segunda-feira, 5 de agosto de 2013

A Basílica de Santa Maria Maior

A mais antiga igreja do Ocidente 
dedicada à Santíssima Virgem: 
A BASÍLICA DE SANTA MARIA MAIOR 

A mais antiga igreja do Ocidente dedicada à Santíssima Virgem que se 
tem notícia é a Basílica de Santa Maria Maior. É considerada Maior por ser a mais 
importante das igrejas de Roma dedicadas à Rainha dos céus. 
A Basílica, que se eleva no monte Esquilino, em Roma, conhecida, ainda, 
por outros nomes, tais como Basílica de Santa Maria das Neves, Basílica 
Liberiana, e Basílica de Santa Maria do Presépio, foi construída no pontificado de 
Libério (352-366). O nome Basílica Liberiana deve-se à memória daquele Papa. 
Também, pela designação de Basílica de Santa Maria das Neves, a obra é 
conhecida, em razão da manifestação sobrenatural ocorrida, por sinal da 
Virgem Maria, que indicou aquele local para que ali se edificasse uma igreja em 
sua honra, fazendo com que nevasse ali em pleno verão de Roma. 
A Basílica é chamada também de Santa Maria do Presépio, por nela se 
conservarem trechos da gruta onde o Salvador nasceu. 
Construída sobre o templo pagão de Cybele, é a única basílica romana 
que conservou o núcleo da sua estrutura original intacto, apesar de vários 
projetos de construção adicionais e danos sofridos com o terremoto de 1348. No 
século V, o Papa Sisto III (432-440) restaurou-a e dedicou-a a Nossa Senhora, cuja 
maternidade o Concílio de Éfeso (432) tinha a pouco proclamado. Depois que o Papado em Avignon terminou e retornou a Roma, a 
Basílica de Santa Maria Maior tornou-se o Palácio temporário dos Papas, devido 
ao estado decadente do Lateran Palace. A residência papal foi posteriormente 
transferida para o Palácio do Vaticano, atualmente Cidade do Vaticano.

Os mosaicos do arco são um cântico de glória à maternidade ilibada da 
Virgem e as duas cidades de Jerusalém e Belém, que neles se vêem 
representadas, recordam o Natal do Senhor na cidade de Davi, e o da Igreja no 
Cenáculo. Estes mosaicos foram restaurados em 1931-1934. 
A Basílica de Santa Maria Maior é uma das mais belas e adornadas de 
toda a cidade. Abrigando, entre outras coisas, um relicário com um pedaço da 
manjedoura do menino Jesus, esta exuberante Basílica é representada pela 
mais pura perfeição artística e se torna um dos mais convidativos locais para 
recolhimento e oração. 
No começo do século IV, vivia em Roma um ilustre descendente das famílias 
consulares, o qual, por não ter filhos, tinha resolvido, de combinação com a mulher, 
consagrar sua grande fortuna à glória de Deus. 
Estando ambos preocupados com este projeto, a Santíssima Virgem lhes deu a 
entender que desejava ser a herdeira. “Edificar-me-eis - lhes disse ela - uma basílica na colina de Roma que amanhã estiver coberta de neve.” Era a noite de 4 para 5 de 
agosto do ano 352, época em que são excessivos os calores na Itália. No dia seguinte, o Esquilino estava coberto de neve! A cidade inteira acode ao lugar do milagre. O 
papa Libério, acompanhado de todo o clero, para lá se dirige também. Conta-se ao 
povo a causa do prodígio, e a igreja é edificada à custa dos piedosos cônjuges, 
recebendo o nome de Nossa Senhora das Neves, nome venerável, que ainda hoje 
conserva. A esses dois primeiros nomes juntaram-se outros não menos honrosos: Santa  Maria do Presépio, por causa do presépio do Salvador que ali se venera, e Santa Maria Maior, porque é a mais importante igreja mariana de Roma. 

http://www.mariamaedaigreja.net/AmaisantigaigrejadedicadaaSantissimaVirgem.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ESTE BLOG É DEDICADO À:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...