afirmar a verdade de que no Sacramento da Santíssima Eucaristia “o Corpo e o Sangue, juntamente com a alma e divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo e, portanto, todo o Cristo está verdadeira, real e substancialmente contido.” (Catecismo da Igreja Católica, 1374; Concílio de Trento 1551: DS 1651).
Século 20: “O Concílio Vaticano II justamente afirmou que o sacrifício Eucarístico  é “fonte e ápice da vida cristã. ‘Pois a Santíssima Eucaristia contém a riqueza espiritual da Igreja inteira: o pão o próprio Cristo, nossa páscoa e pão vivente. Através de sua própria carne, agora feita de vida e vivificante pelo Espírito Santo, ele oferece aos homens a vida. “Consequentemente, o olhar da Igreja volta-se continuamente ao seu Senhor, presente no Sacramento do Altar, onde descobre a plena manifestação do seu imenso amor “(Papa João Paulo II, Ecclesia de Eucharistia, 1).
 

ESTE BLOG É DEDICADO À:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...