terça-feira, 5 de março de 2013

Que apaguem o fogo da casa de Deus



Memento Congregationis tuae. Só a Vos compete formar, por vossa graça, essa assembléia; se o homem nela puser primeiro a mao, nada se fará; se nela misturar algo de próprio com o que é vosso, estragará tudo,
arruinará tudo. Tuae Congregationis: é vossa obra grande Deus. Opus tuum fac: fazei vossa obra toda divina; ajuntai, convocai, reuni de todas as partes de vossos domínios os vosso eleitos, para deles fazer um corpo de
exército contra vossos inimigos.
Vede, Senhor Deus dos exércitos, os capitães que formam companhias completas, os potentados que reúnem exércitos numerosos, os navegadores que armam frotas inteiras, os mercadores que se congregam em
grande numero nos mercados e nas feiras! Quantos ladrões, ímpios, ébrios e libertinos se unem em massa contra Vos todos os dias, tão fácil e prontamente: basta soltar um assobio, rufar um tambor, mostrar a ponta
embotada de uma espada, prometer um ramo seco de louros, oferecer um pedaço de terra amarela ou branca; basta, em poucas palavras, uma fumaça de honra, um interesse de nada e um mesquinho prazer animal que se tem em vista, para, num instante, reunir os ladrões, ajuntar os soldados, agrupar os batalhões, congregar os mercadores, encher as casas e os mercados, e cobrir a terra e o mar com uma multidão inumerável de réprobos que – embora divididos todos entre si, ou pelo afastamento dos lugares, ou pela diversidade dos gênios, ou por seus próprios interesses – se unem entretanto todos até á morte, para fazer-Vos a guerra sob o estandarte e comando do demônio.
E Vos, grande Deus, embora haja tanta gloria, doçura e proveito em servir-Vos, quase ninguém tomará o vosso partido? Quase nenhum soldado se alistará sob vossos estandartes? Quase nenhum São Miguel
clamará no meio de seus irmãos, cheio de zelo pela vossa gloria: Quis ut Deus?26
Ah!, permiti-me bradar por toda parte: fogo, fogo, fogo! Socorro, socorro, socorro! Fogo na casa de Deus, fogo nas almas, fogo até no santuário! Socorro, que assassinam nosso irmão; socorro, que degolam nossos filhos; socorro que apunhalam nosso bom Pai!
Qui Domini est jungatur mihi27: que venham todos os bons sacerdotes espalhados pelo mundo cristão, quer os que estejam atualmente no combate, quer os que se tenham retirado da confusão da batalha
24 Os seus fundamentos estão sobre os montes santos. (Sl 86, 1)
25 Monte no cume dos montes. (Is 2, 2)
26 Quem como Deus?
para os desertos e ermos; que venham esses bons sacerdotes e se unam a nós, vis unita fit fortior 28, a fim de formarmos, sob o estandarte da Cruz, um exército em boa ordem de batalha e bem disciplina, para de concerto atacar os inimigos de Deus que já tocaram a rebate: sonuerunt, frenduerunt, fremuerunt, multiplicati sunt.29
Dirumpamus vincula eorum et projiciamus a nobis jugum ipsorum. Qui habitat in caelis irridebit eos.30 Exsurgat Deus et dissipentur inimici eius !31 Exsurge, Domine, quare obdormis ? Exsurge.32
Erguei-Vos, Senhor! Por que pareceis dormir? Erguei-Vos em vossa onipotencia, em vossa
misericordia e em vossa justica, para formar-Vos uma companhia seleta de guardas que velem a vossa casa, defendam vossa glória e salvem vossas almas, a fim de que haja um só rebanho e um só pastor, e de que todos
Vos rendam gloria em vosso templo: et in templo eius omnes dicent gloriam.33 Amém.


27 Quem for do Senhor, junte-se a mim! (Cfr. Ex 32, 26)
28 Uma força unida torna-se mais forte.
29 Bramiram, rangeram os dentes, agitaram-se, multiplicaram-se. (Cfr. Sl 2, 1; 24, 19; 45, 4; 34, 6; 37, 20)
30 Rompamos os liames com que nos ataram, e lancemos longe de nós o seu jugo. Aquele que habita no Céu
zombará deles. (Sl 2, 3-4)
31 Levante-se Deus, e sejam dispersados os seus inimigos. (Sl 67, 1)
32 Erguei-Vos, Senhor, por que dormis? Erguei-Vos. (Sl 43, 24)
33 E no seu templo todos anunciarão a vossa gloria. (Sl 28, 9)



Oração Abrasada
De São Luiz Maria Grignion de Montfort


Nenhum comentário:

Postar um comentário

ESTE BLOG É DEDICADO À:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...